PRÁTICAS HEGEMÔNICAS NOS CURSINHOS POPULARES UNIVERSITÁRIOS E OS OBJETIVOS INSTITUCIONALIZADOS: APROXIMAÇÕES E AFASTAMENTOS PARA O CASO DA UNESP

HEGEMONIC PRACTICES IN POPULAR PRE-UNIVERSITY PREPARATORY COURSES AND INSTITUTIONALIZED OBJECTIVES: APPROACHES AND WITHDRAWALS FOR THE CASE OF UNESP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n1.54763

Palavras-chave:

Extensão Universitária, Programas de ação afirmativa, Universidades e faculdades - Vestibular

Resumo

A pesquisa descrita neste artigo buscou traçar como as práticas hegemônicas adotadas nos cursinhos populares da Unesp dialogam com os objetivos institucionalizados para eles: promover preparação adequada para alunos da rede pública de ensino para o ingresso no ensino superior e também formação cidadã e integral. Para isso, foi realizada uma pesquisa do tipo survey, buscando levantar informações acerca do público-alvo ao qual os cursinhos se destinam, como eles são escolhidos, quais tipos de práticas eles adotam, suas características principais e suas finalidades. As informações foram levantadas com base em entrevistas realizadas com coordenadores discentes de 23 cursinhos populares da Unesp. As respostas dos coordenadores foram categorizadas a partir dos princípios da estatística descritiva e da análise de conteúdo. Foi possível identificar que os cursinhos buscam contemplar alunos oriundos da rede pública do ensino básico e desenvolvem práticas de dois tipos principais: preparatórias para o vestibular, usualmente por meio da apropriação e da adaptação de práticas consagradas em cursinhos prestigiados, e práticas voltadas para tornar o cursista um membro atuante e crítico na sociedade. No entanto, observa-se, geralmente, que essas práticas acontecem de maneira espontaneísta, baseadas nas concepções e nos conhecimentos empíricos de seus membros. Um maior diálogo com conhecimentos desenvolvidos na área de ensino e educação e um planejamento direcionado por objetivos bem definidos poderiam torná-las menos espontaneístas e promover os objetivos instituídos a esses cursinhos de maneira mais adequada e com maiores garantias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raul da Costa Casaut, Instituto de Química da Unesp - Campus de Araraquara

Doutorando em Química. Programa de Pós-Graduação em Química do Instituto de Química da Unesp, Campus de Araraquara.

Amadeu Moura Bego, Universidade de São Paulo - USP

Doutor em Educação para a Ciência pela Faculdade de Ciências da Unesp, Campus de Bauru. Pós-doutor em Educação pela Faculdade de Educação da USP de São Paulo. Professor do Departamento de Química Geral e Inorgânica do Instituto de Química da Unesp, Campus de Araraquara.

Referências

ALMEIDA, L. V. Pré-vestibulares Populares: estratégia de acesso dos excedentes à educação superior. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BEGO, A. M. Origem, evolução e consolidação dos Sistemas Apostilados de Ensino na Realidade Brasileira. In _____ Sistemas Apostilados de Ensino e Trabalho Docente: Estudo de Caso com Professores de Ciências e Gestores de uma Rede Escolar Pública Municipal. 2013. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência). Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Campus de Bauru. 2013. Cap. 2, p. 43 – 76.

BUSSAB, W. O.; MORETTIN, P. A. Estatística Básica. 6ª ed., Saraiva: São Paulo, 2009.
CAMARGO, F. F. Cursinhos Pré-vestibulares e o caso da Unesp: alguns condicionantes a sua criação e transformação. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar). Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Campus de Araraquara. 2009.

CASTRO, C.A. Cursinhos alternativos e populares no contexto das disputas de projetos para o Brasil: 1950-2010. In . Movimentos socioespacial de cursinhos alternativos e populares: a luta pelo acesso à universidade no contexto do direito a cidade. 2011. Tese (Doutorado em Geografia). Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas. 2011. Cap. 4, p. 117 – 191.

DAFLON, V. T.; FERES JUNIOR, J.; CAMPOS, L. A. Ações afirmativas raciais no ensino superior público brasileiro: um panorama analítico. Cadernos de Pesquisa, São Paulo , v. 43, n. 148, p. 302-327, abr. 2013.

FUJITA, M. S. L. ; OLIVEIRA, M. R. M. de; LEAL, A. C. (org.). A Extensão Universitária na Unesp. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2016.

GUIMARÃES, S. Como se faz a Indústria do Vestibular. Petrópolis: Vozes, 1984.

MALHEIROS, B. T. Metodologia de pesquisa em educação. 2 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

MAZZILLI, S.; MACIEL, A. S. A indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão: caminhos de um princípio constitucional. In: Reunião Anual Da Anped, 33., 2010. Caxambú . Anais [...] Caxambú , MG: Anped, 2010.

SILVA, E. L. Educação Superior no Brasil: 10 Anos Pós LDB: uma análise crítica. Revista Científica FacMais, V. 2, n. 1., p. 47 -63, 2º Semestre, 2012.

UNESP, Pro-Reitoria de Extensao Universitaria. Manual Dinâmico para Elaboração de Proposta de Projeto de Extensão Universitária e Iniciação à Extensão Universitária. São Paulo: PROEX – Unesp, 2017. Disponível em < https://www2.unesp.br/portal#!/proex/projetos-extensao/legislacao-e-normas/>. Acesso em 29 out. 2018.

VIEIRA, A. L. C. Políticas de educação, educação como política: observações sobre a ação afirmativa como estratégia política. In: Silvério, V. R. S., & Silva, P. B. G. (Organizadores). Educação e ações afirmativas: entre a injustiça simbólica e a injustiça econômica. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2003, p. 81 - 97.

WHITAKER, D. C. A. A Seleção dos Privilegiados: um estudo sobre a educação brasileira. São Paulo: Editora Semente, 1981.

WHITAKER, D. C. A. Da “invenção” do vestibular aos cursinhos populares: Um desafio para a Orientação Profissional. Revista Brasileira de Orientação Profissional. Ribeirão Preto, v.11, n.2, p.289-297, jul-dez. 2010.

Downloads

Publicado

2021-01-26

Como Citar

DA COSTA CASAUT, R.; AMADEU MOURA BEGO. PRÁTICAS HEGEMÔNICAS NOS CURSINHOS POPULARES UNIVERSITÁRIOS E OS OBJETIVOS INSTITUCIONALIZADOS: APROXIMAÇÕES E AFASTAMENTOS PARA O CASO DA UNESP: HEGEMONIC PRACTICES IN POPULAR PRE-UNIVERSITY PREPARATORY COURSES AND INSTITUTIONALIZED OBJECTIVES: APPROACHES AND WITHDRAWALS FOR THE CASE OF UNESP. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 30, n. 1, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2021v30n1.54763. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/54763. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê - Extensão Popular