PROTAGONISMO INDÍGENA NA PÓS-GRADUAÇÃO

decolonizando o currículo e o espaço universitário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13nEspecial.54471

Palavras-chave:

Protagonismo indígena, Pós-graduação, Decolonialidade, Currículo, Espaço universitário

Resumo

Tendo como referência as experiências vividas com indígenas em cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado) no Mato Grosso do Sul e alguns anos de pesquisa com a temática, o artigo busca refletir a presença dos indígenas na Pós-graduação e suas contribuições para a decolonização do currículo e do espaço universitário. Amparado em estudos que estão marcados pelo pensamento de intelectuais que se orientam pela cosmovisão de populações tradicionais e que transitam pelos diferentes espaços escolares/acadêmicos, o texto apresenta que a convivência presencial com a diferença tem sido enriquecedora, pois tem oportunizado os currículos dos Programas serem transversalizados por conhecimentos que não os hegemônicos e homogêneos, tem dado aos povos indígenas e as suas resistências uma visibilidade outra, que não a colonial (de inferiorização, subalternização, negação e satanização) e tem proporcionado a desconstrução de preconceitos históricos, bem como, para todos o entendimento de que os saberes da diferença têm estado presente e devem, cada vez, mais serem confirmados como partes importantes na construção dos chamados conhecimentos universais.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Adir Casaro Nascimento, Universidade Católica Dom Bosco, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e Professora titular da Universidade Católica Dom Bosco.

Carlos Magno Naglis Vieira, Universidade Católica Dom Bosco, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco e Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica Dom Bosco.

Antônio Hilário Aguilera Urquiza, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.

Doutor em Antropologia pela Universidade de Salamanca e professor e coordenador da Pós-graduação em Antropoligia Social da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Referências

URQUIZA, Antonio H. Aguilera; NASCIMENTO, Adir C. REDE DE SABERES - Políticas de Ação Afirmativa no Ensino Superior para indígenas no Mato Grosso do Sul. 01. ed. Rio de Janeiro: FLACSO, GEA; UERJ, LPP, 2013. v. 01. 86 p.

URQUIZA, Antonio H. Aguilera; LANDA, B. S. (Org.); FERREIRA, E. M. L. (Org.); BRITO VIANNA, F. L. (Org.). Indígenas no ensino superior: as experiências do programa Rede de Saberes, em Mato Grosso do Sul. 01. ed. Rio de Janeiro: E-papers, 2014.

URQUIZA, Antonio H. Aguilera; Educación superior en Brasil y modalidades de colaboración intercultural - espacio estratégico de construcción de la autodeterminación de los pueblos indígenas. SÉRIE-ESTUDOS, v. 24, p. 63-81, 2019.

ARROYO, Miguel G. Outros sujeitos, outras pedagogias. Petrópolis/RJ: Ed. Vozes, 2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: DF: Senado Federal, 1998

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: DF, 1996

BRASIL. Lei nº 10.172, de 09 de Janeiro de 2001.

Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Brasília: DF, 2001

BACKES, José Licínio; NASCIMENTO, Adir Casaro. Aprender a ouvir as vozes dos que vivem nas fronteiras étnico-culturais e da exclusão: um exercício cotidiano e decolonial. Série-Estudos (UCDB), v. 31, 2011.

BERGAMASCHI, Mª Aparecida; DOEBBER, Michele Barcelos; BRITO, Patrícia Oliveira. Estudantes indígenas em universidades brasileiras: um estudo das políticas de acesso e permanência. In: Revista brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 99, n. 251, p.37-53, jan./abr. 2018.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG. 1998.

DAL BÓ, Talita Lazarin. A presença de estudantes indígenas nas universidades: entre ações afirmativas e composições de modos de conhecer. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2018.

LARROSA BONDÍA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, jan.- abr. 2002.

LIMA, Antônio Carlos de Souza. Ações afirmativas no ensino superior e povos indígenas no Brasil: uma trajetória de trabalho. Horizontes Antropológicos (online), v. 24, p. 377-448, 2018.

LUCIANO, Gersem José dos Santos; OLIVEIRA, João Cardoso de; HOFFMANN, Maria Barroso. Olhares Indígenas Contemporâneos. Brasília: Centro Indígena de Pesquisas (CINEP), 2010.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto; In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago & GROSFOGUEL, Ramon (Cord.) El giro decolonial: reflexiones para uma diversidad epistêmica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores; 2007.

NASCIMENTO, Adir Casaro. Fronteiras étnico-culturais e fronteiras da exclusão e o diálogo com as culturas ancestrais: uma construção difícil, mas possível. In: Revista Série - Estudos, v. 1, Campo Grande: UCDB, 2014.p. 33-46.

NASCIMENTO, Adir Casaro; VIEIRA, Carlos Magno Naglis; LANDA, Beatriz dos Santos. Experiências interculturais na universidade: a presença dos indígenas e as contribuições à lei n° 11.645/08. Cadernos Cedes (UNICAMP) impresso, v. 39, p. 397-416, 2019.

SANTOS, Boaventura de Souza. A construção intercultural da igualdade e da diferença. In: SANTOS, Boaventura de S. A Gramática do Tempo. SP: Cortez, 2006.

SACAVINO, Suzana Beatriz. Educação descolonizadora e interculturalidade: notas para educadora e educadores. In: CANDAU, Vera Maria (Org.). Interculturalizar, descolonizar, democratizar: uma educação “outra”? Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016.

SILVA, Tomás Tadeu da; (org.) Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

VIEIRA, Carlos Magno Naglis. Elementos acerca da sociodiversidade dos povos indígenas do Brasil e no Mato Grosso do Sul. In: Antônio Hilário Aguilera Urquiza. (Org.). Antropologia e História dos povos indígenas em Mato Grosso do Sul. 1ed.Campo Grande: UFMS, 2016.

WALSH, Catherine. Notas pedagógicas a partir das brechas decoloniais. In: CANDAU, Vera Maria (Org.). Interculturalizar, descolonizar, democratizar: uma educação “outra”? Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016.

Downloads

Publicado

2020-12-11

Como Citar

NASCIMENTO, A. C.; NAGLIS VIEIRA, C. M.; URQUIZA, A. H. A. PROTAGONISMO INDÍGENA NA PÓS-GRADUAÇÃO: decolonizando o currículo e o espaço universitário. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 13, n. Especial, p. 866–873, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13nEspecial.54471. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/54471. Acesso em: 22 set. 2021.