OS CONHECIMENTOS DAS ÁREAS VERSUS O OBJETO DAS ÁREAS: o currículo ressignificado

Palavras-chave: Educação. Currículo. Reorientação Curricular.

Resumo

Este estudo investiga uma proposta de reorientação curricular para a educação pública. Consideramos como ponto de partida a ressignificação dos saberes oficialmente válidos pelas instituições educacionais.  A intenção inicial será a problematização de que exista, nas diferentes áreas do conhecimento, um específico objeto de estudo.  Para retratar esta tese elencamos, para análise, oito disciplinas das áreas comumente encontradas nos currículos do ensino fundamental da rede pública de Londrina/PR e Florianópolis/SC, a saber: biologia, matemática, língua portuguesa, língua estrangeira, história, geografia, educação física e arte-educação. A tese aponta que ao determinar o específico de estudo de cada área do conhecimento é possível ressignificar as relações curriculares, pelo realinhamento das perspectivas político-pedagógicas destes saberes. 

Biografia do Autor

Adreana Dulcina Platt, Universidade Estadual de Londrina Prof. Associado Departamento Educação Programa de Pós graduação stricto sensu
Professora associada do Departamento Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação. E-mail: adplatt@uel.br. ORCID: http://orcid.org/0000-0002-2188-1260.
Marcelo Silveira, Universidade Estadual de Londrina Centro de Letras e Ciências Humanas Departamento de Letras Vernáculas e Clássicas
Professor adjunto da Universidade Estadual de Londrina. E-mail: celosilveira@gmail.com. ORCID: http://orcid.org/0000-0002-3903-6292

Referências

ANTONIO, C. A. Ordenamentos político-pedagógicos, parâmetros curriculares nacionais (PCNS) e educação física escolar uma leitura sobre as novas prescrições de um currículo ao ensino. Florianópolis, SC. Dissertação (Mestrado) em Educação/CED/UFSC, 2000.

BARRETO, E. M. de M. Processo de Construção Curricular: um caminho possível para a formação continuada do Professor. Florianópolis, SC, Dissertação (Mestrado) em Educação/CED-UFSC. 1993.

BRITTO, N. S. Q. Grupo de formação de ciências no Movimento de Reorientação Curricular na RME de Florianópolis: espaço coletivo de reflexões acerca de uma prática inovadora. Florianópolis, SC. Dissertação (Mestrado) em Educação/CED/UFSC. 2000.

CARDOSO, Ciro F. Epistemologia pós-moderna: a visão de um historiador. In: FRIGOTTO, Gaudêncio, CIAVATTA, Maria (orgs.). Teoria e Educação no Labirinto do Capital. Petrópolis, RJ: Vozes. 2001.

CHAUI, Marilena. Convite a Filosofia. 4 ed. São Paulo: Ática, 1995.

DUARTE, Newton. A Individualidade Para-Si: contribuição a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. 2 ed., Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A Produtividade da Escola Improdutiva: um (re)exame das relações entre Educação e Estrutura Econômico-Social Capitalista. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1984.

GARCIA, Walter E. Educação: visão teórica e prática pedagógica. São Paulo: MacGraw-Hill do Brasil, 1977.

GIMENO SACRISTÁN, José. A construção do discurso sobre a Diversidade e suas práticas. In: ALCUDIA, Rosa et al. Atenção à Diversidade, Porto Alegre: Artmed. (Coleção Inovação Pedagógica, n 3), 2002.

GIMENO SACRISTÁN, José. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: ArtMed, l998.

GRACIANI, Maria Stela S. Pedagogia Social de Rua: análise e sistematização de uma experiência vivida. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 1997.

IANNI, Otavio. A Sociedade Global. 8 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

JURJO SANTOMÉ, T. Globalização e Interdisciplinaridade. Porto Alegre, RS: Artmed. 1998

KOSIK, Karel. Dialética do Concreto. 2 ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

LUCKESI, C. et al. Fazer universidade: uma proposta metodológica. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1985.

MALINOWSKI, B. Uma Teoria Científica da Cultura. 3 ed., Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

MARX, Karl & ENGELS, Friederich. “Feuerbach: oposição das concepções materialista e idealista”. In: BARATA-MOURA, J. CHITAS, E.; MELO, F.; PINA, A. Marx & Engels: obras escolhidas. Tomo I. Lisboa, Portugal: “Avante!”: Moscovo, URSS: Progresso, 1982.

MOREIRA, A. F. B. (Org.). Currículo: Políticas e Práticas. 1 ed. Campinas: Papirus, 1999.

MOREIRA, A. F. B. & SILVA, T. T da. Currículo, Cultura e Sociedade. São Paulo: Cortez, 1994.

PLATT, Adreana D. Formação humana: currículo para o desenvolvimento humano. Revista Espaço do currículo, v.2, n.1, pp.141-157, Março-Setembro/2009.

______. A Ressignificação do Processo de Avaliação em Perspectiva ao Pleno Desenvolvimento Humano. Comunicação apresentada no I Simpósio Internacional “Educação e Filosofia”, Marília, SP: UNESP/Campus de Marília, (divulgação em CD-RW), 2006.

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS. Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria de Ensino. Traduzindo em Ações: das diretrizes a uma proposta curricular. Florianópolis, SC, 1996.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 9 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1991.

SCHAFF, Adam. História e Verdade. São Paulo: Martins Fontes, 1978.

SEMERARO, Giovanni. Anotações para uma teoria do conhecimento em Gramsci. Revista Brasileira de Educação, jan - abril, n.16, 2001.

SUÁREZ, Daniel. “Políticas Públicas e reforma educacional: a reestruturação curricular na Argentina”. In: SILVA. Luiz H. da & AZEVEDO, Clóvis de A. Reestruturação Curricular: teoria e prática no cotidiano da escola. Petrópolis, RJ, 1995.

Teses de Ecologia Geral. Palestra ministrada pelo profº. Drº Nelio Roberto dos Reis, Titular em Ecologia, do Departamento de Biologia Animal e Vegetal/Universidade Estadual de Londrina, 2003.

TYLER, Ralph W. Princípios básicos de currículo e ensino. Porto Alegre: Globo, 1974.

WIGGERS, Verena. “Caracterização da Educação Infantil no município de Florianópolis: uma análise a partir do movimento de reestruturação curricular no que se refere à brincadeira”. Florianópolis, SC. Dissertação (Mestrado) em Educação/CED/UFSC, 1999.

Publicado
2019-10-03