PEDAGOGIA DA RUPTURA

ocupando as margens do ensino remoto para dinamização didático-curricular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n1.56411

Palavras-chave:

Ensino Remoto, Pandemia, Didática, Currículo

Resumo

O texto consiste em um ensaio reflexivo estruturado por questões acerca do cenário de práticas pedagógicas inauguradas pelo ensino remoto. São exploradas, do ponto de vista crítico, as contradições da implementação do ensino remoto, considerando, de um lado, a sua condição como estratégia possível para a ação educativa no contexto da pandemia, e por outro lado, os riscos advindos do reforço de um modo didático-curricular individualizante, prescritivo e padronizado. Apontam-se alguns pressupostos de sistematização didática apoiados na crença de que a função social da escola e a aprendizagem escolar não se reduzem ao desempenho individual de estudantes em tarefas programadas e que a mediação docente requer construir uma atmosfera de interação, colaboração e pensamento crítico. Defende-se a legitimidade da escola como espaço de formação de sociabilidades plurais que demandam a presença como dispositivo de aprendizagem.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

José Leonardo Rolim de Lima Severo, Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Federal da Paraíba e Professor Adjunto da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

ARROYO, Miguel. Currículo: território em disputa. Petrópolis: vozes, 2011.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 42. ed. Rio de Janeiro; São Paulo: Paz e Terra, 2018.

IMBERNÓN, Francisco. Qualidade do ensino e formação do professorado: uma mudança necessária. São Paulo: Cortez, 2016.

LIBÂNEO, José Carlos. Politicas educacionais no Brasil: desfiguramento da escola e do conhecimento escolar. Cadernos de Pesquisa, v. 46, p. 38-62, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/v46n159/1980-5314-cp-46-159-00038.pdf

LUCERO, María Margarita. Entre el trabajo colaborativo y el aprendizaje colaborativo. Revista Iberoamericana de Educación. Vol. 33, n. 1, 2003, p. 1-21. Disponível em: https://doi.org/10.35362/rie3312923

MARTINS, Letícia Martins de; RIBEIRO, José Luis Duarte. Engajamento do estudante no ensino superior como indicador de avaliação. Avaliação, Campinas, vol.22 no.1 Sorocaba Jan./Apr. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s1414-40772017000100012

PIMENTA, S. G. As ondas críticas da didática em movimento: resistência ao tecnicismo/neotecnicismo neoliberal. In: SILVA, M.; NASCIMENTO, O. C.; ZEN, G. C. (orgs.). Didática: abordagens teóricas contemporâneas. Salvador: EDUFBA, 2019. p. 19-64.

PIMENTA, S. G. Para uma re-significação da didática – ciências da educação, pedagogia e didática (uma revisão conceitual e uma síntese provisória). In: PIMENTA, S. G. (org.). Didática e formação de professores: percursos e perspectivas no Brasil e em Portugal. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2010. p. 23-87.

SCHMIED-KOWARZIK, W. Pedagogia dialética: de Aristóteles a Paulo Freire. São Paulo: Brasiliense, 1988.

SOUSA SANTOS, Boaventura de Sousa. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina, 2020.

TORRES SANTOMÉ, Jurjo. Currículo escolar e justiça social: o cavalo de Troia da educação. Porto Alegre: Penso, 2013.

Downloads

Publicado

2021-03-24

Como Citar

SEVERO, J. L. R. de L. PEDAGOGIA DA RUPTURA: ocupando as margens do ensino remoto para dinamização didático-curricular. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 1–10, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n1.56411. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/56411. Acesso em: 13 maio. 2021.