A DIMENSÃO AMBIENTAL NO CURRÍCULO DA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES/AS DA UFPB

um olhar crítico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i1.61381

Palavras-chave:

Currículo, Educação Ambiental Crítica, Formação Inicial de Professores

Resumo

O presente estudo teve como objetivo discorrer como a Educação Ambiental se apresenta no currículo dos cursos de Licenciatura em Ciências Sociais, História, Geografia e Ciências Biológicas da Universidade Federal da Paraíba - UFPB, Campus de João Pessoa. Para tanto, se pautou em uma pesquisa qualitativa, figurando o significado subjetivo das mensagens expressas nos conteúdos analisados, através da Análise Documental. Para o tratamento dos dados encontrados, foi utilizada, em associação à Análise Documental, a Análise de Conteúdo, na busca das condições contextuais e dos componentes valorativos e históricos, que são mutáveis. Como resultados, foi possível observar que, mesmo com características de uma educação crítica, os currículos ainda apresentam projetos tradicionais e pragmáticos que favorecem abordagens educativo ambientais conservadoras e comportamentalistas. Conclui-se que é primaz que os processos formativos, as capacidades desenvolvidas, os perfis profissionais e os conteúdos abordados no campo curricular estejam pautados na compreensão da realidade em sua totalidade. Que sejam fundamentados teórica, metodológica e epistemologicamente nas teorias críticas da educação, e que expressem a coerência necessária para que se alcance as transformações esperadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Theóffillo da Silva Lopes, Universidade Federal da Paraíba e Prefeitura Municipal de João Pessoa, Brasil.

Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universsidade Federal da Paraíba, Doutorando pela mesma instituição e Professor na Prefeitura Municipal de João Pessoa. 

Francisco José Pegado Abílio, Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

Doutor em Ciências pela Universidade Federal de São Carlos e Professor na Universidade Federal da Paraíba. 

Referências

APPLE, Michael. Ideologia e currículo. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm. Acesso em: 19 de julho de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Resolução nº 2, de 15 de junho de 2012. Brasília: MEC, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica. Resolução nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Brasília: MEC, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial em Nível Superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Brasília: MEC, 2015.

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 2012.

ESTEBAN, Maria Paz Sandín. Pesquisa qualitativa em educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: AMGH, 2010.

FERRARI, Nadir; MAESTRELLI, Sylvia Regina Pedrosa; TORRES, Juliana Rezende. Educação ambiental crítico-transformadora no contexto escolar: teoria e prática freireana. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; TORRES, Juliana Rezende (Orgs.). Educação ambiental: dialogando com Paulo Freire.São Paulo: Cortez, 2014.

FRANCO, Maria Amélia do Rosário Santoro. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. 5. ed. Campinas: Editora Autores Associados, 2018.

FREIRE, Paulo. Conscientização. São Paulo: Cortez, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro. Paz e terra, 42 ed. 2005.

GILBERTO, Irene Jeanete Lemos; FRANCO, Maria Amélia do Rosário Santoro. Observatório da prática docente como espaço de reflexão sobre o currículo e os desafios das práticas. In: FRANCO, Maria Amélia do Rosário Santoro; GILBERTO, Irene Jeanete Lemos; CAMPOS, Elisabete Ferreira Esteves (Orgs.). Práticas pedagógicas: pesquisa e formação.. São Paulo: Edições Loyola, 2017.

GUIMARÃES, Mauro. A dimensão ambiental na educação. Campinas, SP: Papirus, 1995.

GUIMARÃES, Mauro. A formação de educadores ambientais. Campinas, SP: Papirus, 2004a.

GUIMARÃES, Mauro. Armadilha paradigmática na educação ambiental. In: CASTRO, Ronaldo Souza de; LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier (Orgs.). Pensamento complexo, dialética e educação ambiental. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

GUIMARÃES, Mauro. Educação Ambiental Crítica. In: LAYRARGUES, Philipe Pomier (coord.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004b.

JAPIASSU, Hilton. A atitude interdisciplinar no sistema de ensino. Revista Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 108, p. 83-94, jan./mar. 1992.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Muito além da natureza: educação ambiental e reprodução social. In: CASTRO, Ronaldo Souza de; LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier (Orgs.). Pensamento complexo, dialética e educação ambiental. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Prefácio: A dimensão freireana na Educação Ambiental. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; TORRES, Juliana Rezende (Orgs.). Educação ambiental: dialogando com Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2014.

LEFF, Enrique. Ecologia, capital e cultura: a territorialização da racionalidade ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

LEFF, Enrique. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: A pedagogia crítico-social dos conteúdos. 28. Ed. São Paulo: Edições Loyola, 1985.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Educação Ambiental: questões de vida. São Paulo: Cortez, 2019.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Problematizando conceitos: contribuição à práxis em educação ambiental. In: CASTRO, Ronaldo Souza de; LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier (Orgs.). Pensamento complexo, dialética e educação ambiental. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. Ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2017.

MASSON, Gisele. A importância dos fundamentos ontológicos nas pesquisas sobre políticas educacionais: contribuições do materialismo histórico-dialético. In: CUNHAS, Célio da; SOUSA, José Vieira de; SILVA, Maria Abádia da (Org.). O método dialético na pesquisa em educação. Campinas, SP: Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, UnB, 2014.

SACRISTÁN, José Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. Ed. Porto Alegre: Penso, 2017.

SOARES, Magda. As pesquisas nas áreas específicas influenciando o curso de formação de professores. In: ANDRÉ, Marli (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática de professores. 12. Ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

Downloads

Publicado

31-01-2023

Como Citar

LOPES, T. da S.; ABÍLIO, F. J. P. A DIMENSÃO AMBIENTAL NO CURRÍCULO DA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES/AS DA UFPB: um olhar crítico. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 1–22, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i1.61381. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/61381. Acesso em: 21 fev. 2024.