EDUCAÇÃO PROFISSIONAL FEMININA: UMA ANÁLISE DO PROGRAMA MULHERES MIL NO IFS - CAMPUS LAGARTO

Resumo

O presente artigo resulta de uma pesquisa com as alunas do curso de Auxiliar de Arquivo do Programa Mulheres Mil desenvolvido no Instituto Federal de Sergipe - Campus Lagarto. O objetivo foi traçar um panorama da efetividade da função educacional e social do programa, já que o referido programa pretendeu promover a formação profissional e tecnológica de mulheres desfavorecidas, garantindo o acesso à educação profissional e à elevação da escolaridade. Para isso foi utilizado como metodologia o levantamento bibliográfico sobre temas que circundam a temática geradora, entre eles: a Educação Profissional e a Educação das Mulheres. Foram utilizados como estratégias de coleta de dados, questionários pré-estruturados e entrevista. 

 

Palavras-chave: Educação Profissional; Educação Feminina; Programa Mulheres Mil.

Biografia do Autor

Elza Ferreira Santos, Instituto Federal de Sergipe

Licenciada em Letras pela Universidade Federal de Sergipe (UFS); Mestra em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT); Doutora em Educação pela UFS. Professora do Instituto Federal de Sergipe (IFS). Professora permanente do quadro de docentes do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) do IFS.

Cyndi Moura Guimarães de Oliveira, Instituto Federal de Educação

Licenciada em Letras pela Universidade Tirandentes (UNIT). Especialista em Proeja - Educação Profissional para Jovens e Adultos pelo Instituto Federal de Sergipe (IFS). Aluna do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) do IFS.

Referências

AZEVEDO, Nara. FERREIRA, Luiz Otávio. Modernização, políticas públicas e sistema de gênero no Brasil: educação e profissionalização feminina entre as décadas de 1920 e 1940. In: Cadernos Pagu (27) julho-dezembro de 2006: pp.213-254. http://www.scielo.br/pdf/cpa/n27/32143.pdf. Acesso em novembro de 2015.

BASTOS, Ludimila Correa. Traçando metas, vencendo desafios: experiências escolares de mulheres egressas da EJA. 2011. 110p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal Mi nas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

BELTRAO, Kaizô Iwakami; ALVES, José Eustáquio Diniz. A reversão do hiato de gênero na educação brasileira no século XX. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 136, abr. p. 125-156, 2009. Disponível em . Acesso em 13 mai. 2016.

BRASIL. Decreto n. 1.331 A de 17 de fevereiro de 1854. Approva o regulamento para a reforma do ensino primário e secundario no Municipio da Côrte. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/legislacao/publicacoes/doimperio

BRASIL, Ministério da Educação. Pronatec Brasil Sem Miséria Mulheres Mil. 2014. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/brasil_sem_miseria/cartilha_mulheres_mil.pdf

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Mulheres Mil na Rede Federal: Caminhos da inclusão. Brasília, 2011a.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Mulheres mil: do sonho à realidade: Thousand women: makingdreams come true = Milefemmes: du revê à laréalité. Organização: Stela Rosa – Brasília: Ministério da Educação, 2011b.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Concepções e mudanças no mundo do trabalho e o ensino médio. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (orgs.). Ensino médio integrado: concepção e contradições. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GOIS, Mariana Emanuelle Barreto de. Entrevista. Entrevistadora: Cyndi Moura Guimarães de Oliveira, Lagarto/SE, 2015.

HÜBNER, Dedilhana Lamare Manjabosco; LOPES , Indaia Dias; MUELLER, Airton Adelar & GRZYBOVSKI , Denize. Programa Mulheres Mil: Uma reflexão com vistas ao empoderamento da mulher . VIII Seminário Internacional de Desenvolvimento Regional: Territórios, Redes e Desenvolvimento Regional: Perspectivas e Desafios Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, 13 a 15 de setembro de 2017.

KOVALESKI , Nadia Veronique Jourda & PILATTI, Luiz Alberto . As escolhas de curso de Tecnologia pelas mulheres: qual formação para quais papéis sociais? O caso das estudantes do Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná – Unidade de Ponta Grossa. XI Seminário Latino-americano de gestión Tecnologica. 25 a 28 de outubro ALTEC, 2005. http://pg.utfpr.edu.br/dirppg/ppgep/ebook/2005/E-book%202006_artigo%2080.pdf. Acesso em em 20 de maio de 2016.

LEWIN, Helena. Educação e força de trabalho feminina no Brasil. Rio de Janeiro: Centro Unificado Profissional, 1980.

LOPES, Selva Paraguassu; SOUZA, Luzia Silva. EJA: Uma Educação Possível ou Mera Utopia? Revista CEREJA- Centro de Referência em Educação de Jovens e Adultos. São Paulo, 2005. Disponível em: Acesso em 19. nov. 2014.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ : Vozes, 1997.

OLIVEIRA, Maria Auxiliadora S. M. Programa Mulheres Mil no Instituto Federal de Sergipe: Interfaces com a educação e trabalho. Dissertação defendida no núcleo de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2013.

QUEIROZ, Cecília Telma Alves Pontes de; CARVALHO, Maria Eulina Pessoa de; MOREIRA, Josilene Aires. Gênero e Inclusão de Jovens Mulheres nas Ciências Exatas, nas Engenharias e na Computação. In. 18º REDOR, Pernambuco, Recife. 2014. http://www.ufpb.br/evento/lti/ocs/index.php/18redor/18redor/paper/view/2076/855. Acesso em maio de 2016.

QUESTIONÁRIO. Realizado pela coordenação local do Programa Mulheres Mil, Campus Lagarto/IFS, 2014.

QUESTIONÁRIO. Realizado pela coordenação local do Programa Mulheres Mil, Campus Lagarto/IFS, 2015.

SANTOS, Elza Ferreira. Gênero, educação profissional e subjetivação: discursos e sentidos no cotidiano do Instituto Federal de Sergipe. São Cristóvão: UFS, 2013. 226 P. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2013.

UNICEF. Dez Desafios do Ensino Médio no Brasil: Para garantir o direito de aprender de adolescentes de 15 a 17 anos. coordenação Mário Volpi, Maria de Salete Silva e Júlia Ribeiro Brasília, DF, 2014. Disponível em https://www.unicef.org/brazil/pt/10desafios_ensino_medio.pdf. acesso em novembro de 2017.

VILLELA, H. de O. S. O Mestre –Escola e a Professora. In LOPES, E. M. T.; FARIA, F.; LUCIANO, M. de; VEIGA, C. G. (Orgs). 500 anos de Educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, pp. 95-134.

Publicado
2019-12-08
Como Citar
Santos, E. F., & Guimarães de Oliveira, C. M. (2019). EDUCAÇÃO PROFISSIONAL FEMININA: UMA ANÁLISE DO PROGRAMA MULHERES MIL NO IFS - CAMPUS LAGARTO. Revista Temas Em Educação, 28(3). https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2019v28n3.39758
Seção
RELATOS DE PESQUISA