UMA ALTERNATIVA CURRICULAR NO CONTEXTO ESCOLAR BRASILEIRO: A Pedagogia Waldorf e a Integralidade do Conhecimento e do Ser

  • Caricelma Aparecida Lima Albuquerque e Silva UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA (UFPB)
  • Nayara Tatiana Santos da Costa UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE (UFCG).

Resumo

O presente trabalho trata sobre a educação e a integralidade do ser, no qual suscita-se a reflexão sobre como esta temática pode abrir caminhos alternativos para se pensar a noção e os desafios da formação humana. Como um desses caminhos, apresentamos a Pedagogia Waldorf, partindo da intenção de saber se a mesma contempla a integralidade do ser em sua proposta curricular. Portanto, objetivamos compreender como a integralidade humana aparece na proposta curricular da educação infantil na Escola Waldorf Recife e, para isso, conceituamos a integralidade humana a partir das ideias de Edgar Morin, descrevemos os princípios e fundamentos da Pedagogia Waldorf e investigamos como a integralidade é abordada na proposta curricular da educação infantil da referida escola. O percurso metodológico possui natureza qualitativa, do tipo exploratória, cujos dados foram construídos através de análise documental apoiada pela observação sistemática como instrumento de coleta de dados. A pesquisa evidenciou que a integralidade do ser aparece na proposta curricular da Pedagogia Waldorf plenamente harmonizada com o Paradigma Complexo, superando a fragmentação do conhecimento e do ser, harmonizando-se com a crítica à supervalorização da racionalidade, defendida por Edgar Morin.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caricelma Aparecida Lima Albuquerque e Silva, UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA (UFPB)
Concluinte em Pedagogia pela Universidade Federal da Paraíba. Assistente Administrativo Educacional - Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco.
Nayara Tatiana Santos da Costa, UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE (UFCG).
Professora Doutora da Unidade Acadêmica de Física e Matemática-UAFM, do Centro de Educação e Saúde - CES– UFCG.

Referências

REFERÊNCIAS

ALTHUSSER, L. Aparelhos Ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

ARRUDA, H. M. A. [et. al.]. A concepção de Ser Humano e Educação a partir de um olhar antroposófico: A Pedagogia Waldorf. Recife: UFPE, 2007.

BRAVO, R. S. Técnicas de investigação social: Teoria e exercícios. 7 ed. Ver. Madrid: Paraninfo, 1991.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. A reprodução: Elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Lei nº 13.415 de 16 de fevereiro de 2017. Brasília, DF, 2017. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13415.htm. Acesso em 15/06/2017.

_________. Ministério de Educação e Cultura. LDBEN - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília : MEC, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em 15/06/17.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. 8. Ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: MEC: UNESCO, 2003.

EMANUEL, T. C. O. A Pedagogia Waldorf. In.: BELLO, José Luiz de Paiva. Pedagogia em Foco. Rio de Janeiro, 2002.

ENRIQUEZ, E. Instituições, Poder e "Desconhecimento". In. ARAÚJO, I.N.G. e CARRETEIRO, T. C. (Org). Cenários Sociais e Abordagem Clínica. SP – Escuta, 2001.

ESCOLA WALDORF RECIFE. Projeto Político Pedagógico. Recife, 2017.

FEDERAÇÃO DAS ESCOLAS WALDORF NO BRASIL. Fontes, Históricos e Princípios da Pedagogia Waldorf. 1998. Disponível em: http://www.sab.org.br/fewb/pw3.htm. Acesso em 28/06/17.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

_________. Educação como Prática da Liberdade. 26. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002a.

_________. Pedagogia do Oprimido. 35. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003c.

FREIRE, P. S. Educação e Integralidade: o conceito de integralidade no pensamento pedagógico de Edgar Morin, Paulo Freire e Leonardo Boff. Recife: UFPE, 2014.

GARCIA, P. B. Paradigmas em crise e a educação. In: BRANDÃO, Zaia (Org.). A crise dos paradigmas e a educação. São Paulo: Cortez, 2005.

