Estratégias e recursos acessíveis na introduçao dos conceitos de área e perímetro no ensino de estudantes com deficiência visual e estudantes surdos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.66719

Palavras-chave:

Deficiência Visual, Educação de Surdos, Recursos Acessíveis, Área e Perímetro

Resumo

Neste artigo, discute-se a introdução dos conceitos de contorno e preenchimento de uma região no plano, com sinônimos para o cálculo de perímetro e área de uma figura plana, como elementos essenciais para a compreensão destas grandezas, e para posterior avanço no cálculo de outras regiões, comumente estudadas nas escolas. O cálculo de perímetros e de áreas de regiões retangulares encontra-se presente na vida cotidiana e são importantes objetos de conhecimento para o desenvolvimento de habilidades e competências, sugeridas nos documentos oficiais. A atividade foi aplicada com estudantes com deficiência visual (DV) e com estudantes surdos, por meio do desenvolvimento de um recurso tátil, tridimensional, acessível, para potencializar o uso dos sentidos remanescentes dos estudantes envolvidos, a fim de que pudessem participar ativamente da resolução dos problemas propostos. Foram utilizados instrumentos de medidas convencionais e não convencionais, bem como discutiu-se, coletivamente, a utilização de termos, tais como, base, altura, dimensões, área, perímetro, entre outros, e a importância das unidades de medidas adequadas e padronizadas. Por fim, apresenta-se uma reflexão sobre a atividade, a necessidade de utilização de recursos e métodos acessíveis e as aproximações e os distanciamentos nas abordagens de conteúdos de Matemática para estudantes com DV e estudantes surdos. Como resultados, conclui-se que o recurso e os métodos discutidos apresentam grande potencial para proporcionar o desenvolvimento dos conceitos apresentados e, mais do que isso, podem proporcionar a participação efetiva dos estudantes na sala de aula, sobretudo por ser uma proposta direcionada a todos os estudantes, com ou sem deficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda dos Santos da Silva

Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2023). Tem experiência na área de Matemática. Atualmente, atua como Professora Multiplicadora no grupo do Projeto Fundão - Setor Matemática intitulado "Ensino da Matemática para alunos com deficiência visual ou surdos". Tem interesse em pesquisas na área de Educação Matemática, principalmente em estudos relacionados a Educação Matemática Inclusiva.

Caroline Lima

Possui graduação em Matemática (2008) e mestrado em Matemática pela Universidade Federal do Pará (2012). Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ensino e História da Matemática/ PEMAT/UFRJ. Desempenha pesquisas em ensino de matemática para alunos surdos e formação de professores de matemática inclusivos. Atualmente, é professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e membro do Grupo de Ensino de Matemática para Alunos com Deficiência Visual e Alunos Surdos do Projeto Fundão/UFRJ. 

Edney Dantas de Oliveira

Mestrado em Matemática (PROFMAT) no Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), especialização em Matemática e Estatística pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) e graduação em Matemática (Licenciatura) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Iniciou sua carreira na docência em 1994 e desde 2014 é professor de matemática do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) do Instituto Benjamin Constant (IBC). Membro da Comissão que elaborou as apostilas: "Técnicas de Cálculo e Didática do Soroban: Menor Valor Relativo" e "Técnicas de Cálculo e Didática do Soroban: Maior Valor Relativo". Ministrando cursos de soroban na DEA (Divisão de Extensão e Aperfeiçoamento) do IBC desde 2016. Áreas de interesse e pesquisa: Ensino de Matemática, Educação Especial e Inclusiva, Acessibilidade pedagógica, Produção de Materiais e Recursos Didáticos acessíveis para estudantes com Deficiência Visual.

