BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR E (SEMI) FORMAÇÃO

quais os dilemas para a escola atual?

Palavras-chave: BNCC, Teoria Crítica, Formação

Resumo

Este artigo trata do tema (semi) formação, Base Nacional Comum Curricular e escolarização. É resultado de reflexões e problematizações oriundas da disciplina de Currículo e Escola por mim ministrada junto aos cursos de Licenciatura de uma Universidade do Estado de São Paulo. Tem como objetivo geral refletir criticamente sobre as influências que a BNCC traz às políticas de formação docente na atualidade. Além do suporte bibliográfico educacional específico, o artigo ampara-se nas discussões teóricas desenvolvidas por Theodor Adorno em seus textos filosófico-educacionais discorrendo sobre o conceito de (semi) formação e educação. A análise proposta conclui que a BNCC poderá transformar a estrutura curricular brasileira não pelo caminho da formação cultural (Bildung), mas pelos interesses mercadológicos baseados em aspectos como competitividade, produtividade e empreendedorismo, reduzindo as possibilidades de crítica. Assim, a crítica adorniana à sociedade performática emerge como um referencial teórico que contempla a possibilidade de desenvolver em bases diferentes a análise do processo social em que se insere a educação escolar e seus vínculos com a Semiformação.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ademir Henrique Manfré, Universidade do Oeste Paulista, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Estadual Paulista e professor da Faculdade de Artes, Ciências, Letras e Educação da Universidade do Oeste Paulista.

Referências

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução de Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar ed., 1985.

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Teoria da Semicultura. Tradução de Newton RAMOS-DE-OLIVEIRA; Bruno Pucci; Cláudia B. M. Abreu. Educação e Sociedade, n. 56, Campinas, São Paulo: Papirus, dez. 1996, p. 388-441.

BRASIL. MEC. CONSED. UNDIME. Base Nacional Comum Curricular. Versão final. MEC/CONSED/UNDIME/MPB, 2017.

CHAUÍ, Marilena. Contra o discurso competente. In: ROCHA, André (org.). Escritos de Marilena Chauí. São Paulo: ed. Fundação Perseu Abramo, 2014, p. 113-115.

CURY, Carlos R; REIS, Magali; ZANARDI, Teodoro. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2018.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 1996.

DIAS, Juciele; NOGUEIRA, Luciana. O político-ideológico na (nova) Base nacional Comum Curricular: uma análise discursiva das competências e habilidades. In: Anais do VIII SEAD – O político na análise do discurso: contradição, silenciamento, resistência. Recife, 12 a 15 set 2017, p. 1-10. Disponível em: http://www.sead.com.br. Acesso em: 12 nov. 2018.

MACEDO, Elizabeth. Base Nacional Comum para currículos: direitos de aprendizagem e desenvolvimento para quem? Educação e Sociedade, Campinas, v. 36, n. 133, p. 891-908, out./dez. 2015.

MORENO FILHO, José W. N. Cultura do empreendedorismo: modo de vida e microfascismo contemporâneo. Anais do VI SIEF: Simpósio Internacional em Educação e Filosofia. Universidade Estadual Paulista/FCT, Presidente Prudente/SP, 2015, p. 651-66.

MOVIMENTO PELA BASE NACIONAL COMUM. A Base. 2016. Disponível em: http://basenacionalcomum.org.br/a-base. Acesso em: 02 nov. 2016.

MOVIMENTO PELA BASE NACIONAL COMUM. Necessidade e construção de uma Base nacional Comum. 2015. Disponível em: http://basenacionalcomum.org.br. Acesso em: 29 set. 2018.

PAGNI, Pedro A.; SILVA, Divino J. A crítica da cultura e os desafios da Educação após Auschwitz: uma leitura a partir da Teoria Crítica da Escola de Frankfurt. In: PAGNI, Pedro A.; SILVA, Divino J. (orgs.). Introdução à Filosofia da Educação: temas contemporâneos e história. São Paulo: Avercamp, 2007, p. 243-271.

PUCCI, Bruno. A teoria da Semicultura e suas contribuições para a Teoria Crítica da educação. In: ZUIN, Antônio A. S.; PUCCI, Bruno; RAMOS-DE-OLIVEIRA, Newton (orgs.). A educação danificada: contribuições à Teoria Crítica da Educação. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1997, p. 89-113.

PUCCI, Bruno; ZUIN, Antônio A. S.; RAMOS-DE-OLIVEIRA, Newton. Adorno: o poder educativo do pensamento crítico. Petrópolis, Rio de janeiro: Vozes, 1994.

RIBEIRO, Willian; ROCHA, Simony. Sentidos de currículo e de Base nacional Comum Curricular: disputas discursivas em um curso de formação de professores. Revista de Educação, Ciências e Matemática. V. 7, n. 2, maio/ag. 2017, p. 4-23.

SILVA, Mônica R. Currículo, ensino médio e BNCC: um cenário em disputas. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 367-379, jul./dez. 2015. Disponível em: http//: www.esforce.org.br. Acesso em: 02 dez. 2018.

SILVA, Mônica R. Tecnologia, trabalho e formação na reforma curricular do ensino médio. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 137, p. 411-430, maio/ag. 2009.

Publicado
2020-12-11
Como Citar
MANFRÉ, A. H. BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR E (SEMI) FORMAÇÃO. Revista Espaço do Currículo, v. 13, n. Especial, p. 935-945, 11 dez. 2020.