O PROBLEMA METODOLÓGICO E POLITICO DE RECOLHER EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS EM REGIÕES ARRISCADAS DA REALIDADE AMAZÔNICA: PROBLEMATIZAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE

THE METHODOLOGICAL AND POLITICAL PROBLEM OF COLLECTING EMPIRICAL EVIDENCE IN RISKY REGIONS OF AMAZONIAN REGION: PROBLEMATIZATION FOR PEOPLE EDUCATION IN HEALTH

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2019v28n1.44306

Palavras-chave:

Avaliação de programas e projetos de saúde, Participação nas Decisões, Etnografia, Agências internacionais, Saúde na Fronteira, Educação popular em saúde

Resumo

O artigo reflete sobre o desaparecimento de evidências como ameaças, riscos ou violênciasnas praticas de promoção da saúde para convergir ao discurso social desejável na planificação e gestão em saúde. As agências internacionais projetam um mundo onde as subversões são ausentes. Poucos estudos se atreviam em discutir a censura de situações de ameaça de vida ao nível local em realizar as ações planejadas. Uma autoetnografia relata as experiências na região amazônica como moradora e enfermeira nos programas de controle da Hanseníase e da AIDS nos anos 90. Os resultados esquematizam o confronto entre o discurso consensual das agências internacionais, a gestão de programa em saúde e as observações de quem faz o trabalho. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laperrière Hélène, School of Nursing, Faculty of Health Sciences, University of Ottawa

Professor associado, M.Sc. Doutor em Enfermagem, Doutor em Saúde Pública

Referências

ACRÍTICA. Morte de missionária é apurada. Acrítica, Manaus, 13.02.2005.

ACRÍTICA. EUA podem enviar agentes para ajudar na investigação da morte. Acrítica, Manaus,15.08.2005.

ACRÍTICA. Pesquisa aponta que aeroporto é utilizado como rota do tráfico de mulheres em Manaus. Acrítica, 4.03.2013.

BECKER, HS. La bonne focale. Paris: La découverte, 2014

BORDE, E. ; ALVAREZ, M.H. ; PORTO, M.F.S. Uma análise crítica da abordagem dos determinantes sociais da saúde a partir da Medicina Social e Saúde Coletiva latino-americana. Debate em saúde (no prelo).

BOURDIEU, P. Sciences de la science et réflexivité. Paris : Raisons d’agir, 2001.

BREILH, J. Epidemiologia crítica. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.

BYRNE, D. Evaluating complex social interventions in a complex world. Evaluation, v. 19, n. 3, p. 217-228, 2013.

CARROLL, B.; MORBEY, H.; BALOGH, R.; ARAOZ, G. Flooded homes, broken bonds, the meaning of home, psychological processes and their impact on psychological health in a disaster, Health & Place, v. 15, n. 2, p. 540-547, 2009.

CASANOVA, P. G. Exploração, colonialismo e luta pela democracia na América Latina. Petrópolis: Vozes, 2002.

CHEQUER, P.; SIMÃO, M. B. G.; CORTES, J. UNGASS Monitoring: A joint construction between the Brazilian Government and the Civil Society. Paper presented at the XVI International AIDS Conference, Toronto, 13-18 Augusto 2006.

CONFERÊNCIA DOS RELIGIOSOS DO BRASIL. Encontro internacional de formação O grito pela vida que vem da Amazônia – não ao tráfico de pessoa. Manaus, Amazonas, Brasil, 04-08 de Março 2015.

COHEN, B. B. Conducting evaluation in contested terrain: challenges, methodology and approach in an American context. Evaluation and Program Planning, v. 35, p. 189-198, 2012.

DECASTRO, F.; MCGRATH, D. O manejo comunitário de lagos na Amazônia. Parcerias estratégicas, v. 12, p. 113-126, 2001. Disponível em: http://novo.cgee.org.br/arquivos/pe_12.pdf . Acesso em: 20 ago. 2014.

EDWARDS, A. L. The relationship between the judged desirability of a trait and the probability that the trait will be endorsed. Journal of Applied Psychology, v. 37, p. 90-93, 1953.

FURTADO, J.P., LAPERRIÈRE, H. & SILVA, R.R. Participação e interdisciplinaridade: uma abordagem inovadora de meta-avaliação. Saúde em debate 38(102): 468-481, 2014.

GUIMARÃES, R.B.; SANTOS, I.G. dos. “Homicídios na Amazônia legal e a violência no arco do desmatamento”. In: Oliveira, J.A. (org), Espaço, Saúde e Ambiente na Amazônia: Ensaios de geografia da Saúde. São Paulo: Outras Expressões, 2013.

HOUSE, E.; HOWE, K.R. Values in evaluation and social research.Thousand Oaks, CA: Sage, 1999.

LAPERRIÈRE, H., POTVIN, L. & ZUNIGA, R. A socio-political framework of evaluability assessment for participatory evaluations: how to make sense of the power differences in programs that involve the State and Civil society? Evaluation 18(2): 246-259, 2012.

LOMNITZ, L. A. Lo formal y lo informal enlas sociedades contemporáneas. Santiago, Chile: Centro de investigaciones Diego Barros Arana, 2008.

MARQUES, M.C.C. Saúde e poder: a emergência política da Aids/HIV no Brasil. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Rio de Janeiro , v. 9, supl. p. 41-65, 2002. Disponível em : http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702002000400003 . Acesso em: 12 Maio 2015.

MENDEL, G. L’acte est une aventure. Paris : La Découverte, 1998.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Emergência de Saúde Pública de Importancia national - ESPIN Enchentes no Norte e Nordeste do Brasil 2009. Brasilia: Secretaria de Vigilância em Saúde, Comitê das Enchentes, 2009.

