A CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO NOS MATERIAIS FORMATIVOS DO PNAIC

entre prescrições e “artes de fazer”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.54217

Palavras-chave:

Currículo, Prática docente, Cotidiano escolar

Resumo

Este artigo discorre sobre a concepção de currículo escolar discutida nos materiais formativos que embasam a proposta do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) e as relações entre suas prescrições didático-metodológicas e os usos que os sujeitos praticantes – compreendidos como professores que atuam especificamente nos anos iniciais do Ensino Fundamental – podem fazer delas. Para sua realização, lançou-se mão do estudo sistemático dos cadernos que pautam as formações continuadas à luz de pesquisas que investigam os cotidianos, valendo-se especialmente das contribuições de Michel de Certeau. A linha de argumentação desenvolvida sugere como principais apontamentos: a) a validade das prescrições, dado que os professores buscam elementos norteadores para oxigenarem suas práticas; e, ao mesmo tempo b) a existência de astúcias e “artes de fazer” que permeiam o cotidiano escolar e possibilitam que essas prescrições sejam constantemente reinventadas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Nathália Cristina Amorim Tamaio de Souza, Universidade Estadual de Campinas, Brasil.

É doutoranda em Educação na Universidade Estadual de Campinas e Professora de Educação Básica na Escola SESI de Araraquara. 

Ana Lúcia Guedes-Pinto, Universidade Estadual de Campinas, Brasil.

Doutorado em Linguística Aplicada pelo IEL/UNICAMP e Professora Titular do Departamento de Ensino e Práticas Culturais, da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. 

Referências

ALVES, Nilda. et al. (Org.). Criar currículo no cotidiano. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2004.

_______. Decifrando o pergaminho: o cotidiano das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, I. B.; ALVES, N. (Orgs.). Pesquisa no/do cotidiano das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

AMORIM, Antônio Carlos Rodrigues de. Photo grafias, escritascotidiano e currículos deformação. In: FERRAÇO, Carlos Eduardo (org.). Cotidiano escolar, formação de professores(as) e currículo. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2008.

BARCELLOS, Adriana Pionttkovsky. Sobre as tessituras das políticas de currículos e de formação continuada de professores. Espaço do currículo. Paraíba, v. 4, n. 2, p. 372-385, set./mar., 2012.

BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade: as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica e o ciclo de alfabetização. Caderno 01. Brasília: MEC, SEB, 2015.

_______. Ministério da Educação. Elementos conceituais e metodológicos para definição dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento do Ciclo de Alfabetização (1º, 2º e 3º anos) do Ensino Fundamental. Brasília: MEC/SEB, 2012a.

_______. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Currículo e Alfabetização: concepções e princípios. Ano: 1, unidade 1. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Brasília: MEC, SEB, 2012b.

_______. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Currículo no Ciclo de Alfabetização: consolidação e monitoramento do processo de ensino e de aprendizagem. Ano: 2, unidade 1. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Brasília: MEC, SEB, 2012c.

_______. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Currículo Inclusivo: o direito de ser alfabetizado. Ano: 3, unidade 1. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Brasília: MEC, SEB, 2012d.

CERTEAU, Michel de. A cultura no plural. Campinas/SP: Papirus, 1995.

_______. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis/RJ: Vozes, 1994.

_______. A invenção do cotidiano 2: morar, cozinhar. Petrópolis/RJ: Vozes, 1996.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. Cotidiano escolar, formação de professores (as) e currículo. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2008.

_______. Eu, caçador de mim. In: GARCIA, R. L. (Org.). Método: pesquisa com o cotidiano. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Indagações sobre currículo: currículo, conhecimento e cultura. In: BEAUCHAMP, Jeanete; PAGEL, Sandra Denise; NASCIMENTO, Aricélia Ribeiro do (Orgs.). Indagações sobre o currículo. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.

OLIVEIRA, Inês Barbosa. Criação curricular, autoformação e formação continuada no cotidiano escolar. In: FERRAÇO, Carlos Eduardo. (Org.). Cotidiano escolar, formação de professores(as) e currículo. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2008.

_______. Currículos praticados: entre a regulação e a emancipação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

VICTORIO FILHO, Aldo; MONTEIRO, Solange Fernandes (Orgs.). Cultura e conhecimento de professores. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

Downloads

Publicado

2020-11-10

Como Citar

SOUZA, N. C. A. T. de .; GUEDES-PINTO, A. L. . A CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO NOS MATERIAIS FORMATIVOS DO PNAIC: entre prescrições e “artes de fazer”. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 625–634, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.54217. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/54217. Acesso em: 7 dez. 2021.