INFÂNCIA E CIDADANIA EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE SÃO MIGUEL DOS CAMPOS/AL

Prova Brasil e governamentalidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i1.62514

Palavras-chave:

Cidadania, Prova Brasil, Governamentalidade

Resumo

Esta investigação é de caráter qualitativa, desenvolvida em uma escola pública com o maior Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) municipal, situada na zona urbana do município de São Miguel dos Campos, Alagoas. Participaram da pesquisa, crianças de duas turmas do 5º ano do Ensino Fundamental em um ano de realização da Prova Brasil. Nosso objetivo foi observar como as crianças vão sendo orientadas/guiadas por uma lógica de desempenho, promovida por ações, estratégias e discursos performativos, que visam manter um IDEB elevado na escola, trazendo implicações para a formação da sua cidadania, marcada pela governamentalidade. Os resultados apontam que a concepção de cidadania das crianças, limita-se ao controle de suas condutas no cumprimento de deveres e auto responsabilização pelos resultados da Prova Brasil, enredando e cooptando a vida na escola e fora da escola, numa disputa por direitos, formando subjetividades das crianças para atender a uma racionalidade política do estado governamentalizado, alinhadas aos fins do ranqueamento do IDEB.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Karla de Oliveira Santos, Universidade Estadual de Alagoas, Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Alagoas e professora da mesma universidade.

Laura Cristina Vieira Pizzi, Universidade Federal de Alagoas, Brasil

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e professora da Universidade Federal de Alagoas.

 

Referências

ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

ARROYO, Miguel G. Descolonizar o paradigma colonizador da infância. SANTOS, Solange Estanislau dos. et. al. (orgs.). Pedagogias descolonizadoras e infâncias: por uma educação emancipatória. Maceió: EDUFAL: Imprensa Oficial Graciliano Ramos, 2018, p.27-57.

AVELINO, Nildo. Foucault, governamentalidade e neoliberalismo. RESENDE, Haroldo de. (org.). Michel Foucault: política: pensamento e ação. 1 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016, p.163-178.

BIESTA, Gert. Para além da aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. Tradução Rosaura Eichenberg. 1 ed. Belo horizonte: Autêntica Editora, 2017.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Infância e Maquinaria. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Políticas sociais, capital humano e infância em tempos neoliberais. RESENDE, Haroldo de (org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015, p.259-280.

DANELON, Márcio. A infância capturada: escola, governo e disciplina. In: RESENDE, Haroldo de (org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015, p.217-239.

DORNELLES, Leni Vieira. Infâncias que nos escapam: da criança na rua à criança cyber. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

FISCHMAN, Gustavo E.; HAAS, Eric. Cidadania. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 439-466, maio/ago. 2012. Disponível em: http://www.ufrgs.br/edu_realidade. Acesso em: 18 fev. 2021.

GALLO, Sílvio. “Ir junto”: os desafios de educar uma “infância maior”. SANTOS, Solange Estanislau dos. et. al. (orgs.). Pedagogias descolonizadoras e infâncias: por uma educação emancipatória. Maceió: EDUFAL: Imprensa Oficial Graciliano Ramos, 2018, p. 59-69.

GALLO, Sílvio; ASPIS, Renata Lima.Ensino de filosofia e cidadania nas “sociedades de controle”: resistência e linhas de fuga. Pro-Posições, Campinas, v. 21, n. 1 (61), p. 89-105, jan./abr. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pp/a/zD6PmbyJ9JnGLdhc974hfMg/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 27 dez. 2021.

KRAMER, Sonia. O papel social da Educação Infantil. [Livro eletrônico]. 2012. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/mre000082.pdf. Acesso em: 15 set. 2020.

LEMOS, Flávia Cristina Silveira. A UNESCO e o governo da infância por meio do capital social: problematizando práticas de segurança. RESENDE, Haroldo de (org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015, p.115-125.

MULLER, Verônica Regina. História de crianças e infâncias: registros, narrativas e vida privada. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

NASCIMENTO, Maria Letícia Barros Pedroso. Crianças sujeitos de direitos: destaques dos estudos da Infância. GOBBI, Marcia Aparecida; LEITE, Maria Cristina Stello; ANJOS, Cleriston Izidoro dos. Crianças, Educação e o Direito à Cidade. 1 ed. São Paulo: Cortez Editora, 2021, p. 47-61.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Da promessa de futuro à suspensão do presente: a teoria do capital humano e o Pisa na educação brasileira. 1 ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2020.

PIZZI, Laura Cristina Vieira. Currículo, subjetividade e cidadania no ensino fundamental: política para crianças. ALVES, Juliana Carla da Paz; PIZZI, Laura Cristina Vieira; ROCHA, Paula Rejane Lisboa (orgs.). Cidadania e poesia na escola essa rima cola. Maceió: EDUFAL, 2015, p.11-36.

POPKEWITZ, Thomas S. História do Currículo, regulação social e poder. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. (org.). O sujeito da educação: estudos focaultianos.8 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011, p.173-210.

RESENDE, Haroldo de. A infância sob o olhar da Pedagogia: traços da escolarização na Modernidade. In: RESENDE, Haroldo de (org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015, p.127-140.

SANTOS, Maria Walburga dos. Colonizações cotidianas: crianças e educação. SANTOS, Solange Estanislau dos. et. al. (orgs.). Pedagogias descolonizadoras e infâncias: por uma educação emancipatória. Maceió: EDUFAL: Imprensa Oficial Graciliano Ramos, 2018, p.147-163.

SARMENTO, Manuel Jacinto; FERNANDES, Natália; Tomás, Catarina.Políticas públicas e participação infantil. Educação, Sociedade & Culturas, nº 25, 2007, 183-206. Disponível em: https://www.fpce.up.pt/ciie/revistaesc/ESC25/ManuelJacintoSarmento.pdf. Acesso em: 19 fev. 2021.

SOUZA, Gisele. A criança em perspectiva: o olhar do mundo sobre o tempo infância. São Paulo: Cortez, 2007.

TEMER, Giovana Carmo. Acontecimento, poder e resistência em Michel Foucault. Cruz das Almas, BA:UFRB,2013.

TREVISAN, Gabriela. Cidadania infantil e participação política das crianças: interrogações a partir dos Estudos da Infância. DORNELLES, Leni Vieira; FERNANDES, Natália. Perspectivas sociológicas e educacionais em estudos da criança: as marcas das dialogicidades luso-brasileiras. Braga: CIEC. 2012. p. 84-105. Disponível em: http://www.ciecuminho.org/documentos/ebooks/2307/pdfs/2%20Inf%C3%A2ncia%20e%20cidadania/Cidadania%20infantil%20e%20participa%C3%A7%C3%A3o%20pol%C3%ADtica%20das%20crian%. Acesso em: 19 fev. 2021.

VEIGA-NETO, Alfredo. Por que governar a infância! In: RESENDE, Haroldo de (org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015, p.49-56.

VEIGA-NETO, Alfredo. Governamentalidade e Educação. Revista Colombiana de Educación, N.º 65. Bogotá, Colômbia. Segundo semestre de 2013, p.19-43. ISSN 0120-3916. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=413634077002. Acesso em: 20 jan. 2022.

Downloads

Publicado

25-01-2023

Como Citar

SANTOS, K. de O.; PIZZI, L. C. V. . INFÂNCIA E CIDADANIA EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE SÃO MIGUEL DOS CAMPOS/AL: Prova Brasil e governamentalidade. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 1–15, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i1.62514. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/62514. Acesso em: 29 set. 2023.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)