CURRÍCULO COMUM PARA O ENSINO FUNDAMENTAL DE BAURU-SP: EM BUSCA DE ARTICULAÇÃO ENTRE CONTEÚDO E FORMA

  • Silvana Galvani Claudino-Kamazaki Faculdade de Ciências e Letras - UNESP Araraquara
  • Flávia da Silva Ferreira Asbahr Faculdade de Ciências da UNESP, Campus de Bauru
  • Afonso Mancuso de Mesquita Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus Marília

Resumo

O currículo se constitui como uma ferramenta de luta e resistência política e social em defesa de uma educação gratuita, crítica, laica e de qualidade que promova, para além da aparência, o desenvolvimento psíquico e social dos(as) estudantes. Sob esta perspectiva, este artigo traz uma breve retrospectiva da construção coletiva do Currículo Comum de Ensino Fundamental de Bauru (SP), caracterizado como um processo democrático de reflexão e elaboração de um currículo dotado de um posicionamento político de defesa da educação como propulsora do desenvolvimento humano e da escola como o local legítimo para o ensino das formas mais elaboradas de ciência, arte e filosofia a fim de possibilitar a emancipação humana. Com base nestes pressupostos teóricos da Psicologia Histórico-Cultural, da Pedagogia Histórico-Crítica e do esclarecimento sobre o que ensinar, problematiza a finalidade do ato educativo - para quê ensinar – com vistas à unidade conteúdo-forma, destacando a transformação das consciências pela via do desenvolvimento do pensamento teórico e da organização dos coletivos infantis. Por fim, elenca alguns desafios para a materialização, na prática pedagógica, de um currículo dessa natureza, enfatizando a necessidade de instrumentalização da atividade docente nesta perspectiva, ou seja, a necessidade de viabilizar a apropriação dos conteúdos do currículo que possibilite a articulação entre teoria e prática com vistas à humanização dos atores escolares, finalidade última de um currículo fundamentado nesta perspectiva teórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvana Galvani Claudino-Kamazaki, Faculdade de Ciências e Letras - UNESP Araraquara

Possui graduação em Licenciatura Plena em Psicologia e formação de psicólogo(UNESP/Bauru). Mestra em Educação (UFPR) e Doutoranda em Educação Escolar (FCL-UNESP Araraquara); Docente substituta em Psicologia Escolar e Supervisora de estágio em Psicologia e Educação (UNESP/Bauru)

 

Flávia da Silva Ferreira Asbahr, Faculdade de Ciências da UNESP, Campus de Bauru
Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem, da Faculdade de Ciências da UNESP, Campus de Bauru e Professora assistente do departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem, da Faculdade de Ciências, UNESP-Bauru. É Doutora em Psicologia pelo programa de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano do Instituto de Psicologia (USP), com estágio de doutorado sanduíche na Universidad Carlos III de Madrid. Possui graduação em psicologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2000) e mestrado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (2005). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Escolar, atuando principalmente nos seguintes temas: psicologia histórico cultural, teoria da atividade, atividade pedagógica, projeto político pedagógico, formação de professores e relação sentido e significado na constituição da consciência humana. É membro do GEPAPE (Grupo de estudos e pesquisas sobre a atividade pedagógica - FEUSP) e do LIEPPE (Laboratório Interinstitucional de estudos e pesquisas em Psicologia escolar - IPUSP)
Afonso Mancuso de Mesquita, Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus Marília
Possui graduação em Licenciatura Plena em Psicologia e formação de psicólogo pela Faculdade de Ciências (FC) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp). Mestre em Educação Escolar pela Faculdade de Ciências e Letras (FCL-Unesp) de Araraquara, desde 2010, tendo sido a pesquisa fomentada pelo CNPq. É doutor em Educação pela Faculdade de Filosofia e Ciências da Unesp-Marília. Tem experiência em formação de professores, na área de psicologia da educação. Atualmente é docente do curso de psicologia do Instituto Municipal de Ensino Superior de São Manuel (IMESSM). É membro do Grupo de Estudos em Psicologia Concreta (GEPCO), grupo de pesquisa cadastrado no CNPq

Referências

AMARAL, C.C.F. A significação do conceito matemático de área expressa por estudantes proveniente de uma atividade orientadora de ensino. 2018. Dissertação (Mestrado em docência para educação básica) – Unesp, Faculdade de ciências, Bauru-SP, 2018.

