Práticas formativas do pesquisador no contexto dos cursos de Pós-Graduação Stricto sensu em Educação na Bahia

Autores

  • Andréia Ruas Yano Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB
  • Nilma Margarida de Castro Crusoé Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.66287

Palavras-chave:

Formação do pesquisador em educação. Pós-graduação stricto sensu. Prática formativa.

Resumo

O presente artigo apresenta resultados de pesquisa cujo objetivo consistiu em analisar práticas de formação do pesquisador em educação nos programas de pós-graduação stricto sensu no Estado da Bahia. Partiu das percepções de professores sobre o processo de formação de mestrandos e doutorandos. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que teve como campo empírico os programas acadêmicos de pós-graduação em educação vinculados ao sistema superior estadual de educação da Bahia. Os informantes da pesquisa foram professores que ministram disciplinas voltadas ao ensino de método e metodologias de pesquisa em educação e que atuam como orientadores de pesquisa nos referidos programas. Como técnica para produção de dados, foi aplicada a entrevista semiestruturada. Para a análise e interpretação dos dados obtidos, foi utilizada a técnica da Análise de Conteúdo. Os resultados indicam como principais práticas formativas na pós-graduação stricto sensu: a iniciação científica, os grupos de pesquisa e a orientação. Apontam para dificuldades na formação do pesquisador, que não surgem exclusivamente na pós-graduação stricto sensu em educação, mas que teriam origem na graduação ou até mesmo na educação básica. Os resultados apontam, ainda, para a necessidade de se fortalecer a formação epistemológica do investigador científico no campo educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréia Ruas Yano, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Nilma Margarida de Castro Crusoé, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutora em Educação, Professora Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd). 

Referências

AMADO, J. A formação em investigação qualitativa: notas para a Construção de um Programa. In: Investigação Qualitativa: inovação, dilemas e desafios. Portugal: Ludomedia. 5 ed., 2016. p. 39-67.

AMADO, J. A investigação em educação e seus paradigmas. In: AMADO, J. (Org.). Manual de investigação qualitativa em educação. 3 ed. Imprensa da Universidade de Coimbra: Coimbra, 2017. p. 21-74.

AMADO, J; COSTA, A. P.; CRUSOÉ, N. M. C. A Técnica da Análise de Conteúdo. In.: AMADO, J. (Org.). Manual de Investigação Qualitativa em Educação. 3 ed. Imprensa da Universidade de Coimbra: Coimbra, 2017. p. 303-354.

AMADO, J; FERREIRA, S. A Entrevista na investigação em Educação. In.: AMADO, J. (Org.). Manual de investigação qualitativa em educação. 3 ed. Imprensa da Universidade de Coimbra: Coimbra, 2017. p. 209-234.

ANDRÉ, M. Formação de professor: a constituição de um campo de estudos. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, 2010, p. 174-181. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8075>. Acesso em: 07 set. 2019.

BOAVENTURA, E. M. A construção da universidade baiana: origens, missões e afrodescendência. Salvador: EDUFBA, 2009. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/109/4/A%20construcao%20da%20universidade%20baiana.pdf>. Acesso em: 30 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 7, de 11 de dezembro de 2017. Estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação stricto sensu. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 dez. 2017. Seção 1, p. 21. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2017-pdf/78281-rces007-17-pdf/file. Acessado em: 10 dez. 2021.

CABRERO, R. C; COSTA, M. P. R. Iniciação Científica, bolsa de iniciação científica e grupos de pesquisa. In: MASSI, L; QUEIROZ, S. L. (Org.). Iniciação Científica [recurso eletrônico]: aspectos históricos, organizacionais e formativos da atividade no ensino superior brasileiro. São Paulo: Editora Unesp Digital, 2015. Disponível em: <https://static.scielo.org/scielobooks/s3ny4/pdf/massi-9788568334577.pdf>. Acesso em: 18 dez. 2021.

CASTRO, A. M. D. A.; OLIVEIRA, L. M. C. F. Avaliação e expansão da Pós-Graduação em Educação no Brasil e no Nordeste: assimetrias e desafios. Revista Educação Em Questão, 59, p. 1-24 2021. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/24454>. Acesso em: 27 abr. 2022.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa Qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis, RJ.: Vozes, 2006.

GAMBOA, S. S. Grupos de pesquisa: limites e possibilidades na construção de novas condições para a produção do conhecimento. Motrivivência, Ano XXIII, nº 36, p. 268-290, jun./2011. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2011v23n36p268/19654>. Acesso em: 10 dez. 2021.

GATTI, B. A.; ANDRÉ, M. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em educação no Brasil. In: WELLER, W.; PFAFF, N. (Org.) Metodologia da pesquisa qualitativa em educação. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. p. 29-38.

MESCOUTO. J. V. S. Política de pós-graduação e formação de jovens pesquisadores no contexto institucional do Programa de Pós-graduação em educação da Universidade Federal do Pará. Orientador: Prof. Dr. Paulo Sérgio de Almeida Corrêa. 2012. 175fl. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, 2012.

OLIVEIRA, D. B. A Formação do Pesquisador na Pós-Graduação na Universidade Moderna: Valores Epistemológicos e Ético-Políticos. Orientador: Professor Doutor Salomão Antônio Mufarrej Hage. 2013. 333fl. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará. Belém, 2013.

PIRES, R. C. M. O Trabalho do professor-pesquisador e o PIBIC/CNPq. In: MASSI, L.; QUEIROZ, S. L. (Org.). Iniciação Científica [recurso eletrônico]: aspectos históricos, organizacionais e formativos da atividade no ensino superior brasileiro. São Paulo: Editora Unesp Digital, 2015. Disponível em: <https://static.scielo.org/scielobooks/s3ny4/pdf/massi-9788568334577.pdf>. Acesso em: 18 dez. 2021

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico [livro eletrônico]. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2017.

SOARES, S. R. Pedagogia Universitária: Campo de prática, formação e pesquisa na contemporaneidade. In: NASCIMENTO, A. D.; HETKOWSKI, T. M. (Org.) Educação e contemporaneidade: pesquisas científicas e tecnológicas. Salvador: EDUFBA, 2009, 400 p. Avaliado e Disponível em: SciELO Books <http://books.scielo.org>. Acesso em: 19 dez. 2021.

Downloads

Publicado

2024-05-10

Como Citar

RUAS YANO, A.; DE CASTRO CRUSOÉ, N. M. Práticas formativas do pesquisador no contexto dos cursos de Pós-Graduação Stricto sensu em Educação na Bahia. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 33, n. 1, p. e-rte331202413, 2024. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.66287. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/66287. Acesso em: 14 jul. 2024.