Ensino Profissional e Tecnológico na era do reformismo:

contradições legais e horizontes potenciais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.68624

Palavras-chave:

Educação Profissional, Currículo, Neoliberalismo

Resumo

RESUMO

O presente trabalho tem por objetivo essencial investigar e apresentar alguns dos aspectos determinantes para a volatilidade e a insegurança jurídica que se abatem sobre as políticas públicas e os currículos para o ensino médio, especialmente na modalidade Educação Profissional e Tecnológica e de que maneira essas transformações e incertezas afetam ou podem afetar as juventudes trabalhadoras em nosso país. O artigo apresenta uma análise bibliográfica e documental de caráter qualitativo, e se inicia a partir de um balanço historiográfico sobre a educação profissional e tecnológica em seu contexto histórico e pretende desfiar algumas reflexões sobre como vem sendo construída a estrutura e a cultura do ensino no Brasil, além de como a educação vem sendo afetada pelo receituário neoliberal desde a década de 1990 e, principalmente, como o recente conjunto de reordenamento jurídico que envolve a Lei 13.415, da reforma do ensino médio e suas normas complementares aprofundaram o abismo existente entre o ensino médio e a universidade, reforçaram a dualidade estrutural da educação, fragmentaram o currículo e esvaziaram de sentido tanto as disciplinas tradicionais como aquelas introduzidas pela própria reforma.

 

Palavras-chave: Educação Profissional. Currículo. Neoliberalismo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BELTRÃO, Tatiana. Senado Notícias Reforma tornou ensino profissional obrigatório em 1971 Tatiana Beltrão | 03/03/2017, 18h50 - ATUALIZADO EM 27/09/2017, 23h46

BRASIL. Constituição (1937). Constituição dos Estados Unidos do Brasil. Diário Official, 19 nov. 1937b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao37.htm. Acesso em: 10 nov. 2023.

BRASIL. Decreto-Lei nº 4.073, de 30 de janeiro de 1942. Lei orgânica do ensino industrial. Diário Official, Seção 1, 9 fev. 1942b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1937-1946/del4073.htm. Acesso em: 29 ago. 2023.

BRASIL. Decreto nº 5.241, de 22 de agosto de 1927. Crêa o ensino profissional obrigatório nas escolas primarias subvencionadas ou mantidas pela União, bem como no Collegio Pedro lI e estabelecimentos a este equiparados e dá outras providencias. Diário Official, 26 ago. 1927a. Seção 1, p. 18653. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1920-1929/decreto-5241-22-agosto-1927563163-publicacaooriginal-87295-pl.html. Acesso em: 16 ago. 2023.

BRASIL. Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Crêa nas capitaes dos Estados da Republica Escolas de Aprendizes Artifices, para o ensino profissional primario e gratuito. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 26 de setembro de 1909. Acesso em 11 nov. 2023.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em 12 ago. 2023.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 6, de 20 de setembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=116 63-rceb006-12-pdf&category_slug=setembro-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 12 ago. 2023.

CASTANHA, André Paulo. O uso da Legislação Educacional como fonte: orientações a partir do marxismo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 309-331, abr2011.

CASTEL, Robert; POLETI, Iraci D. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. In: As Metamorfoses da questão social: Uma crônica do salário. 2008. p. 611-611.

Ciavatta, M., & Ramos, M. (2012). Ensino Médio e Educação Profissional no Brasil: dualidade e fragmentação. Retratos Da Escola, 5(8), 27–41. https://doi.org/10.22420/rde.v5i8.45

CIAVATTA, Maria. O ensino integrado, a politecnia e a educação omnilateral. Por que lutamos? Trabalho & Educação. v.23, n.1, jan-abr. Belo Horizonte, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9303. Acesso em 11 ago. 2023.

DE PAULA, J. C.; ALVES PEREIRA, C. As reformas educacionais e as perspectivas da Educação Profissional no Brasil do século XXI. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 1, n. 23, p. e13890, 2023. DOI: 10.15628/rbept.2023.13890. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/13890. Acesso em: 30 ago. 2023.

FERRETTI, Celso João & SILVA, Monica Ribeiro. Reforma do Ensino Médio no contexto da medida provisória no 746/2016: Estado, currículo e disputas por hegemonia. Educ. Soc., Campinas, v. 38, nº. 139, p.385-404, abr.-jun., 2017

FRIGOTO, Gaudêncio. Educação Profissional E Capitalismo Dependente: O Enigma Da Falta E Sobra De Profissionais Qualificados. Trab. Educ. Saúde, v. 5 n. 3, p. 521-536, nov.2007/fev.2008

Glossário de História Luso-Brasileira do Arquivo Nacional, 2018. Alvará que proíbe as fábricas e manufaturas no Brasil. Disponível em: http://historialuso.arquivonacional.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3674:alvara-que-proibe-as-fabricas-e-manufaturas-no-bra&catid=145&Itemid=287. Acesso em 30 de outubro de 2023.

Krawczyk, N., & Ferretti, C. J. (2017). Flexibilizar para quê? Meias verdades da “reforma”. Retratos Da Escola, 11(20), 33–44. https://doi.org/10.22420/rde.v11i20.757

LE GOFF, Jacques. História e memória. São Paulo: Editora da Unicamp, 2013

MANACORDA, Mario Alighiero. Marx e a pedagogia Moderna. Tradução Newton Ramos de Oliveira. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. Trad. de Paulo César Castanheira e Sérgio Lessa. São Paulo: Boitempo, 2002.

MONTALVÃO, Sérgio. A LDB de 1961: apontamentos para uma história política da educação. Mosaico, v. 2, n. 3, p. 21-39, 2010.

OLIVEIRA, Pablo Menezes. Educação Profissional e Tecnológica no Brasil: da história à teoria, da teoria a práxis / Adilson Ribeiro de Oliveira, Gláucia do Carmo Xavier, José Fernandes da Silva, Shirlene Bemfica de Oliveira (organizadores) – Curitiba: CRV, 2020. Tão Antiga, Tão Nova: breves notas para uma história da Educação Profissional no Brasil

PIRES BARROS CARDOZO, M. J. .; IMBIRIBA SOUSA COLARES, M. L.; ALENCAR COLARES, A. Apontamentos para a análise das políticas educacionais a partir do método histórico- dialético. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 32, n. 1, p. e-rte321202348, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.65475. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/65475. Acesso em: 2 nov. 2023.

PRADO JR., Caio. História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2004.

SALA, Mauro. 1981- Privatização, dualidade e inconsistência nas políticas para a educação profissional e superior nos governos Lula e Dilma : as fragilidades do reformismo na educação / Mauro Sala. – Campinas, SP : [s.n.], 2020. SalOrientador: Evaldo Piolli. SalTese (doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação.

Vicentini, W. R. (2021). APONTAMENTOS PARA A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: A Educação profissional e superior no Brasil da era Vargas. Cadernos Zygmunt Bauman, 11(27). Recuperado de https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/bauman/article/view/17891

VIDAL, D. G.. 80 anos do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova: questões para debate. Educação e Pesquisa, v. 39, n. 3, p. 577–588, jul. 2013.

Downloads

Publicado

2024-05-24

Como Citar

DE PAULA, J. C. Ensino Profissional e Tecnológico na era do reformismo: : contradições legais e horizontes potenciais. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 33, n. 1, p. e-rte331202446, 2024. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2024v33n1.68624. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/68624. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Quais juventudes querem os currículos? Quais currículos querem as juventudes?