CURSOS DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS NA BAHIA: diálogos entre UFBA, UNIVASF e UFOB

Palavras-chave: Currículo, formação de professores de Artes Visuais, Arte/Educação.

Resumo

Este texto busca descrever e aprofundar relações de construção dos currículos das licenciaturas em Artes Visuais na Bahia, tendo como foco encontros e discussões assim como entendimentos conceituais sobre o que vem a ser o currículo desde as Diretrizes Curriculares Nacionais homologadas em 2015. Por fim, busca tecer laços interinstitucionais entre UFBA, UNIVASF e UFOB na revisão sobre a formação de professores de Artes Visuais no estado, de forma não somente a atender perspectivas contemporâneas, mas de promover um espaço amplo de formação que reflita como caminho crítico no exercício e na responsabilidade da formação de docentes para espaços formais e não-formais de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Maria de Brito Pedrosa Vasconcelos, Universidade Federal do Vale do São Francisco
Doutora em Educação Artística pela Universidade do Porto - Portugal, bolsista CAPES Doutorado Pleno no Exterior. Diplomação reconhecida no Doutorado em Arte e Cultura Visual da Universidade Federal de Goiás - UFG. Mestra em Artes Visuais - UFPB/UFPE, linha: Ensino das Artes Visuais no Brasil, com pós Lato sensu em Arte-Educação e Língua Portuguesa pela Universidade Regional do Cariri - URCA, graduada em Artes Plásticas com habilitação para o ensino de Arte pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE.

Referências

BOITO JUNIOR, Armando. Os atores e o enredo da crise política. In: JINKINGS, Ivana; DORIA, Kim; CLETO, Murilo. (Org.). Por que gritamos golpe? Para entender o impeachment e a crise política ano Brasil. São Paulo: Boitempo, 2016.

CURY, Carlos Roberto Jamil.; REIS, Magali. e ZANARDI, Teodoro Adriano Costa. Base Nacional Curricular Comum: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e terra, 1996.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Aula inaugural no College de France, pronunciada em 2 de Dezembro de 1970. São Paulo: Edições Loyola, São Paulo, 2004.

______. Microfísica do poder. Tradução Roberto Machado. 24. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2007.

GIROUX, Henry. Qual o papel da pedagogia crítica nos estudos de língua e de cultura? Entrevista com Henry A. Giroux. In: Revista Crítica de Ciências Sociais. n., 73, p. 131-143. dez. 2005. Entrevista concedida a Manuela Guilherme. Disponível em: . Acesso em: 15 de dezembro de 2016.

ILLICH, Ivan. Sociedade sem escolas. São Paulo: Vozes, 1985.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação. Resolução Nº 2, de 1 de julho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. DCN´s. 2015. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/mais-educacao/323-secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/21028-resolucoes-do-conselho-pleno-2015>, acesso em 08 de dezembro de 2015.

NASCIMENTO, Erinaldo Alves do. Mudanças nos nomes da arte na educação: qual infância? que ensino? quem é o bom sujeito docente?. 255f. (Doutorado em Arte Educação), Universidade de São Paulo. São Paulo, 2005.

NETO, José Henrique Duarte. A práxis curricular nos cursos de formação de professores da Educação Básica: a epistemologia da prática e a construção do conhecimento escolar. Tese de Doutorado em Educação. Doutorado em Educação Universidade Federal de Pernambuco. Recife, PE: 2010. 330 fls.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento; Justificando, 2017.

SACRISTÁN, J. Gimeno. O currículo: uma reflexão sob a prática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

SÁNCHEZ, Adolfo Vázquez. A tiempo y destiempo. Antología de ensayos. México: FCE, 2003.

SILVA, Clarissa Santos. Arte, tecnologia e formação docente: reverberações nos currículos das licenciaturas em Artes Visuais da Região Nordeste. 243f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais. Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, Santa Catarina. 2017.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Teoria cultural e educação: um vocabulário crítico. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

______. Documentos de Identidade: Uma Introdução às Teorias de Currículo.Editora Autêntica, 2010.

VASCONCELOS, Flávia Maria de Brito Pedrosa. Designare: pontes artístico/educativas na formação docente em Artes Visuais. Lisboa: Chiado editora, 2015.

VAZQUEZ, Adolfo Sanchez. Filosofia da Práxis. 2a edição. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1977.

ZANELLA, Andréa Vieira. Escolarização formal e cidadania: possíveis relações, relações possíveis? In: SILVEIRA, Andréa. F., et al., org. Cidadania e participação social [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008. pp. 84-91

Publicado
2019-10-03
Como Citar
PEDROSA VASCONCELOS, F. M. DE B. CURSOS DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS NA BAHIA: diálogos entre UFBA, UNIVASF e UFOB. Revista Espaço do Currículo, v. 12, n. 3, 3 out. 2019.