DESLOCAMENTOS DISCURSIVOS E AS COMPETÊNCIAS DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA NA BNCC

contingência, precariedade e a impossibilidade de um “todos” para o currículo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v14iEspecial.60459

Palavras-chave:

Base Nacional Comum Curricular, Educação em Ciências, Política de Currículo

Resumo

O texto aborda as competências das Ciências da Natureza na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio a partir de uma perspectiva discursiva pós-estrutural, visando a realização de uma leitura desconstrutiva dos seus fundamentos pedagógicos, políticos e epistemológicos. A partir da teoria do discurso de Laclau e Mouffe (2015), problematiza-se a instituição de soluções fortemente pragmáticas para o currículo, supostamente baseadas em fundamentos sólidos de como a educação e a identidade do outro devem ser para se alcançar finalidades de resolução de demandas do mundo social e do trabalho, baseadas no registro epistemológico da ciência. Defende-se que a significação utilitária do currículo e das aprendizagens produz uma economização da experiência escolar à ideia de conhecimento como um troço útil que deve servir para os estudantes se virarem como cidadãos no mundo do trabalho e da vida cotidiana, mundo esse jamais plenamente antecipável e artificialmente reproduzível no currículo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Clívio Pimentel Junior, Universidade Federal do Oeste da Bahia, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia e Professor Adjunto I da Universidade Federal do Oeste da Bahia.

Referências

BARBERY, Muriel. A elegância do ouriço. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BIESTA, Gert. Para Além da Aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Ensino Médio. Brasília: MEC, 2018.

BURBULES, Nicholas. Uma gramática da diferença: algumas formas de repensar a diferença e a diversidade como tópicos educacionais. In: GARCIA, Regina Leite; MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa (Org.). Currículo na contemporaneidade: incertezas e desafios. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2012, p. 175-206.

CARVALHO, Maria Inez; SALES, Marcea Andrade; SÁ, Maria Roseli Gomes Brito de. Os Sinos Dobram Por Nós: o mundo, o Brasil e as narrativas curriculares dos últimos tempos. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 17, n. 47, p. 5-20, out/dez, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.12957/teias.2016.25864. Acesso em: 07 jul. 2021.

DE MENDONÇA, Daniel. Como olhar “o político” a partir da teoria do discurso. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, v. 1, n. 1, p. 153–169, 2009. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rbcp/article/view/1533. Acesso em: 9 jul. 2021.

DERRIDA, Jacques. Posições. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

DERRIDA, Jacques; ROUDINESCO, Elisabeth. De que amanhã: diálogo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

FRÓES-BURNHAM, Teresinha. Da sociedade da informação à sociedade da aprendizagem: Cidadania e participação sócio-política na (in)formação do trabalhador. In: VI Encontro Nacional de Ciência da Informação, 2005, Salvador, Anais do VI CINFORM - Encontro Nacional de Ciência da Informação. Salvador: UFBA, 2005, p. (1-12). Disponível em: http://www.cinform-anteriores.ufba.br/vi_anais/. Acesso em 05 jul. 2021.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In. SILVA, Tomaz. Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000, p.103-133.

LACLAU, Ernesto. Nuevas Reflexiones sobre la revolución de nuestro tiempo. Buenos Aires: Nueva Visión, 1993, p. 103-106.

LACLAU, Ernesto. Los fundamentos retóricos de la sociedad. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2014.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonia e Estratégia Socialista: por uma política democrática radical. São Paulo: Intermeios, 2015.

LAROSSA, Jorge. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

LOPES, Alice Casimiro. Políticas de integração curricular. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2008.

LOPES, Alice. Casimiro. Normatividade e Intervenção política: em defesa de um investimento radical. In: LOPES, Alice. Casimiro; DE MENDONÇA, Daniel (Org.). A Teoria do Discurso de Ernesto Laclau: ensaios críticos e entrevistas. São Paulo: Annablume, 2015, p. 117-147.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

MACEDO, Elizabeth. Base Nacional Curricular Comum: novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para educação. Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 3, p. 1530-1555, out/dez, 2014. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/21666. Acesso em: 07 jul. 2021.

PETERS, Michael. Pós-estruturalismo e filosofia da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

PIMENTEL-JÚNIOR, Clívio. Articulações Discursivas em torno do Significante Natureza da Ciência: currículo, formação, política. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 18, n. 50, p. 88-104, jul/set, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.12957/teias.2017.26713. Acesso em: 10 jul. 2021.

PIMENTEL-JÚNIOR, Clívio; CARVALHO, Maria Inez; SÁ, Maria Roseli. Pesquisa (Auto)Biográfica em Chave Pós-estrutural: conversas com Judith Butler. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 12, n. 1, p. 203-222, jan/abr, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.12i1.0011. Acesso em: 10 jul. 2021.

PIMENTEL-JÚNIOR, Clívio. Políticas curriculares, diferença, pertencimento: ponderações sobre o uso do conceito de comunidades epistêmicas em chave pós-estrutural. Revista Linhas, Santa Catarina, v. 19, n. 41, p. 213-241, set/dez, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5965/1984723819412018213. Acesso em: 10 jul. 2021.

PIMENTEL-JÚNIOR, Clívio; DIAS, Rosanne Evangelista; CARVALHO, Maria Inez. Significações de Qualidade e Crise da Educação Científica nas Políticas Curriculares para o Ensino de Ciências. Investigações em Ensino de Ciências, v. 24, n. 3, p. 147-168, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2019v24n3p147. Acesso em: 10 jul. 2021.

PIMENTEL JÚNIOR, Clívio. Demandas discursivas regulatórias para “fazer a BNCC sair do papel” no Oeste da Bahia. Roteiro, Santa Catarina, v. 46, p. e23806, 2020a. Disponível em: https://doi.org/10.18593/r.v46i0.23806. Acesso em: 07 jul. 2021.

PIMENTEL-JÚNIOR, Clívio. Demandas Identitárias nas Políticas de Currículo para o Ensino das Ciências. Revista Atos de Pesquisa em Educação, v. 15, n. 1, p. 94-119, 2020b. Disponível em: https://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2020v15n1p94-119. Acesso em: 07 jul. 2021.

SILVA, Tomaz. Tadeu da. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz. Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. p.103-133.

ZABALA, Antoni; ARNAU, Laia. Como aprender e ensinar competências. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Downloads

Publicado

30-12-2021

Como Citar

JUNIOR, C. P. DESLOCAMENTOS DISCURSIVOS E AS COMPETÊNCIAS DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA NA BNCC: contingência, precariedade e a impossibilidade de um “todos” para o currículo. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. Especial, p. 1–13, 2021. DOI: 10.15687/rec.v14iEspecial.60459. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/60459. Acesso em: 29 maio. 2024.