Educação e Saúde:

uma reflexão em torno do imaginário social sobre a Doença de Chagas no Ceará

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.63274

Palavras-chave:

Educação. Doença de Chagas. Memória. Ceará.

Resumo

O presente artigo discute como o (não) acesso de sujeitos em processos de escolarização reverbera, no imaginário coletivo e individual, em percepções distorcidas sobre as doenças, em particular sobre a Doença de Chagas. Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa e descritiva que teve como método investigativo a história oral para articular os significados e os discursos atribuídos às doenças. Para o alcance das memórias tomamos como referência as narrativas de pessoas portadoras da Doença de Chagas, bem como de alguns de seus familiares e focamos nas entrevistas de três sujeitos. Os resultados denotaram que os significados e os discursos atribuídos à Doença de Chagas reverberam no imaginário coletivo e individual de percepções distorcidas. Aqueles que tiveram acesso à educação formal apresentam maior criticidade e não acreditam na morte e nas doenças como um fenômeno exclusivamente metafísico, mas como uma consequência da falta de política pública e ingerência do poder público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Malúcia Nogueira Raquel, Universidade Federal do Ceará

Graduada em Licenciatura em História  pela Universidade Estadual do Ceará (UECE) e mestranda em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC), vículada a linha pesquisa História e Memória Comparada. Bolsista CNPq. 

 

Gisafran Nazareno Mota Jucá, Universidade Estadual do Ceará (UECE) PROFESSOR TITULAR

Possui graduação em História pela Universidade Estadual do Ceará (1971), mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (1975), doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (1992) e Pós-Doutorado em História Urbana pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul,sob a supervisão da Professora Dra. Sandra Jatahy Pesavento. Atualmente é professor titular da Universidade Estadual do Ceará. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Regional do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: História Urbana, História Regional, História Oral, História Social e Educação.

Conceição de Maria Pinheiro Barros, Universidade Federal do Ceará

Doutorado em Educação, pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior, pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Bacharela em Secretariado Executivo pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Especialização em Ciência Política e Comércio Exterior, pelo Centro Universitário Estácio do Ceará. Professora Adjunta da Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior (POLEDUC) da UFC. Coordenadora do Curso de Secretariado Executivo da UFC. Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Secretariado Executivo (NEPES) da Universidade Federal do Ceará (UFC). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Secretariado Executivo (GEPES) da UFC. Coordena Projeto de Pesquisa Financiado pela FUNCAP (Bolsa), no Programa de Iniciação à Pesquisa PIBIC - UFC. Membro do Conselho Editorial da Revista Contextus (FEAAC-UFC) e da Revista Secretariado Executivo e Gestão (Gesec). Colaboradora - Revisão de Itens do INEP. Membro da Rede Inter-regional Norte, Nordeste e Centro-Oeste sobre Docência na Educação Básica e Superior (Rides). Desenvolve pesquisas científicas, atuando principalmente nos seguintes temas: Desenvolvimento e formação docente, Educação Superior, Educação em Secretariado, Responsabilidade Social Universitária e Organizacional, Políticas Públicas para Educação Superior, Assessoria e Gestão Organizacional e Secretarial.

Referências

ALBERT, Verena. Manual de história oral. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2005.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. História da educação e da pedagogia geral e Brasil. 4. ed. São Paulo: Moderna, 2020.

BARROS, José D’ Assunção. Sobre a feitura da Micro-História. OPSIS, Goiania, v. 7, n. 9, Mar., 2007, 167–186. Disponível em: https://revistas.ufg.br/index.php/Opsis/article/view/9336. Acesso em 26 mar. 2022.

BIRMAN, Joel. O Trauma na Pandemia do Coronavírus. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2021.

BLOCH, Marc Leopold Benjamin. Apologia da História ou O ofício do Historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 2001.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável: Território Cidadania do Cariri – MDA/SDT/AGROPOLOS. Fortaleza: Instituto Agropolos do Ceará, 2010. Disponível em: http://sit.mda.gov.br/download/ptdrs/ptdrs_qua_territorio131.pdf. Acesso em: 05 maio 2022.

CAVALCANTI, Lourdes Maria Rodrigues; GUERRA, Maria das Graças Gonçalves Vieira. Os desafios da universidade pública pós-pandemia da Covid-19: o caso brasileiro. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 30, n. 114, p. 73-93, jan./mar., 2022. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ensaio/a/JbyKTD99g9Pwcky5n5cyXDg/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 25 abr. 2022.

SILVA, Rafael. Agora é “vacina do Brasil”. De "jacaré" a "vacina do Doria": relembre frases de Bolsonaro sobre vacinação. A Gazeta., Grande Vitória, 19/01/2021, 2021. Disponível em: https://www.agazeta.com.br/es/politica/de-jacare-a-vacina-do-doria-relembre-frases-de-bolsonaro-sobre-vacinacao-0121. Acesso em: 04 maio 2022.

