Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A identificação de autoria deste trabalho foi removida do arquivo e da opção Propriedades no Word, garantindo desta forma o critério de sigilo da revista conforme instruções disponíveis em Assegurando a Avaliação por Pares.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato .doc ou .docx.
  • URLs para as referências foram informadas quando possível.
  • O texto foi elaborado no template da revista.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.

Diretrizes para Autores

A Revista Espaço do Currículo - REC passou a adotar a PUBLICAÇÃO EM FLUXO CONTÍNUO, seguindo a tendência das publicações científicas. Com a aplicação do fluxo contínuo, todas as edições do ano corrente permanecerão abertas (In progress). À medida que os artigos forem aceitos e diagramados, serão inseridos na edição que ainda não estiver completa.

1. A Revista Espaço do Currículo não cobra taxas para submissão e publicação de artigos.

2. A Revista Espaço do Currículo (REC) aceita textos para publicação nas seguintes modalidades:

I Artigos

Descrição: entende-se por artigo científicos produções resultantes de pesquisas empíricas e análises sobre políticas e práticas curriculares que centram sua discussão na área da Educação, especificamente os estudos sobre o currículo.

II Ensaios

Descrição: por ensaios compreende-se os estudos e debates teóricos e/ou metodológicos sobre o estado da arte acerca de temáticas voltadas ao campo da Educação, como ênfase nas Políticas e Práticas Curriculares.

III. Resenhas

Descrição: são consideradas resenhas textos que privilegiam as obras (livros, coletâneas, filmes e documentários) de relevância na área da Educação, com ênfase nos estudos das políticas e práticas curriculares.

IV Entrevistas

Descrição: nessa modalidade estão contempladas as produções com autores, autoridades reconhecidas no campo acadêmico, dirigentes de movimentos organizados, artistas e outras personalidades que contribuem para o debate da área de educação, com foco no estudo das Políticas e Práticas Curriculares.

V Informes de publicações

Descrição: espaço para socialização de Monografias, Dissertações, Teses, livros, filmes, documentários e outras obras na área de Educação, em especial as que possuem foco nas Políticas e Práticas Curriculares.

3. Os textos em português, espanhol ou inglês, devem ser inéditos. Relatos de pesquisa ou experiência devem ser transformados em artigos para publicação nessa revista científica, conforme as diretrizes da REC.

4. Os trabalhos recebidos para publicação são submetidos à seleção prévia do editor científico da seção a que se destina o texto. As seções estão circunscritas às seguintes temáticas: Políticas de currículo e formação em administração e gestão educacional; Diversidade(s) e diferença(s) no(s) currículo(s); Demanda Contínua, Resenhas, Entrevistas e Informes de Publicação, entre outras seções temáticas que possam estar abertas.

5. A seleção dos artigos para publicação toma como referência sua contribuição aos estudos curriculares, dentro da linha editorial da revista. Também são fundamentais a originalidade do tema ou do tratamento dado ao assunto, a consistência e o rigor da abordagem teórica-metodológica e a qualidade do texto.

6. Os arquivos dos textos devem ser encaminhados somente mediante cadastro realizado por meio do site da revista (https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/index).

7. Todos os dados de identificação dos autores deverão ser, OBRIGATORIAMENTE, digitados diretamente nos campos apropriados da página de cadastramento do artigo e do/a(s) autor/a(s) no sistema, incluindo nome completo do/a autor/a ou autores/as, ORCID ID, e-mail e uma breve descrição do currículo, no máximo três linhas, que deve conter maior titulação e filiação institucional.

8. Devem ser anexados dois arquivos do manuscrito: um sem nenhuma informação que possa identificar os autores e outro identificado.

9. Os manuscritos submetidos, quando derivados de estudos que envolvem seres humanos, devem obrigatoriamente ter sido aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa, conforme preconizam as diretrizes e normas da Resolução 510/16. Os autores deverão inserir a cópia digitalizada da declaração de aprovação do Comitê de Ética em pesquisa da instituição como documento complementar.

