NARRATIVAS DE EXPERIÊNCIAS EDUCACIONAIS DE UM GRUPO DE MIGRANTES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13nEspecial.54417

Palavras-chave:

Narrativas, Experiências educacionais, Migrantes

Resumo

Este artigo é recorte de uma pesquisa maior, tendo como temática central a diversidade. Tratamos aqui de algumas experiências de educação escolar vivenciada por um grupo de migrantes, focando as problemáticas postas na constituição dos atendimentos pelas políticas públicas. Para a realização do estudo adotamos a pesquisa narrativa, trazendo fragmentos de relatos narrativos de estudantes migrantes haitianos que frequentavam três escolas estaduais em Cuiabá-MT. Os significados evidenciados nos relatos indicam necessidades de institucionalização de projetos e de reorientações curriculares voltadas aos interesses dos coletivos de indivíduos que se encontram em condições de desigualdade e exclusão social Concluimos este estudo sugerindo o desafio de mergulharmos em histórias e narrativas que nos ajudem a interferir de maneira positiva nestes percalços que os povos migrantes vêm enfrentando.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Filomena Maria Arruda Monteiro, Universidade Federal de Mato Grosso, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos e professora Associada da Universidade Federal de Mato Grosso.

Carlos Alberto Caetano, Universidade Federal de Mato Grosso, Secretaria de Estado da Educação do Estado de Mato Grosso, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso e professor de sociologia e filosofia na Rede Pública Estadual de Educação do Estado de Mato Grosso.

Referências

ARROYO, Miguel González. Os coletivos diversos repolitizam a formação. In: DINIZPEREIRA, Júlio Emíllio; LEÃO, Geraldo (Orgs.). Quando a diversidade interroga a formação docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 11-36.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil. Acesso em: 19 nov. 2018.

BRASIL. Lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: [s.n.], 2003.

BRASIL. Lei 11.645, de 10 de março de 2008. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso em: 19 nov. 2018.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica2013-pdf/file. Acesso em: 14 nov. 2017.

BRASIL. Lei nº 12.796, de 04 de abril de 2013. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12796.htm#art2. Acesso em: 05 abr. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br./site/base/. Acesso em: 20 jul. 2018.

BRASIL, Lei nº 13.632, de 06 de março de 2018. Dispõe sobre educação e aprendizagem ao longo da vida. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2018/lei-13632-6-marco-2018-786231publicacaooriginal-154957-pl.html. Acesso em: 05 jun. 2019.

CANEN, Ana; OLIVEIRA, Angela Maria. A. Multiculturalismo e currículo em ação: um estudo de caso. Revista Brasileira de Educação, nº 21, set-dez. 2002.

CLANDININ, Denise. Jean; CONNELLY, Michael, Pesquisa Narrativa: Experiências e História em pesquisa qualitativa, 2º Edição revisada, Editora da Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia-MG, 2011.

CASTLES, Stephen; MILLER, Mark J. La era da la migración: Movimientos internacionales de población en el mundo moderno. Traducción: Luís Rodolfo Morán Quiroz. México: Universidad Autónoma de Zacatecas, Instituto Nacional de Migración, Fundación Colosio: Miguel Ángel Porrúa, 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO, Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Básica: Diversidade e Inclusão, Organizado por Cleia Brandão Alvarenga Craveiro e Simone Medeiros, Brasília, Editora Universidade federal de Goiás, 2013.

CONVENÇÃO DE HAIA. Disponível em: https://www.hcch.net/pt/instruments/conventions/specialised-sections/apostille. Acesso em: Acesso em: 20 jul. 2018.

MAUÉS, Olgaíses. Cabral; CAMARGO, Arlete. Maria. Monte de. A expansão do ensino superior, políticas de formação docente e atratividade da carreira. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 1, p.77-91, 2014.

NOGUEIRA, Oracy. Preconceito de racial marca e preconceito racial de origem. Tempo Social Revista de Sociologia da USP, São Paulo, Volume 19, Número 1, novembro, 2006.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA MIGRAÇÕES. Relatório Migração Global, 2020

SILVA, Tomás Tadeu da. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: autêntica, 2003.

Downloads

Publicado

2020-12-11

Como Citar

MONTEIRO, F. M. A.; CAETANO, C. A. . NARRATIVAS DE EXPERIÊNCIAS EDUCACIONAIS DE UM GRUPO DE MIGRANTES. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 13, n. Especial, p. 874–883, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13nEspecial.54417. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/54417. Acesso em: 18 set. 2021.