DELORS, Jacques. A educação ou a utopia necessária. In: Delors (coord). Educação: um tesouro a descobrir. 7. ed. São Paulo: Cortez, Brasília. 2012.

FIORI, Ernani Maria. Prefácio. In: FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 47 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização. São Paulo. Companhia das Letras. 2011.

GEWEHR, Rodrigo Barros et al. Sobre as práticas tradicionais de cura: subjetividade e objetivação nas propostas terapêuticas contemporâneas. Psicologia USP, São Paulo, v. 28, jan./abr., 2017, p. 33-43. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pusp/v28n1/1678-5177-pusp-28-01-00033.pdf. Acesso em: 07 fev. 2022.

INSTITUTO BUTANTAN. Há mais de 100 anos, Revolta da Vacina foi marcada por mortes, estado de sítio e fake news. Disponível em: https://butantan.gov.br/noticias/ha-mais-de-100-anos-revolta-da-vacina-foi-marcada-por-mortes-estado-de-sitio-e-fake-news. Acesso em: 18 abr. 2022.

HASHIZUME, Cristina Miyuki. Inclusão e Direitos Humanos: refletindo sobre o tema a partir da formação de professores. Contemporâneos, São Bernardo do Campo, n. 21, mai./out., 2021. Disponível em: https://revistacontemporaneos.com.br/inclusao-e-direitos-humanos-refletindo-sobre-o-tema-a-partir-da-formacao-de-professores-cristina-miyuki-hashizume-umesp/. Acesso em: 06 maio 2022.

JUCÁ, Gisafran Nazareno Mota. Seminário da Prainha: indício da memória individual e da memória coletiva. Fortaleza, 2014, EDUECE.

LE GOFF, Jacques. As doenças têm história. ed. 2. Lisboa: Terramar, 1997.

LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre. História: novas abordagens. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

LIMA, Deivson Wendell da Costa et. al. Historicidade, conceitos e procedimentos da análise do discurso. Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro; 25: e 12913, 2017, p. 1-4. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/10/947755/12913-101574-1-pb.pdf. Acesso em: 13 dez. 2022.

LIMA, Zilda Maria Menezes. Uma enfermidade à flor da pele: a lepra em Fortaleza (1920-1937). Fortaleza: Museu do Ceará/Secult, 2009.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva: forma e razão da troca nas sociedades arcaicas em sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac Naif, 2003.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas para as pesquisas científicas. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html. Acesso em: 13 dez. 2022.

MELLO, de Márcio Luiz Braga Corrêa; OLIVEIRA, Simone Santos. “A Vida é uma Doença Incurável” - Cura e Cuidado na Tradição de Terreiros Afro-Brasileiros no Rio de Janeiro: contribuições para atenção Integral à Saúde. Revista Temas em Educação, João Pessoa, Brasil, v. 28, n.1, p. 171-193, jan./abr. 2019. Disponível em: https://www.proquest.com/openview/36fc861567278242bd075add2aa37765/1?pq-origsite=gscholar&cbl=4514812. Acesso em: 20 nov. 2022.

MORAIS, Rosalina Rocha Araújo; VIEIRA, Sofia Lerche. Organização educacional cearense no início do século XX. In: CONGRESSO LUSO-BRASILERO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 8., São Luís, 2010. Anais [...] São Luís: UFMA, ago. 2010. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/38968/1/2010_eve_rramoraes.pdf. Acesso em: 25 jan. 2022.

MONTENEGRO, Antonio Torres. História Oral e Memória. 3. ed. São Paulo: Editora Contexto, 1994.

MOREIRA, Delmo. Catorze camelos para o Ceará: A história da expedição científica brasileira. São Paulo: Todavia, 2021.

NASCIMENTO, Dilene Raimundo do; CARVALHO, Diana Maul de; MARQUES, Rita de Cássia. (orgs.). Uma história brasileira das doenças. Rio de Janeiro: Mauad X, 2006. v. 2.

NÓVOA, António. Escolas e professores: proteger, transformar, valorizar. Salvador: SEC/IAT, 2022.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

SARAIVA, Adriana; MELLO, Simone. Indicadores de educação avançam, mas desigualdades regionais e raciais persistem. Agência IBGE de notícias, [S.l.], 19/06/2019. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/24852-indicadores-de-educacao-avancam-mas-desigualdades-regionais-e-raciais-persistem. Acesso em: 18 abr. 2022.

UNESCO. Reimaginar nossos futuros juntos: um novo contrato social para a educação. Brasília: Comissão Internacional sobre os Futuros da Educação, 2022.

Downloads

Publicado

2023-03-03

Como Citar

NOGUEIRA RAQUEL, M.; NAZARENO MOTA JUCÁ, G. .; PINHEIRO BARROS, C. de M. . Educação e Saúde:: uma reflexão em torno do imaginário social sobre a Doença de Chagas no Ceará. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 32, n. 1, p. e-rte321202326, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.63274. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/63274. Acesso em: 24 fev. 2024.