10. Os manuscritos devem ter no máximo três autores.

11. Pelo menos um dos autores do texto deve possuir o título de Doutor.

12. Os arquivos para submissão devem estar no formato .doc ou .docx e não devem ultrapassar os 2 Mb.

13. A REC possui um modelo para o envio dos arquivos, o qual pode ser encontrado abaixo. É obrigatório seu uso para a adequação do artigo às normas da Revista.

- Template para Artigos e Ensaios

14. A modalidade a qual o texto se enquadra (Artigo, Ensaio, Resenha, Entrevista ou Informes de publicação) deve ser mencionada nos comentários ao editor.

15. No caso de detecção ou suspeita de plágio, redundância (publicação dupla), dados fabricados, conflitos de interesse ou problemas éticos (por exemplo, violação de patentes protegidas, experimentos com animais ou humanos sem o devido rigor ético), antes ou após a publicação dos manuscritos, os editores da Revista tomarão medidas de acordo com as diretrizes recomendadas pelo Comitê de Ética em Publicações (COPE), fornecendo oportunidade para que autores respondam as eventuais reclamações/denúncias, mantendo arquivada toda documentação referente ao caso.

Questões éticas

1. A Revista Espaço do Currículo tem compromisso com as questões éticas inerentes ao processo de avaliação e publicação dos artigos, resenhas, ensaios, informes, ou qualquer outro texto que seja veiculado por esse periódico. Seguimos as recomendações, decisões e procedimentos do Comitê de Ética e de outros documentos, a saber:

a) Resolução CNS nº 466/2012 (Ética na Pesquisa com seres humanos);

b) Resolução CNS nº 510/2016 (Ética na Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais);

c) Documento do CNPq – Ética e integridade na prática científica;

d) Documento Ética e Pesquisa em Educação - v. 1 (Anped).

2. Princípios e procedimentos éticos adotados:

a) Quanto aos textos

  • Os autores são responsáveis pelo conteúdo de seus manuscritos, assim como pelos direitos autorais de imagens, vídeos e quaisquer elementos textuais ou complementares ao seu artigo.
  • Os manuscritos que envolvam pesquisas como humanos devem ter sido submetidos ao Comitê de Ética (sistema CEP/CONEP ou outro sistema), solicitamos aos autores que anexem o parecer do CEP como documento complementar.
  • Os editores de seção na análise preliminar, buscam identificar os cuidados éticos, como também submetem os manuscritos ao programa iThenticat para verificar a originalidade do texto.
  • Os editores de seção também solicitam aos avaliadores que também tenham zelo e busquem verificar os cuidados éticos, bem como para destacarem nos pareceres trechos já publicados e que não tenham sido propriamente citados.;
  • Como consta no documento do CNPq (Ética e integridade na prática científica), nos itens 17 e 20, é recomendado aos os autores que a autoria seja das pessoas que contribuíram significativamente com a elaboração do texto e que possam descrever suas contribuições quando solicitado.

b) Quanto ao processo de avaliação

  • Todos os manuscritos submetidos a Revista Espaço do Currículo são submetidos à revisão por pares, utilizando o método avaliação por pares a cegas, que consiste em obter pareceres de peritos no campo do currículo. Esse processo está claramente descrito no menu “Sobre” na opção “Processo de Avaliação pelos Pares”.
  • Durante o processo de avaliação o texto é um documento confidencial estando os editores, avaliadores e demais envolvidos impedidos de citar ou circular cópias dos artigos independentes dos motivos.
  • Os pareceres são construídos através do preenchimento do formulário preestabelecido no sistema da revista, tendo um espaço para comentários, que não foram contemplados no formulário, que devem ser o mais objetivo possível.
  • A indicação dos avaliadores está condicionada a ausência de conflitos de interesse que são declaradas pelos pareceristas no formulário de avaliação, não dando sequência ao processo de avaliação, ou sendo o parecer desconsiderado pelos editores e editores de seção.
  • A revista entende que qualquer forma de plágio não é aceitável e usa ferramentas de revisão antiplágio.
  • A decisão final sobre a publicação ou não de um texto cabe aos editores e/ou editores.
  • Sempre que um texto tenha qualidade acadêmica e cumpra os critérios estabelecidos pela revista, ele é encaminhado para a avaliação por pares a cegas de, no mínimo, dois avaliadores.
  • Os editores estão disponíveis para responder qualquer questão ética ligada a uma submissão.