MINTZBERG, H.; SRINIVAS, N. Juxtaposing doers and helpers in development. Community Development Journal, v. 45, n.1, p. 39-57, 2010.

MOURA, E.; PERES, L.V. Aspectos demográficos, sócio-econômicos e de saúde da população ribeirinha durante a enchente de 1999 na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (região do Médio Solimões- Amazonas). IDS, Mamirauá, Brazil, 2000. Disponível em : http://www.abep.org.br/?q=publicacoes/anais/anais-2000-população-e-meio-ambiente. Acesso em: 26 Oct. 2015.

MOURA, H.A.; MOREIRA, M.M. A população da região Norte : Processos de ocupação e de urbanização recentes. Parcerias estratégicas, v. 12, p. 215-238, 2001.

NETO, A.F.P. Conselho de favores. Controle social na saúde: a voz dos seus atores. Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

NAROLL, R. Data quality control. A new research technique. Prolegomena to a cross-cultural study of culture stress. New York: Glencoe, 1962.

PÉROUSE DE MONTCLOS, M.-A. Humanitarian action in developing countries: who evaluates who? Evaluation and Program Planning, v. 35, p. 154-160, 2012.

POLANYI, M. Personal knowledge. New York: Harper & Row, 1964.

SANTOS, B.S. Epistemologies of the South. Justice against epistemicide. Herndon : Paradigm, 2014.

SILVA, M. DO PERPÉTUO SOCORRO CHAVES da. Aqui é melhor do que lá : representação social da vida urbana das populações migrantes e seus impactos socioambientais em Manaus. Manaus : Editora da UFAM, 2009.

STAVENHAGEN, R. (1981). Between underdevelopment and revolution. A Latin American perspective. New Delhi: Abhinav, 1981.

THE JOINT UNITED NATIONS PROGRAMME ON HIV/AIDS. Joint action for result outcome framework 2009-2011. Geneva: UNAIDS, 2009.

THE JOINT UNITED NATIONS PROGRAMME ON HIV/AIDS/WORLD BANK/UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME (2005). Mainstreaming HIV and AIDS in sectors & programmes. An Implementation Guide for National responses. Geneva: UNAIDS/World Bank/PNUD, 2005.

TORRES, I.C., OLIVEIRA, M.M. Tráfico de mulheres na Amazônia. Florianópolis: Editora Mulheres.

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME (s.d.), The role of participation and partnership in decentralized governance: a brief synthesis of policy lessons and recommendations of nine country case studies on services delivery for the poor. [Robertson Work, org].

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME (2004), Decentralized governance for development: a combined practice note on decentralization, local governance and urban/rural development. New York: Democratic Governance Group, Bureau for Development Policy, 2004. Disponível em: http://www.undp.org/content/undp/en/home/librarypage/democratic-governance/local_governance/decentralised-governance-for-development-a-combined-practice-note-on-decentralisation-local-governance-and-urban-rural-development.html . Acesso em 26 Oct 2015.

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME. National Development Planning and Implementation: Strategy Note and Guide, 2005. Versão eletrônica, consultada a 20.08.2014, em http://www.undp.org/hiv/focus02.htm

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME. Decentralization and Human Development. HDR Networks 18, 2008. Versão eletrônica, consultada a 20.08.2014, em: http://hdr.undp.org/en/media/hdinsights_march2008.pdf

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME. The Millennium development goals Report, 2009a. Versão eletrônica, consultada a 20.08.2014, em: http://www.undp.org/mdg

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAMME. Handbook on Planning, Monitoring and Evaluating for Development Results, 2009b. New York: UNDP.

UNITED NATIONS DEVELOPMENT PROGRAM. Democratic governance thematic trust fund. 2011 Annual report, 2012. New York: UNDP. Versão eletrônica, consultada a 20.08.2014, em: http://www.undp.org/content/dam/undp/library/Democratic%20Governance/Democratic%20Goverannce%20Thematic%20Trust%20Fund/DGTTF_2011AR.pdf

VIEIRA PINTO, A. Ciência e existência. RJ: Paz e Terra, 1979.

WAISELFISZ, J.J. Mapa da violência 2013. Homicídios e juventude no Brasil. Rio de Janeiro: CEBELA-Flacso Brasil, 2013. Versão eletrônica, consultada a 20.08.2014, em :http://www.cebela.org.br/site/common/pdf/Mapa_2013_Jovens.pdf.

ZENOBI, D. O antropólogo como "espião": das acusações públicas à construção das perspectivas nativas. Mana, Rio de Janeiro , v. 16, n. 2, p. 471-499, Oct. 2010 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132010000200009&lng=en&nrm=iso>. access on 13 May 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-93132010000200009 .

ZÚÑIGA, R. The experimenting society and radical social reform. The role of the social scientist in Chile’s Unidad Popular experience. American Psychologist, February, 99-115, 1975.

Downloads

Publicado

2019-04-18

Como Citar

HÉLÈNE, L. O PROBLEMA METODOLÓGICO E POLITICO DE RECOLHER EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS EM REGIÕES ARRISCADAS DA REALIDADE AMAZÔNICA: PROBLEMATIZAÇÕES PARA A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE: THE METHODOLOGICAL AND POLITICAL PROBLEM OF COLLECTING EMPIRICAL EVIDENCE IN RISKY REGIONS OF AMAZONIAN REGION: PROBLEMATIZATION FOR PEOPLE EDUCATION IN HEALTH. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 212–230, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2019v28n1.44306. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/44306. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ - EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE