Dossiê: Restaurações conservadoras no campo educacional na América Latina

2020-07-29

A região latino-americana está vivendo na atualidade uma onda neoconservadora que tem influenciado decisivamente a agenda da educação, ameaçando os parcos direitos conquistados ao longo de décadas de lutas sociais. São muitos os retrocessos nas políticas educativas em vários países da região. No Brasil, a partir da Emenda Constitucional n. 95, que congela o gasto público por um período de 20 anos, temos visto se tornar letra morta o Plano Nacional de Educação, Lei 13009/2014, que inscreveu no plano legal os anseios de uma agenda educacional mais democrática e inclusiva. Ao lado dos retrocessos econômicos, assistimos à assunção de políticas conservadoras que se expressam por atitudes no sentido de reforçar valores inaceitáveis em sociedades democráticas, tais como o racismo, a homofobia, o machismo, entre outros. Na educação, esses movimentos apareceram em forma de projetos como "Escola sem partido" e campanhas contra a chamada "ideologia de gênero", no Brasil, ou Con mis hijos no te metas, no Peru, entre outras manifestações em diferentes países, mas sempre em favor de propostas privatistas, do home schooling, da choice-school e da militarização das escolas. E contra os sindicatos, contra os professores, contra os livros didáticos por seus conteúdos “ousados”, enfim contra tudo que signifique conquistas em torno de direitos civis e sociais. A pesquisa acadêmica se defronta na atualidade com o desafio de compreender as origens dessas políticas, seu desenvolvimento e consequências sobre a educação e a sociedade como um todo.

É nesse sentido, que propomos organizar um número especial da Revista Temas em Educação, no qual se espera receber contribuições de distintas partes da América Latina, oferecendo um painel de leitura que seja capaz de atualizar o debate entorno sobre a conjuntura política e educacional na região.

Somente serão aceitos para publicação artigos originais e inéditos oriundos de pesquisas, bem como ensaios teóricos de natureza científica, de pesquisadores nacionais e estrangeiros.

Prazo para submissão: 15 de outubro de 2020.