c) Outros princípios

  • As informações sobre a propriedade, os direitos autorias e/ou gestão da revista estão claramente indicados no menu “sobre” no site da revista.
  • Este periódico não cobra nenhum tipo de taxa de submissão, avaliação ou publicação.

3. Detecção de plágio e autoplágio

Os textos submetidos a Revista Espaço do Currículo serão verificados por software para identificação de plágio, sendo utilizado o iThenticate para detecção de plágio em arquivos de texto. Caso o plágio seja realmente comprovado, o manuscrito será devolvido ao autor. Desta forma, é possível que os autores recebam eventuais questionamentos durante o processo de avaliação do trabalho submetido. referente indicações apontadas pelos softwares utilizados.

Processo de avaliação

1. Diretrizes para avaliação: O processo de avaliação dos Artigos, Ensaios, Resenhas e Entrevistas enviados à Revista Espaço do Currículo obedece ao seguinte fluxo de avaliação pelos pares:

2. Análise quanto à forma: nessa fase, os textos são submetidos à leitura de ao menos dois dos editores e são avaliados quanto a sua adequação aos critérios gerais da Revista Espaço do Currículo e à linha editorial. Assim, são devolvidos aos autores os textos que:

a) Configuram-se como relatos de experiência ou de pesquisa;

b) Configuram-se unicamente como revisão bibliográfica e não esteja na seção de ensaios;

c) Configuram-se notadamente como simples recorte de uma dissertação ou tese, sem a devida adaptação para artigo e/ou ensaio;

d) Apresentam-se sob a forma de projeto ou relatório de pesquisa;

e) Não apresentam uma análise suficientemente aprofundada da temática que se propõe a discutir;

f) Não têm a área da educação, com foco nos estudos sobre o currículo, como eixo central da discussão;

g)  Possuem erros de redação, bem como de estruturação do texto, a ponto de dificultar a compreensão das partes ou mesmo do todo;

h) São meramente descritivos e não apresentam uma análise da problemática abordada;

i) Não possuem a forma de artigo científico usualmente praticada nos periódicos de Educação, quando submetidos na seção artigo ou ensaios;

j) Não cumprem as normas da Revista Espaço do Currículo para submissão dos artigos, ensaios, entrevistas, resenhas ou resumos (formatação, citações, referências...);

k) Quando forem artigos ou ensaios não apresentam resultados, formulações ou conclusões que apontem avanços para a temática proposta;

l)  Se inscrito como artigos, não apresentam elementos empíricos ou argumentações suficientemente desenvolvidas que fundamentem as conclusões.

Tais trabalhos serão devolvidos aos autores com a sugestão de que sejam reformulados, para efeito de nova submissão e avaliação pela Revista Espaço do Currículo, em outra oportunidade. Os trabalhos que se enquadram em nenhuma das características acima serão considerados aptos para a fase seguinte.