GADOTTI, M. Educação e poder: Introdução à pedagogia do conflito. São Paulo: Cortez, 2005.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOMES-DA-SILVA, P. N. Educação Física pela Pedagogia da Corporeidade: um convite ao brincar. Curitiba: CRV, 2016, p.65

LAMEIRÃO, L. H. T. Criança brincando! Quem a educa? Ed. João de Barros, 2007.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos metodologia científica. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2001.

LANZ, R. A Pedagogia Waldorf: Caminho para um ensino mais humano. 11. ed. São Paulo: Antroposófica, 2013.

_________. Noções Básicas da Antroposofia. 7. ed. São Paulo: Antroposófica, 2005.

_________. A Pedagogia Waldorf. São Paulo: Editora Antroposófica, 1990.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

MORIN, E. A noção de Sujeito. In: SCHNITMAN, Dora Fried (Org.) Novos Paradigmas, cultura e subjetividade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996c, 45- 57 p.

__________. O Homem e a Morte.Tradução de Cleone Augusto Rodrigues. Rio de Janeiro: Imago Ed., 1997c, 356 p. In: CASTRO, Gustavo (Org.) Ensaios de Complexidade. Porto Alegre: Sulina,1997d, 15-24 p.

______. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Trad. Eloá Jacobina. 5 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

________. O método 1: a natureza da natureza. Trad. de Ilana Heineberg. Porto Alegre: Sulina; 2002d

_________. Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya; revisão técnica de Edgard de Assis Carvalho. 2. Ed. São Paulo : Cortez ; Brasília, DF : UNESCO, 2000.

______. Complexidade e Transdiciplinaridade. A reforma da universidade e do ensino fundamental. Natal: EDUFRN, 2000b.

MORAES, M. C. O Paradigma Educacional Emergente. 10ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2010.

MOREIRA, A. F. B. Currículo, diferença cultural e diálogo. Educação & Sociedade, n. 79, p. 15-38, 2002.

RICKLI, R. Escola Nova, Teosofia, UNESCO e Pedagogia Waldorf: um enredo novelesco e suas possíveis lições. 2010. Disponível em: http://www.tropis.org/biblioteca/escolanovaoculta.pdf. Acesso em 26/02/17.

RICHTER, T. Objetivo pedagógico e metas de ensino de uma escola Waldorf. São Paulo: Federação das Escolas Waldorf no Brasil, 2002. 401p.

SAVIANI, D. Histórias das Ideias Pedagógicas no Brasil. Campinas-SP: Autores Associados, 2007.

SELLTIZ, C.; WRIGHTSMAN, L. S.; COOK, S. W. Métodos de pesquisa das relações sociais. São Paulo: Herder, 1965.

STEINER, R. Anthroposophische Leitsätze, Dornach, 17/02/1924 (GA 26). (Tradução de V.W.Setzer. Disponível em: http://www.sab.org.br/antrop/ANmainFrame.htm. Acesso em 28/06/17.

UNESCO. Pedagogia Waldorf: catálogo para a exposição apresentada por ocasião da 44ª reunião da Conferência Internacional de educação da UNESCO em Genebra / 3-8 de outubro de 1994. Stuttgart, Alemanha: Freunde der Erziehungskunst Rudolf Steiners, 1994.

ULLRICH, H. Rudolf Steiner. Em Prospects: the quarterly review of comparative education. UNESCO: International Bureau of Education, Paris, vol. XXIV, n.3/4, 1994, p. 555-572. Disponível em http://www.ibe.unesco.org/sites/default/files/steinere.pdf. Acesso em 26/06/2017.

ZIEGLER, S. S. Educação Ambiental e a Pedagogia Waldorf: estudo comparativo do processo de ambientalização da educação em três escolas em diálogo com os princípios steinernianos. Joao Pessoa: UFPB, 2017.

Publicado
2018-08-31
Como Citar
ALBUQUERQUE E SILVA, C. A. L.; COSTA, N. T. S. DA. UMA ALTERNATIVA CURRICULAR NO CONTEXTO ESCOLAR BRASILEIRO: A Pedagogia Waldorf e a Integralidade do Conhecimento e do Ser. Revista Espaço do Currículo, v. 2, n. 11, 31 ago. 2018.