O PROJETO CANOEIRO

travessias mitopoéticas da formação de professores/as indígenas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.53922

Palavras-chave:

Complexidade, Transdisciplinaridade, Formação, Mitopoesia, Etnopoesia

Resumo

Este artigo é uma narrativa etnopoética de uma experiência de formação de professores/as indígenas realizada em São Gabriel da Cachoeira no estado do Amazonas. Trata-se de um processo formativo inspirado nos operadores da complexidade e da transdisciplinaridade. Metodologicamente, este trabalho foi desenvolvido por meio da pesquisa etnográfica. A pesquisa buscou estabelecer diálogos entre dois operadores cognitivos: pensamento sensível e pensamento científico, inerentes ao contexto da formação. Enfim, trata-se de uma pesquisa inspirada pela experiência do sentido e do vivido, a qual se procurou nutrir de sensibilidades, imaginários, intuições, sabedorias, ética e estética, processos potencializadores da produção de conhecimento dos aprendentes indígenas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Egle Wanzeler, Universidade Estadual do Amazonas, Brasil.

Doutorado em Antropologia pela PUC/SP, professora de História da Educação na Universidade do Estado do Amazonas, coordenadora do Curso de Especialização em Gestão de Projeto e Fromação Docente e do Laboratório de Ensino, Pesquisa e Experiências Transdisciplinares em Educação. 

Referências

BACHELARD, Gaston. Ensaio sobre o conhecimento aproximado. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 2004.

BHABHA, Homi K. O Local da Cultura. Tradução de Miriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis e Gláucia Renata Gonçalves. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

BOUTINET, Jean-Pierre. Antropologia do Projeto. Tradução Patrícia de Chittoni Ramos. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.

CAMPBELL, Joseph. O Poder do Mito. Tradução de Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Palas Athena, 1990.

CAPRA, Fritjof. As Conexões ocultas. Ciência para uma vida sustentável. Tradução Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Cultrix Editora, 2003.

CARVALHO, Edgard de Assis. Enigmas da Cultura. São Paulo: Cortez, 2003.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Introdução a uma história indígena. In: CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). História dos Índios no Brasil. São Paulo: Fapesp; Companhia das Letras e Secretaria Municipal de Cultura, 1998.

DIAKURU & KISIBI. A Mitologia Sagrada dos Desana-Wari Dihputitro Põrã. São Gabriel da Cachoeira, Amazonas: UNIRT/FOIRN/ISA, 1996.

FITCHE, Hubert. Etnopoesia. Antropologia Poética das Religiões Afro-americanas. Tradução de Cristina Alberts e Reny Hernandes. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.

GRUZINSKI, Serge. O Pensamento Mestiço. Tradução Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O Pensamento Selvagem. Tradução Tânia Pellegrini. Campinas, SP: Papirus, 1989.

______. Mito e Significado. Lisboa: edições 70, 1978

MAFFESOLI, Michel. Elogio da Razão Sensível. Tradução de Albert Christophe Migueis Stuckenbruck. 3ª Ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1998.

MATURANA, Humberto; VARELA. De Máquinas e seres vivos: autopoiese – a organização do ser vivo. 3a ed. Tradução de Juan Acña Llorens. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MORIN, Edgar. O Método 2: a vida da vida. Tradução de Marina Lobo. Porto Alegre: Sulina, 2001a

______. O Método 4. As ideias, habitat, vidas, costumes, organização. Tradução de Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2001b.

______. Terra Pátria. Tradução de Paulo Alves. Porto Alegre: Sulina, 2001.

______. Por uma reforma do pensamento. In: O pensar complexo: Edgar e a crise da modernidade. Tradução de Nascimento, Elimar Pinheiro do e Pena-Veja, Alfredo. (orgs). 3a ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2001)

______. Introdução ao Pensamento Complexo. Tradução de Dulce Matos. 4a ed. Lisboa: Instituto Piaget, 2003

ÃRÕKUMU, Umusĩ & KĒHÍRI, Tõrãmũ. Antes o Mundo não Existia: mitologia dos antigos Desana-Kēhíripõrã. São Gabriel da Cachoeira, Amazonas: UNIRT/FOIRN/ISA, 1995.

RIBEIRO, Berta. Os Índios das Águas Pretas. São Paulo: Edusp e Companhia das Letras, 1995.

SERRES, Michel. O Contrato Natural. Tradução Serafim Ferreira. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

______. O Terceiro Instruído. Tradução Serafim Ferreira. Lisboa: Instituto Piaget, 1993.

SIQUEIRA, Ailton. O Mito e o Re-encantamento do Mundo. Entrevista cedida a Eglê Wanzeler. Manaus, 2006.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

SOMMERMAN, Américo. Formação e Transdisciplinaridade. Uma pesquisa sobre as emergências formativas do CETRANS. Dissertação de Mestrado. Universidade de Lisboa. Portugal, 2003.

TROCMÉ-FABRE. A Árvore do Saber-aprender: rumo a um referencial cognitivo. Tradução de Marli Segreto. São Paulo: TRIOM, 2004.

WANZELER, Eglê Betânia Portela. Çairé: nos Rios do Imaginário, a construção da identidade cultural. UFAM: Dissertação de Mestrado, 2002.

______. O Pensamento Sensível nos entre-lugares da Ciência: formação de professores indígenas em São Gabriel da Cachoeira/AM. Tese (doutorado em Antropologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2012.

Downloads

Publicado

2020-10-21

Como Citar

WANZELER, E. O PROJETO CANOEIRO: travessias mitopoéticas da formação de professores/as indígenas. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 408–425, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.53922. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/53922. Acesso em: 7 dez. 2021.