ANDARILHAR PELOS GUETOS CURRICULARES

éticas, estéticas, poéticas nos ‘espaçostempos’ das cidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i2.67277

Palavras-chave:

Artefatos curriculares, Cidades, Cotidianos escolares

Resumo

Este artigo tem por interesse apresentar parte dos resultados de um projeto realizado com crianças matriculadas em uma instituição pública de ensino no Estado do Rio de Janeiro. Considerando a escola como o ‘espaçotempo’ de ‘fazerpensar’ com as crianças  diversas formas de ser e estar no mundo, sendo atravessados pelas poéticas dos guetos, pelo gingado das ruas, pelas artes dos centros e das periferias. Nesse caminho, este estudo visa desenvolver uma relação de pertencimento com a cidade onde a escola está situada, a partir de conversas, fotografias, desenhos, passeios, buscaremos (re)conhecer lugares, identificando suas características culturais, éticas, poéticas, estéticas e sociais, buscando articulações entre nossas vivências na cidade. Os resultados indicam que os estudantes desenvolveram relação de pertencimento estabelecendo outros vínculos com o lugar onde moram a partir das situações partilhadas nas andanças pela cidade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rafaela Rodrigues da Conceicao, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Mestra em Educação pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e doutoranda pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Maristela Petry Cerdeira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Mestra em Educação pela Universidade Federal do Paraná e doutoranda pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Maria Cecília Sousa de Castro, Universidade Federal Fluminense, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professora da Universidade Federal Fluminense.

Referências

ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho – os cotidianos das escolas nas lógicas das redes cotidianas. Em: Oliveira, I.; ALVES, N. (Ed.). Pesquisa nos/dos/com os cotidianos das escolas. Petrópolis/RJ: DP etal. 2001a. p. 13-38.

ALVES, Nilda. Imagens das escolas: sobre redes de conhecimentos e currículos escolares. Educar, Curitiba, n. 17, p. 53-62. 2001b. Editora da UFPR.

ALVES, Nilda; FERRAÇO, Carlos Eduardo; Soares, Maria da Conceição Silva. Michel de Certeau e as pesquisas nos/dos/com os cotidianos em educação no Brasil. Pedagogía y Saberes. Universidad Pedagógica Nacional Facultad de Educación. 2017, pp. 7-17 No. 46

ALVES, Nilda. Sobre as redes educativas que formamos e que nos formam. In Alves, Nilda. Práticas pedagógicas em imagens e narrativas – memórias de processos didáticos e curriculares para pensar as escolas hoje. S. Paulo: Cortez, 2019: 115 – 133.

BONAFÉ, Jaume Martínez. El discurso de la ciudad como curriculum de la vida cotidiana. Revista Vagalumear, v. 02, n. 02, 2022, p. 06-14

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. 1 ed. Trad. Diogo Mainardi. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CASTRO, Maria Cecília Souza de. Andanças e migrações: conversas com os 'praticantespensantes' e com os currículos e os cotidianos escolares. 2023 (tese de doutorado).

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Trad. Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs 1: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, 1995.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a Filosofia? 3.ed. Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. São Paulo: Editora 34, 2010.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

HARVEY, David. Espaços de esperança. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

HARVEY, David. Cidades Rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

INGOLD, Tim. Linhas – uma breve história. Petrópolis/RJ: Vozes, 2022.

LEFEBVRE, Henri. O Direito à cidade. Trad. Rubens Eduardo Frias. 5. ed. São Paulo: Centauro, 2001.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

LOPES, Jader Janer Moreira; GUIMARÃES, Iara Vieira. As experiências espaciais das crianças no espaço urbano. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, v. 35, n. 73, p. 307-325, jan./fev. 2019

MACHADO, Antonio. Proverbios y cantares. PRIETO, Melquíades. Antología de la poesía española e hispanoamericana. 3 ed. Madrid: EDAF, 2005.

ORLANDI, Eni. Cidade dos Sentidos. Campinas: Pontes Editores, 2004.

OLIVEIRA, I. de. Currículos e pesquisas com os cotidianos: o caráter emancipatório dos currículos ‘pensadospraticados’ pelos ‘praticantespensantes’ dos cotidianos das escolas. Em: C. E. Ferraço & J. Magalhães Carvalho (Ed..). Currículos, pesquisas, conhecimentos e produção de subjetividades. Petrópolis: DP et Alli. 2012. pp. 47-70.

SCEGO, Igiaba. Minha casa é onde estou. São Paulo: Editora Nós, 2018.

SISSAKO, Abderrahmane. A vida sobre a Terra. La vie sur Terre. Mali: 1998. Duração 61 minutos.

SIMAS, Luiz Antonio. O corpo encantado das ruas [recurso eletrônico] / Luiz Antonio Simas. - 1. ed. - Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 2019.

Downloads

Publicado

31-08-2023

Como Citar

CONCEICAO, R. R. da; CERDEIRA, M. P. .; CASTRO, M. C. S. de. ANDARILHAR PELOS GUETOS CURRICULARES: éticas, estéticas, poéticas nos ‘espaçostempos’ das cidades. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 1–14, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i2.67277. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rec/article/view/67277. Acesso em: 14 jul. 2024.