DAVYDOV, V.; MÁRKOVA, A. La concepción de la actividad de estudio de los escolares. In: DAVYDOV, Vasili; SHUARE, Marta. La psicología evolutiva y pedagogica en la URSS: antología. Moscú: Editorial Progresso, 1987. p. 316-337.

DERISSO, J.L. Luta de Classes, Trabalho Docente e Pedagogia Histórico-Crítica na Educação Escolar in Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 5, n. 2, p. 47-58, dez. 2013.

GAMA, C. N. Princípios curriculares à luz da pedagogia histórico-crítica: as contribuições da obra de Saviani. Tese (Doutorado em educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

MALANCHEN, J. Cultura, Conhecimento e currículo: contribuições da pedagogia histórico-crítica. Campinas: Autores Associados, 2016.

MARX, K. O Capital: Crítica da Economia Política. Livro Primeiro: o processo de produção do Capital. Tomo 1. 2a. edição. Abril Cultural, São Paulo, 1985.

MESQUITA, A. M. FANTIN, F.C.B. ASBAHR, F. F.S. (Org.) Currículo Comum para o Ensino Fundamental. 2ed.Bauru: Prefeitura Municipal de Bauru, 2016.

OLIVEIRA, B. O trabalho educativo: reflexões sobre paradigmas e problemas do pensamento pedagógico brasileiro. Campinas, SP: Autores Associados, 1996.

PASQUALINI, J.C. Contribuição ao debate sobre o problema da preparação para a Escola de Ensino Fundamental na Educação Infantil. Teoria e Prática da Educação, v. 17, p. 93-106, 2014.

PASQUALINI, J.C.; TSUHAKO, Y. N. (Org.). Proposta pedagógica da Educação Infantil do Sistema Municipal de Ensino de Bauru/SP. 1ed.Bauru: Secretaria Municipal de Educação-Bauru, 2016, v. 1, p. 723-733.

RUBTSOV, V. V. A atividade de aprendizado e os problemas referentes à formação do pensamento teórico dos escolares. In.: GARNIER, C.; BERNARZ, N.; ULANOVSKAYA, I. Após Vygotsky e Piaget: perspectivas social e construtivista - escolas russa e ocidental. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 1996, p. 129-137.

SANTOS, S.M.P. Sentidos e significados do conceito de divisão provenientes da atividade orientadora de ensino. 2016. Dissertação (Mestrado em docência para educação básica) – Unesp, Faculdade de ciências, Bauru/SP 2016.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo, Cortez; Autores Associados, 1980.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica: Primeiras aproximações. 9a. edição - Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

SAVIANI, D. A Materialidade da Ação Pedagógica e os Desafios da Pedagogia Histórico-Crítica in Pedagogia Histórico-Crítica: Primeiras aproximações. 9a. edição - Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2010.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico Crítica: Primeiras Aproximações. 11ª. ed. Ver. 1ª. reimpr - Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

VIEIRA PINTO, A. Sete lições sobre Educação de Adultos. 11a. edição. Cortez. São Paulo/SP, 2000.

ZAMONER, A. Contribuições da Teoria Histórico-Cultural para o currículo escolar. Anais da X ANPED SUL. Florianópolis, outubro de 2014.

Publicado
2018-08-31
Como Citar
CLAUDINO-KAMAZAKI, S. G.; ASBAHR, F. DA S. F.; MESQUITA, A. M. DE. CURRÍCULO COMUM PARA O ENSINO FUNDAMENTAL DE BAURU-SP: EM BUSCA DE ARTICULAÇÃO ENTRE CONTEÚDO E FORMA. Revista Espaço do Currículo, v. 2, n. 11, 31 ago. 2018.