SEM SEPARAR-ME DA VIDA

o estágio curricular em Educação Física como experiência-limite

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v14i3.60192

Palavras-chave:

Estágio, Formação de professores, Educação Física

Resumo

O estágio é um elemento curricular central nos processos de fabricação e manutenção das identidades docentes. Ancorado em um relato produzido por um aluno de estágio supervisionado do curso de Educação Física de uma universidade pública, este artigo objetiva discutir os jogos de força que atravessam o estágio e apontar possibilidades outras de leitura e escrita dessa prática. Partindo de uma revisão que aponta para as mudanças no sentido do termo, o texto propõe a ressignificação do estágio a partir da noção de transgressão de Michel Foucault. Encarado como ação transgressora, que não se resume ao assujeitamento profissional dentro de uma ordem político-discursiva estabelecida, o estágio pode possibilitar a superação dos limites traçados, configurando-se como experiência-limite.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mário Luiz Ferrari Nunes, Universidade Estadual de Campinas, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) e Professor do Departamento de Educação Física e Humanidades da Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Samuel Ribeiro dos Santos Neto, Universidade Estadual de Campinas, Brasil.

Mestre em Educação Física e Doutorando em Educação na Universidade Estadual de Campinas.

Referências

AZEVEDO, Maria Antonia Ramos de; ANDRADE, Maria de Fátima Ramos de. O trabalho de orientação dos estágios frente aos diferentes cenários educacionais. Currículos sem Fronteiras, v. 11, n. 2, p. 147-161, jul./dez. 2011.

BALL, Stephen J. Performatividade, privatização e o pós-Estado do bem-estar. Educação e Sociedade, v. 25, n. 89, p. 1105-1126, set./dez. 2004.

BAUMAN, Zigmund. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadorias. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2008.

BENITES, Larissa Cerignoni; SOUZA NETO, Samuel. Educação Física, professores e estudantes: a escolha da docência como profissão e os saberes que lhes são constitutivos. Pensar a Prática, v.14, n. 2., p. 1-11, mai./ago. 2011.

COLOMBO, Irineu Mario; BALLÃO, Carmen Mazepa. Histórico e aplicação da legislação de estágio no Brasil. Educar em Revista, n. 53, p. 171-186, jul./set. 2014.

DIAZ, Mario. Foucault, Docentes e discursos pedagógicos. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. Liberdades reguladas: a pedagogia construtivista e outras formas de governo do eu. Petrópolis: Vozes, p. 14-29, 1999.

EHRENBERG, Mônica Caldas; NEIRA, Marcos Garcia. Análise da proposta de estágio na Licenciatura em Educação Física da Universidade de São Paulo. Revista Olh@res, v. 01, n. 01, p. 325-348, Maio, 2013.

FOUCAULT, Michel. Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão: um caso de parricídio no século XIX. Rio de Janeiro: Graal, 1977.

FOUCAULT, Michel. Herculine Barbin: Diário de um Hermafrodita. Rio de Janeiro: Francisco Alvez, 1983.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUSS, Hubert.; RABINOW, Paul. Michel Foucault: uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p. 231-249, 1995.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, Michel. A vida dos homens infames: Estratégia, poder-saber. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos IV: Estratégia, poder-saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p.203-222, 2003.

FOUCAULT, Michel. Tecnologias de si. Verve, n. 6, p. 321-360, out. 2004a.

FOUCAULT, Michel. A ética do cuidado de si como prática de liberdade. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos V: Ética, Sexualidade, Política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p.258-280, 2004b.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 2006.

FOUCAULT, Michel. Estruturalismo e Pós-estruturalismo. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos II: Arqueologia das Ciências e História dos Sistemas de Pensamento. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p. 322-350, 2008.

FOUCAULT, Michel. Prefácio à transgressão. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos III: Estética, literatura, pintura e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p. 28-46, 2009a.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? In: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos III: Estética, literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p. 264-298, 2009b.

FOUCAULT, Michel. A linguagem ao infinito. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos III: estética, literatura, pintura e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p.47-59, 2009c.

FOUCAULT, Michel. O pensamento do exterior. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos III: estética, literatura, pintura e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p. 219-242, 2009d.

FOUCAULT, Michel. A Hermenêutica do Sujeito: Curso do Collège de France (1981-1982). São Paulo: Martins Fontes, 2011.

FOUCAULT, Michel. Os anormais: Curso do Collège de France (1974-1975). São Paulo: Martins Fontes, 2013.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade II: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

KRUG, Hugo Norberto; IVO, Andressa Aita; CONCEIÇÃO, Victor Julierme Santos da; ILHA, Franciele Roos da Silva; KRUG, Rodrigo de Rosso. Necessidades formativas de acadêmicos de licenciatura em Educação Física em situação de estágio curricular supervisionado. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 8, n. 1, p. 252-274, 2013.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. São Paulo: Boitempo, 2019.

LIMA, Paulo Gomes; MARRAN, Ana Lúcia. Estágio curricular supervisionado no ensino superior brasileiro: algumas reflexões. Revista e-Curriculum, v. 7, n. 2, p. 1-19, ago. 2011.

MACHADO, Roberto. Foucault, a filosofia e a literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

MASSCHELEIN, Jan; SIMONS, Maarten. Em defesa da escola: uma questão pública. Belo Horizonte: Autêntica, 2ª ed, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A gaia ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

NUNES, Mário Luiz Ferrari; BENINI FILHO, Flávio de Andrade; BOSCARIOL, Marina Contarini. O estágio supervisionado de licenciatura em Educação Física como experiência de si. Revista e-Curriculum, v.16, n. 1, p. 82-108, jan./mar. 2018.

SILVA JÚNIOR, Arestides Pereira da; FLORES, Patric Paludett; BISCONSINI, Camila Rinaldi; ANVERSA, Ana Luíza Barbosa; OLIVEIRA, Amauri Aparecido Bássoli. Estágio curricular supervisionado na formação de professores em educação física: uma análise da legislação a partir da Resolução CFE – n° 03/1987. Pensar a Prática, v. 19, n. 1, p. 1-14, jan./mar. 2016.

SODRÉ, Marina de Lima; NEIRA, Marcos Garcia. A formação de professores de Educação Física na Universidade de São Paulo: análise das experiências de estágio disciplinar. Cadernos de Educação Física: estudos e reflexões, v. 10, n. 19, p 11-18, 2011.

TRINDADE, Thais Pulgatti. Vivências de estagiários de licenciaturas e contextos emergentes na educação básica. Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Santa Maria, fs 139, 2019.

WILLIAMS, James. Pós-estruturalismo. Petrópolis: Vozes, 2012.

Downloads

Publicado

22-12-2021

Como Citar

NUNES, M. L. F.; SANTOS NETO, S. R. dos . SEM SEPARAR-ME DA VIDA: o estágio curricular em Educação Física como experiência-limite. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. 3, p. 1–15, 2021. DOI: 10.15687/rec.v14i3.60192. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/60192. Acesso em: 25 maio. 2024.