Fábio Garcia Bernardo

Doutorado em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino e História da Matemática e da Física (PEMAT-UFRJ), Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET-RJ) e Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu em Ensino na Área da Deficiência Visual, do Ensino Médio Técnico profissionalizante (PROEJA) do Instituto Benjamin Constant e da Prefeitura Municipal de Duque de Caxias. Bolsista de Iniciação à docência da Faperj, Coordenador de disciplinas do Curso de Especialização em Educação Especial e Inovação Tecnológica - UFRRJ/CECIERJ. Áreas de interesse e pesquisa: Ensino de Matemática, Educação Especial e Inclusiva, Educação à Distância, Acessibilidade pedagógica, Produção de Materiais e Recursos Didáticos acessíveis para estudantes com Deficiência Visual.

Referências

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: < portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/matematica.pdf >. Acesso: 26 de setembro de 2022.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Matemática. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC, 2018a. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base/ > Acesso: 26 de setembro de 2022.

FERNANDES, S. e HEALY, L. A Inclusão de Alunos Cegos nas Aulas de Matemática: explorando Área, Perímetro e Volume através do Tato. Rio Claro (SP): Bolema, v. 23, n. 37, p. 1111- 1135, 2010.

FERREIRA, E. F. P. A integração das tecnologias digitais ao ensino e aprendizagem de geometria no ensino fundamental – anos finais: uma proposta com foco no estudo de perímetro e área de figuras geométricas planas. 2016. 185 f. Dissertação (Mestrado) - PPEM, Universidade Federal de Juiz de Fora, MG, 2016.

GOLDIN, G. A. A Scientific Perspective on Structured, Task-Based Interviews in Mathematics Education Research. In: KELLY, A. E.; LESH, R. A. (Eds.). Handbook of Research Design in Mathematics and Science Education. Mahwah: Lawrence Erlbaum Associates, Publishers, p. 517-546, 2000.

LIMA, P. F.; BELLEMAIN, P. M. B. Habilidades matemáticas relacionadas com grandezas e medidas . In: FONSECA, M. C. F. R. (org). Letramento no Brasil: habilidades matemáticas: reflexos a partir do INAF 2002. São Paulo: Global: Ação Educativa Assessoria, Pesquisa e Informação: Instituto Paulo Montenegro, 2004.

MADALENA, S. P.; BORGES, P. P. Noções de Área e Perímetro para aprendizes surdos: proposta de trabalho na perspectiva de letramentos. In: IX Seminário de Pesquisa em Educação Matemática do Estado do Rio de Janeiro, 2020. Anais… Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: < http://eventos.sbem.com.br/index.php/spem-rj/ix-spem-rj/paper/view/1394/1172>. Acesso: 26 de setembro de 2022.

MIRANDA, S. e BASSOI, T. Tarefas sobre área e perímetro para alunos surdos. In: Encontro Paranaense de Educação Matemática, 2017. Anais… Cascavel, 2017. Disponível em: < http://tinyurl.com/y635nt78 >. Acesso: 26 de setembro de 2022.

MIRANDA, S.M.C. Perímetro e área: análise de pesquisas sob a ótica da teoria dos registros de representação semiótica. 2018. 129 f. Dissertação (Mestrado em Ensino) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Foz do Iguaçu, 2018.

SANTOS, M., SANTOS, M. O Conceito de Área de Figuras Geométricas Planas no Livro Didático de Matemática do 6° Ano do Ensino Fundamental: um olhar sob a ótica da Teoria Antropológica do Didático. Recife: EM TEIA: Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, v. 6, n. 2, p. 1-22, 2015.

Downloads

Publicado

2024-05-23

Como Citar

CARDOSO DOS SANTOS, R.; DOS SANTOS DA SILVA, A.; LIMA, C.; DANTAS DE OLIVEIRA, E.; GARCIA BERNARDO, F. Estratégias e recursos acessíveis na introduçao dos conceitos de área e perímetro no ensino de estudantes com deficiência visual e estudantes surdos. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 33, n. 1, p. e-rte331202451, 2024. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.66719. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/66719. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

RELATOS DE EXPERIÊNCIA