OS CÍRCULOS DIALÓGICOS INVESTIGATIVO-FORMATIVOS COMO POSSIBILIDADE DE AUTO(TRANS)FORMAÇÃO DOCENTE E DO CONTEXTO PROFISSIONAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i3.65727

Palavras-chave:

Círculos dialógicos, Auto(trans)formação docente, Projeto Político Pedagógico, Educação Infantil

Resumo

Este artigo faz parte da pesquisa do Mestrado Profissional do PPGE/UFSM. O estudo objetivou: (i) promover Círculos Dialógicos Investigativo-Formativos em uma EMEF, na perspectiva de processos auto(trans)formativos à Educação Infantil no Projeto Político-Pedagógico; (ii) elaborar, no decorrer dos Círculos, Elementos Orientadores para a [re]significação do PPP. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa (MINAYO, 2009) e análise documental. Realizou-se os Círculos Dialógicos (HENZ, 2015) e a hermenêutica filosófica (HERMANN, 2002) para interpretação dialógica. O referencial teórico está embasado nos marcos legais, em (IMBERNÓN, 2011), (FREIRE, 2021) entre outros. Como resultado foram criados os Elementos a partir da dialogicidade das coautoras: objetivos da EI; concepção de EI, criança, infância, inclusão e proposta pedagógica; organização dos tempos e espaços; avaliação e formação em contexto. Constatou-se que por meio dos Círculos Dialógicos ocorreu a auto(trans)formação docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rita de Cássia Borges, Universidade Federal de Santa Maria, Brasil.

Graduada em pedagogia pela Universidade Franciscana e professora da Rede Municipal de Educação de Santa Maria.

Tatiane Peixoto Isaia, Universidade Federal de Santa Maria, Brasil.

Mestra em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria  e professora da mesma instituição.

Elisiane Machado Lunardi, Universidade Federal de Santa Maria, Brasil.

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e professora da Universidade Federal de Santa Maria.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/. Acesso em: 25/06/2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2017. Disponível em: http://www.basenacionalcomumcurricular.mec.gov.br. Acesso em: 01/08/2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CEB nº 20/2009 de 11 de novembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF: CNE, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido.78. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2021.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método: Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Editora Vozes: Petrópolis, RJ. 1997.

Gil, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2022.

HENZ, Celso Ilgo; TONIOLO, José Medianeira. (Org.). Dialogus: círculos dialógicos, humanização e auto(trans)formação de professores. São Leopoldo: Oikos, 2015.

HERMANN, Nadja. Hermenêutica e Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

IMBERNÓN, Francisco. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9º. ed. São Paulo: Cortez, 2011(Coleção questões da nossa época; v. 14).

JOSSO, Marie Chistine. Caminhar para si. Porto Alegre: Artmed, 2010.

KRAMER. Sônia. Profissionais de Educação Infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática, 2005.

KRAMER. Sônia. Propostas pedagógicas ou curriculares: subsídios para uma leitura crítica. Educação e Sociedade, ano XVIII, n. 60, dez. 1997 DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73301997000300002

KRAMER, Sônia; PENA, Alexandra; TOLEDO, Maria Leonor; BARBOSA, Sílvia Néli. (Org.). Ética: pesquisa e práticas com crianças na educação infantil. Campinas, SP: Papirus, 2019.

LUNA, Sérgio Vasconcelos. Planejamento de pesquisa: uma introdução. São Paulo: EDUC, 2002. Série Trilhas.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; SUELI, Ferreira Deslandes; ROMEU, Gomes. Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia. Associação Criança – um contexto de formação em contexto. Braga: Livraria Minho, 2001.

OSTERMANN, Fernanda; REZENDE, Flávia. (2009). Projetos de desenvolvimento e de pesquisa na área de ensino de Ciências e Matemática: uma reflexão sobre os Mestrados Profissionais. Caderno Brasileiro do Ensino de Física. 26, 66-80. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7941.2009v26n1p66

Disponívelem: https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/6433/5759 Acesso em: 28/01/2023.

PROENÇA, Maria Alice. Prática docente: a abordagem de Reggio Emilia e o trabalho com projetos, portfólios e redes formativas. 1ª. ed. São Paulo: Panda Educação, 2018.

RINALDI, Carla. Diálogos com Reggio Emília: escutar, investigar e aprender. Tradução de Vania Cury. 10º ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2020.

SANTA MARIA. Resolução nº 29 de 12 de setembro de 2011. Estabelece normas para a elaboração do Projeto Político Pedagógico e do Regimento Escolar no Sistema Municipal de Ensino de Santa Maria – RS. Disponível em: https://www.santamaria.rs.gov.br/smed/?secao=documentos&tipo=41. Acesso em: 01/09/2020.

SANTA MARIA. Resolução nº 30 de 21 de novembro de 2011. Define Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil no Sistema Municipal de Ensino de Santa Maria – RS. Disponível em:https://www.santamaria.rs.gov.br/smed/?secao=documentos&tipo=41. Acesso em: 01/12/2021.

SANTA MARIA. Resolução nº 47 de 02 de agosto de 2022. Define Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil no Sistema Municipal de Ensino de Santa Maria – RS. Disponível em: https://www.santamaria.rs.gov.br/smed/?secao=documentos&tipo=41. Acesso: 30/09/2022.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA. Projeto Pedagógico de Curso Mestrado profissional em Políticas Públicas e gestão educacional. Santa Maria, RS: UFSM, 2015.

VASCONCELLOS, Celso dos S. Coordenação do trabalho pedagógico: do projeto político-pedagógico ao cotidiano da sala de aula. São Paulo: Libertad, 2002.

Downloads

Publicado

21-06-2023

Como Citar

BORGES, R. de C.; ISAIA, T. P. .; LUNARDI, E. M. . OS CÍRCULOS DIALÓGICOS INVESTIGATIVO-FORMATIVOS COMO POSSIBILIDADE DE AUTO(TRANS)FORMAÇÃO DOCENTE E DO CONTEXTO PROFISSIONAL. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 3, p. 1–15, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i3.65727. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/65727. Acesso em: 24 abr. 2024.