INFÂNCIA E CURRÍCULO

desdobramentos da implementação do Ensino Fundamental de nove anos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.53932

Palavras-chave:

Infância, Currículo, Ensino Fundamental de nove anos, Cotidiano

Resumo

O presente artigo discute a relação entre infância e currículo, tendo como pano de fundo a experiência de alunos e professores de duas escolas do município de Vitoria – ES frente a implementação do “Ensino Fundamental de nove anos”, na tentativa de discutir seus desdobramentos, nos propomos a dialogar com o documento orientador: projeto ciclo inicial de aprendizagem elaborado no ano de 2010 e conversar com os sujeitos praticantes do cotidiano escolar: crianças e professores. Nosso texto traz como referência autores do currículo e da infância como Alves (2002; 2010), Ferraço (2005), Certeau (1994), Kohan (2003) e Larrosa (2004) que potencializaram nossas análises dando visibilidade aos saberes da escola, valorizando o conhecimento das crianças e das professoras. Concebemos a escola a partir de suas forças políticas e desejantes, isto é, lugar de embates entre as formas instituídas e instituintes. Nesse sentido, temos como objetivo central discutir como as políticas e práticas estão presentes nas escolas, nos fazeresaberes dos sujeitos praticantes.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Kelen Antunes Lyrio, Prefeitura Municipal de Vitória - Espírito Santo, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo e  pedagoga da Prefeitura Municipal de Vitória. 

Angela Francisca Caliman Fiorio, Governo do Estado do Espírito Santo e Prefeitura Municipal de Vitória, Brasil.

Doutorado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Espírito Santo. Pedagoga no Governo do Estado do Espírito Santo e Gerente do Ensino Fundamental da Prefeitura Municipal de Vitória.

Referências

ALVES, Nilda. Redes educativas ‘dentrofora’ das escolas, exemplificadas pela formação de professores. In: Encontro nacional de didática e prática de ensino, XV, 2010, Belo Horizonte. Coleção didática e prática de ensino - convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente: Currículo; ensino de Educação Física; ensino de Geografia; ensino de História; Escola, Família e Comunidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, p. 49 – 66.

ALVES, Nilda. Tecer conhecimento em rede. In.: ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite (org.). Et al. O Sentido da Escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite. A necessidade da orientação coletiva nos estudos sobre cotidiano - duas experiências. In.: BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Neto (org.). A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis: ED. DA UFSC, São Paulo: Cortez, 2002.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 2007.

BRASIL, Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Diretrizes e Bases da Educação Nacional, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 7 de 14 de dezembro de. Fixa as diretrizes nacionais para o Ensino Fundamental de Nove Anos. Diário oficial da união, Brasília, 18 de dezembro, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara da Educação Básica. Parecer CNE/CEB nº 22/2009, de 9 de dezembro de 2009. Disponível em www.mec.gov.br/cne.

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Lei nº 10.172/2001, de 9 de janeiro de 2001.

CERTEAU, Michel De. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO (Vitória). Resolução nº 07/2008. Lei nº 4.746/1998. Atos Oficiais, Vitória,10 dez. 2008.

FERRAÇO, Carlos Eduardo (Org.). Currículo, formação continuada de professores e cotidiano escolar: fragmentos de complexidade das redes vividas. In.: FERRAÇO, Carlos Eduardo (org.). Cotidiano escolar, formação de professores(as) e currículo. São Paulo: Cortez, 2005.

KOHAN, Walter Omar. Infância. Entre educação e filosofia. 1. ed. – Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

LARROSA, Jorge. Linguagem e Educação depois de Babel. Belo Horizonte, Autêntica, 2004a.

______. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. 4. ed. –Belo Horizonte: Autêntica, 2004b.

PÉREZ, Carmen Lúcia Vidal. Professoras alfabetizadoras. Histórias plurais, práticas singulares. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Secretaria Municipal de Educação. Temas Infantis de Vitória. 2019.

PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Secretaria Municipal de Educação. Diretrizes Curriculares do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos. 2016.

PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Secretaria Municipal de Educação. Documento orientador: Projeto Ciclo inicial de aprendizagem. 2010.

PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA. Secretaria Municipal de Educação. Educação Infantil: Um outro olhar. 2006.

Downloads

Publicado

2020-11-10

Como Citar

LYRIO, K. A.; FIORIO, A. F. C. . INFÂNCIA E CURRÍCULO: desdobramentos da implementação do Ensino Fundamental de nove anos. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 613–624, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.53932. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/53932. Acesso em: 27 set. 2021.