ALGUMAS ASSINALAÇÕES SOBRE A EDUCAÇÃO POPULAR

SOME MARKS ABOUT POPULAR EDUCATION

Autores

  • Marcos Angelus Miranda de Alcantara Universidade Estadual da Paraíba - UEPB
  • Erenildo João Carlos Universidade Federal da Paraíba - UFPB

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2018v27n1.33512

Palavras-chave:

Educação Popular, História, Discurso

Resumo

O objetivo deste ensaio foi o de apresentar uma reflexão sobre o discurso do aparecimento, da constituição e da refundamentação da Educação Popular e de fazer uma análise sobre seu enunciado a partir de autores como Brandão (2006), Carrillo (2011), Freire (1987), Guevara (2006), Streck (2012), dentre outros. Conclui-se que tanto do ponto de vista teórico-prático, quanto de seus protagonistas, estratégias e fins sociopolíticos, a Educação Popular passou, histórica e discursivamente, por diferentes configurações. Portanto não existe somente uma maneira de entender e fazer Educação Popular no Brasil e na América Latina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Angelus Miranda de Alcantara, Universidade Estadual da Paraíba - UEPB

Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba, desde 2013. Graduado em Licenciatura Plena em Pedagogia pela mesma instituição, com área de aprofundamento em Educação de Jovens e Adultos (EJA), desde 2011. Tem experiência na área de alfabetização de jovens e adultos e pesquisa sobre a formação do pedagogo no campo da EJA, em uma perspectiva da Análise do Discurso. Compõe a equipe de Assessoria Pedagógica da Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Estadual da Paraíba, desde 2013. Atualmente cursa o Doutorado em Educação no Programa de Pós-graduação em Educação/Universidade Federal da Paraíba, na linha de pesquisa Educação Popular.

Erenildo João Carlos, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor do Departamento de Fundamentação da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba (PPGE/UFPB).

Referências

ALCÂNTARA, M. A. M. de; CARLOS, E. J. Análise Arqueológica do Discurso: uma alternativa de investigação na Educação de Jovens e Adultos (EJA). In: Intersecções: Revista de Estudos sobre Práticas Discursivas e Textuais, Jundiaí, v. 11, n. 3, p. 59-75. 2013.

BEISIEGEL, C. de R. Ensino Público e Educação Popular. In: V. P. PAIVA (Org.). Perspectivas e dilemas da Educação Popular. Rio de Janeiro, Graal, p 63-83. 1984.

BRANDÃO, C. R. O que é educação popular. 1. ed., São Paulo, Brasiliense, 110p. 2006.

CARRILLO, A. T. A. Educação Popular como prática política e pedagógica emancipadora. In: D. R. STREK; M. T. ESTEBAN (Orgs.). Educação Popular: lugar de construção social e coletiva. Petrópolis/RJ, Vozes, p. 15-32. 2013.

CARLOS, Erenildo João. Semânticas da Educação Popular. In: Conceitos: Associação dos Docentes da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. p. 66-76. 2003.

FLEURI, R. M; COSTA, M. V. Travessia: questões e perspectivas da pesquisa em Educação Popular. 2. ed., Ijuí, Editora Unijuí, 148p. 2005.

FREIRE, P. Educação e atualidade brasileira. 3. ed., São Paulo, Cortez/Instituto Paulo Freire, 123p. 2003.

______, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed., São Paulo. Paz e Terra, 54p. 1996.

______, P. Pedagogia do Oprimido. 17. ed., São Paulo. Paz e Terra,107p. 1987.

GUEVARA, N. Educação Popular no Século XXI. In: P. PONTUAL; T. IRELAND (Orgs.). Educação Popular na América Latina: diálogos e perspectivas. Brasília, MEC/UNESCO, p. 213-218. 2006.

LUKACS, G. Prolegômenos para uma ontologia do ser social. Trad. Lya Luft e Radnei Nascimento. 1. ed. São Paulo. Bontempo, 977p. 2010.

MEJÍA, J. M. R. Aprofundar na Educação Popular para construir uma globalização desde o sul. In: P. PONTUAL; T. IRELAND (Orgs.). Educação Popular na América Latina: diálogos e perspectivas. Brasília, MEC/UNESCO, p. 205-211. 2006.

NAHMÍAS, M. T. Os desafios da Educação Popular frente à diversidade e à exclusão. In: P. PONTUAL; T. IRELAND (Orgs.). Educação Popular na América Latina: diálogos e perspectivas. Brasília, MEC/UNESCO, p. 123-143. 261. 2006.

PAIVA, V. Introdução. In: V. P. PAIVA (Org.). Perspectivas e dilemas da Educação Popular. Rio de Janeiro, Graal, p. 15- 60. 1984.

SALOMÓN, L. O papel da sociedade civil na construção da democracia. In: P. PONTUAL; T. IRELAND (Orgs.). Educação Popular na América Latina: diálogos e perspectivas. Brasília, MEC/UNESCO, p. 19-32. 2006.

STRECK, D. R. Territórios de resistência e criatividade: reflexões sobre lugares da educação popular. In: Currículo sem fronteiras, v.12: 185-198. 2012. Disponível em: <http://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss1articles/streck.pdf>. Acesso: 12 de nov de 2014.

UNESCO. La educación de personas jóvenes y adultas em América Latina y el Caribe: prioridades de acción en el siglo XXI. CEAAL-CREFAL-INEA Santiago de Chile, Mayo 2000. Disponível em <http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001214/121482so.pdf>. Acesso em: 17/12/2014.

VIEIRA PINTO, A. A evolução do conhecimento: os caracteres do conhecimento científico. In: VIEIRA PINTO, Á. Ciência e existência: problemas filosóficos da pesquisa científica. 2. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra. p. 11-60. 1979.

Downloads

Publicado

2018-07-10

Como Citar

ALCANTARA, M. A. M. de; CARLOS, E. J. ALGUMAS ASSINALAÇÕES SOBRE A EDUCAÇÃO POPULAR: SOME MARKS ABOUT POPULAR EDUCATION. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 27, n. 1, p. 128–145, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2018v27n1.33512. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/33512. Acesso em: 16 jan. 2022.

Edição

Seção

PONTOS DE VISTAS/NOTAS/COMENTÁRIOS