‘VENDOOUVINDOSENTINDOFAZENDOPENSANDO’ COM O CINEMA

redes educativas e sentidos enredados nas atmosferas das práticas heterotópicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v14i3.59947

Palavras-chave:

Redes educativas, Cinemas, Práticas heterotópicas, Imagens e Educação

Resumo

Temos por finalidade, neste artigo, abordar as interfaces entre criações de imagens, cinema e os efeitos e sensações produzidos nesses encontros. A partir de Alves (2016), entendemos as redes educativas que nos formam e formamos com os outros, como importantes fluxos de ‘conhecimentossiginificações’. Com isso, buscamos compreender como as imagens (criações cotidianas) ‘vistasouvidassentidasfeitaspensadas’ provocam afetos, lembranças e narrativas que nos permitem conversar acerca de diferentes situações existenciais. Escolhemos o cinema, paixão dos autores, para pensarmos juntos com essas criações. De acordo com Deleuze e Guattari (1992), as imagens evocam nossos sentidos e nos permitem tecermos ‘personagens conceituais’ para continuarmos experimentando e resistindo e também como uma das muitas formas de ‘fazersentirpensar’ a educação. Acreditamos que os filmes podem nos envolver em bons encontros, consistindo em dispositivo aguçador de práticas heterotópicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leonardo Rangel dos Reis, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia e Professor de Sociologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia.

Maria Cecilia Castro, Colégio Universitário Geraldo Reis, Brasil.

Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e doutoranda pelo mesmo programa.

Marcelo Machado, Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro, Brasil.

Mestre em Processos Formativos e Desigualdades Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, doutorando em Educação pela mesma universidade, professor de Geografia na rede privada de educação e coordenador pedagógico da rede estadual de educação do Rio de Janeiro.

Referências

ALVES, Nilda. A formação com as imagens. Revista Interinstitucional Artes de Educar, Rio de Janeiro, v. 2, n. Especial, p. 235-252, jun./out. 2016.

ALVES, Nilda. Práticas Pedagógicas em Imagens e Narrativas – memórias de processos didáticos e curriculares para pensar as escolas hoje. São Paulo: Cortez, 2019.

ALVES, Nilda et al. Os movimentos necessários às pesquisas com os cotidianos – após muitas ‘conversas’ acerca deles. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa de et al. (Orgs.). Estudos do cotidiano, currículo e formação docente: questões metodológicas, políticas e epistemológicas. Curitiba: CVR, 2019. p. 18-45.

ALVES, Nilda. Possibilidade de “uso” de fotografias nas pesquisas de ‘espaçostempos’ de escolas. Revista Brasileira Educação Geografia, Campinas/SP, v. 3, n. 6, p. 158-176, jul./dez., 2013.

BARBERO, Jesús Martin. Novos regimes de visualidade e descentramentos culturais. In: FILÉ, Valter. (Org.) Batuques, fragmentações e fluxos: zapeando pela linguagem audiovisual escolar. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. p. 83-112.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte: EdUFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

CARVALHO, Janete Magalhães; SILVA, Sandra Kretli; DELBONI, Tânia Mara Zanotti Guerra Frizzera. Currículo e estética da arte de educar. In: CARVALHO, Janete Magalhães; SILVA, Sandra Kretli; DELBONI, Tânia Mara Zanotti Guerra Frizzera (Orgs.). Currículo e estética da arte de educar. Curitiba: CRV, 2020.

CERTEAU, Michel de. Invenção do cotidiano 1 – As artes de fazer. 22. ed. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 2014.

CORAZZA, Sandra Mara. Artistagens: filosofia da diferença e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

ELLSWORTH, Elizabeth. Modos de Endereçamento: uma coisa de cinema; uma coisa de educação também. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Nunca fomos humanos: nos rastros do sujeito. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

FIORAVANTE, Karina Eugenia; FERREIRA, Lohanne Fernanda. Ensino de Geografia e cinema: perspectivas teóricas, metodológicas e temáticas. Revista Brasileira de Educação em Geografia, Campinas, UNICAMP, v. 6, n. 12), p. 209-233, jul./dez. 2016. Disponível em: www.revistaedugeo.com.br. Acesso em: 10 jan. 2017.

FOUCAULT, Michel. De espaços outros. Estud. av. [online], v. 27, n. 79, p. 113-122, 2013 [cited 2021-03-15]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142013000300008. Acesso em: 10 jan. 2017.

GUATTARI, Félix. Linguagem, consciência e sociedade. In: GUATTARI, Félix et al. Saúde loucura, número 2. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 1990.

GUERÓN, Rodrigo. Da imagem ao clichê, do clichê à imagem: Deleuze, cinema e pensamentos Rio de Janeiro: NAU Editora, 2011.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Atmosfera, ambiência, Stimmung: sobre um potencial oculto da literatura. Rio de Janeiro: Contraponto; Editora PUC Rio, 2014.

LEITE, César Donizetti Pereira; CHISTÉ, Bianca Santos; CAMMAROTA, Giovani. Fazer morada na infância: imagens de currículos em devir-criança. In: CARVALHO, Janete Magalhães; SILVA, Sandra Kretli; DELBONI, Tânia Mara Zanotti Guerra Frizzera (Orgs.). Currículo e estética da arte de educar. Curitiba: CRV, 2020.

MACHADO, Arlindo. Fim da televisão? Revista Famecos - mídia, cultura e tecnologia, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 86-97, janeiro/abril 2011. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/8799/6163. Acesso em: 15/03/2021.

PARENTE, André. A forma cinema: variações e rupturas. In: MACIEL, K. (Org.). Transcinemas. Rio de Janeiro: Contracapa, 2009.

RANCIÈRE, Jaques. À partilha do sensível: estética e política. São Paulo: EXO experimental org.; Ed. 34, 2009.

REIS, Leonardo Rangel dos; MENDONÇA, Rosa Helena; JUNIOR, Ivan de Matos e Silva. Adiando o fim do mundo em tempos de pandemia: potências do ‘sentirfazerpensar’ com gestos e histórias. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient, Rio Grande, p. 43-64, jun. 2020. Dossiê temático “Imagens: resistências e criações cotidianas”. E-ISSN 1517-1256. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/11185. Acesso em: fev. 2021.

RIZEK, Cibele Saliba. Limites e limiares/Corpo e experiência. ReDObRA, n. 10, 2012. Disponível em: http://www.redobra.ufba.br/?page_id=54. Acesso em: abr. 2015.

SOARES, Maria da Conceição Silva; PAIVA, Vanessa Maria B.; NOLASCO-SILVA, Leonardo. Gênero e sexualidades praticados em currículos dissidentes nos/dos com os cotidianos escolares. Teias, v. 18, n. 51, out./dez. 2017 (Out./Dez.): Micropolítica, democracia e educação.

SOUSA, Raquel. Cinemas no Rio de Janeiro: trajetória e recorte espacial. 2014. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Disponível em: http://objdig.ufrj.br/16/teses/827589.pdf. Acesso em: 15/03/2021.

Downloads

Publicado

05-01-2022

Como Citar

REIS, L. R. dos; CECILIA CASTRO, M. .; MACHADO, M. . ‘VENDOOUVINDOSENTINDOFAZENDOPENSANDO’ COM O CINEMA: redes educativas e sentidos enredados nas atmosferas das práticas heterotópicas. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. 3, p. 1–13, 2022. DOI: 10.15687/rec.v14i3.59947. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/59947. Acesso em: 22 maio. 2024.