3. Análise por pares quanto ao mérito: nessa segunda fase, a Editoria da Revista Espaço do Currículo encaminha o artigo sem a identificação do autor a, no mínimo, dois pareceristas da área temática específica do trabalho (membros do conselho editorial ou convidados ad hoc), de dois estados diferentes ou do exterior. A avaliação levará em conta os seguintes critérios:

a) Contribuição à área da educação e dos estudos curriculares;

b) Originalidade do tema e/ou do tratamento dado ao tema;

c) Consistência argumentativa;

d) Rigor da abordagem teórico-metodológica;

e) Qualidade geral do texto.

f) Os pareceristas podem aceitar plenamente o texto, aceitar solicitando reformulações ou recusar. Qualquer uma das hipóteses é justificada por um parecer descritivo.

g)  Quando os dois pareceristas recusam o trabalho, o artigo é devolvido ao autor.

h)  Quando os dois pareceristas aceitam o trabalho, ele passa à fase seguinte.

i) Por fim, quando um, ou os dois pareceristas solicitam reformulações, o trabalho é devolvido ao autor, solicitando que o mesmo considere os pareceres e reformule o artigo no prazo de trinta dias.

j) Quando o autor reenvia o texto reformulado, segundo as sugestões dos pareceristas, ele é reavaliado e passa à fase final.

4. Editoração do trabalho às normas da Revista Espaço do Currículo: uma vez aceito para publicação, o trabalho é submetido a uma normalização para que seja finalmente encaminhado pela Editoria para a publicação.

Conflito de Interesses

1. Conflitos de interesse são entendidos como condições nas quais uma pessoa envolvida no processo editorial de um manuscrito detém interesses conflitantes ou concorrentes que poderiam influenciar nas decisões editoriais. Considerações pessoais, políticas, ­financeiras, acadêmicas ou religiosas podem afetar a objetividade na avaliação dos manuscritos (The COPE Report, 1999).

2. Com relação aos conflitos de interesse:

a) Devem ser comunicados não apenas pelos autores, mas por todos os envolvidos no processo editorial de um manuscrito.

b) Os editores devem evitar tomar decisões sobre manuscritos que conflitam com seus próprios interesses, tais como os submetidos por autores de seu departamento ou colaboradores de pesquisa.

c) Se os editores tiverem um conflito de interesse, devem delegar a tomada de decisão para outros editores.

d) Pareceristas devem considerar qualquer tipo de conflito de interesse antes de avaliar o manuscrito. Relações de trabalho com o autor devem ser consideradas (participar ou ter participado de projeto de pesquisa; manter ou ter mantido colaboração científica com grupos de pesquisa; ter relação de orientação com o autor; ter interesse financeiro com o projeto envolvido no manuscrito).

Declaração de direito autoral

Ao submeter um artigo à Revista Espaço do Currículo (REC) e tê-lo aprovado, os autores concordam em ceder, sem remuneração, os seguintes direitos à Revista Espaço do Currículo: os direitos de primeira publicação e a permissão para que a REC redistribua esse artigo e seus metadados aos serviços de indexação e referência que seus editores julguem apropriados.

Política de privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

DOSSIÊ X CIPPC: POR OUTROS PROJETOS POLÍTICOS DE CURRÍCULO

O Dossiê objetiva reunir artigos oriundos de trabalhos e pesquisas que problematizam o cenário político (inter)nacional e suas implicações para as políticas curriculares nacionais, que dão significado a algumas formas de ser/estar/sentir “lançados”, sobre o que ainda não conhecemos. Considera-se que existem cicatrizes e feridas, ainda abertas, estamos pagando o preço do período pós golpe, evidenciados na crise político-jurídica-sanitária instaurada no país e estarmos no luto não reconhecido, considerando os desafios da pandemia da covid-19. De todo modo, no processo em que nossos pés não tocam o chão, há que se pensar em outros projetos políticos de currículo. Frente a isso, sugar o néctar da instabilidade, planar com a leveza das asas das borboletas e questionar: ordens, discursos, poderes e saberes que buscam sedimentar as verdades fora dos seres para visualizar os desenhos externos, exteriorizados à existência e a cultura dos tantos “eus” é a questão principal deste dossiê.

REENCANTAMENTO DO MUNDO: criações curriculares enquanto novidades utópicas

O presente dossiê tem por objetivo congregar criações curriculares que desestabilizam o desencanto do mundo a partir do entendimento da diferença como patrimônio da humanidade. Muitos dispositivos midiáticos, redes sociais, programas de televisão têm contribuído para a difusão de uma avalanche de informações que amplificam os discursos em defesa das políticas de controle sobre os currículos nas instituições educativas, de desvalorização da educação, de desqualificação da formação docente, de desvalorização da escola pública, além da subordinação dos praticantespensantes (OLIVEIRA, 2012) a um padrão de humanidade eurocentrado e excludente. Mediante tal cenário, dá-se a emergência de inversão desses processos. Propomos, então, a perspectiva do reencantamento do mundo a partir das criações curriculares. Esperamos receber artigos que indiquem inserções da novidade utópica para a promoção para outras compreensões dos cotidianos, nas quais as microalegrias passem de exceção à regra. Reencantar o mundo seria remagificar a vida, ou ainda, como nos ensinou Sgarbi (2005), pensarsentir a partir de uma epistemomagia do cotidiano. De modo recente temos encontrado em diversas áreas do conhecimento, produções que afirmam a emergência de ressaltar a imprevisibilidade do real, tal como fazem diversos docentes quando assumem os limites dos textos curriculares e planos de curso reinventando o que está posto; quando são criadas ações antirracistas, inclusivas, solidárias nas esferas locais de educação; quando as comunidades interpretativas propõem a suas epistemomagias cotidianas nas instituições educativas. Buscamos proposições que contribuam para a ecologia de saberes (SANTOS, 2010) que se dá nos processos educativos, sejam estes em espaços formais ou não, e que considerem a novidade utópica enquanto tática para a construção de um mundo onde caibam todos os mundos.

CURRÍCULO E TEORIA DO DISCURSO: temas, estratégias e perspectivas...

Este dossiê se constitui em um convite a trabalhos voltados ao campo do currículo e que têm na Teoria do Discurso de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe, e em suas relações com visões pós-estruturais e pós-fundacionais, sua moção investigativa. São compreendidos artigos atentos a dinâmicas hegemônicas que marcam a produção de políticas de currículo, que tratem de questões ligadas à Educação Básica, à formação de professores, às subjetividades, aos distintos processos de identificação, bem como a outros processos articulatórios envolvidos com o campo da Educação. A convergência de tais trabalhos tende a oportunizar um contexto para conversas entre pesquisadores e pesquisas, temas, associações, concepções e interpretações teóricas e empíricas sobre como a Teoria do Discurso tem possibilitado a compreensão de diferentes questões curriculares que marcam o que podemos chamar de uma atualidade do campo. 

Políticas de currículo e formação em administração e gestão educacional

A seção aceita para avaliação propostas que se integrem nos seguintes eixos: i) políticas curriculares para a formação/capacitação de gestores escolares; ii) colegialidade e unipessoalidade na gestão das escolas; iii) os cânones da nova gestão pública, as pressões performativas e a governação das escolas; iv) políticas de (des)centralização e autonomia no governo das escolas; v) gestão democrática e promoção da igualdade de oportunidades.

Demanda Contínua

A seção destina-se a publicação de textos que tematizem pesquisas sobre: currículo e conhecimento escolar; currículo: saberes e práticas, - currículo e multiplicidades de saberes, currículo em espaços escolares e não escolares.

Resenhas

Que privilegiem as obras (livros, coletâneas, filmes e documentários) de relevância na área da Educação, com ênfase nos estudos da políticas e práticas curriculares.

Entrevistas

Esta seção é dedicada a entrevistas com autores, autoridades reconhecidas no campo acadêmico, dirigentes de movimentos organizados, artistas e outras personalidades que contribuam para o debate da área de educação, com foco no estudo das Políticas e Práticas Curriculares.

Informes de publicações

Espaço para socialização de Monografias, Dissertações e Teses na área de Educação, como foco nas Políticas e Práticas Curriculares.

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.