NOTAS SOBRE PEDAGOGIA QUEER

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i3.67292

Palavras-chave:

Pedagogia Queer, Afetos, Futuro

Resumo

Este ensaio busca pensar com o filme Corpo Elétrico (2017), de Marcelo Caetano, o que chama de pedagogia queer. O texto se assume como um conjunto de notas biográficas escritas na primeira pessoa do plural e extraídas de relação dos autores como amigos, professor e estudante, mas também a partir das intersecções das suas experiências como gays de cidades pequenas com diagnósticos de altas habilidades e transtorno de ansiedade generalizada, entre outros aspectos que fogem à eficácia do tempo do discurso pedagógico. Formas alternativas de teorizar o tempo e a sensibilidade são propostas por meio de intensidades como a adesividade, as persistentes ambivalências dos encontros entre corpos e a fricção erótica dos afetos que não fáceis de incluir ou reconhecer na história das ideias pedagógicas. Assim, o texto traça uma pedagogia queer como o nome para descrever uma modalidade de educação sentimental que faz tremer o domínio da subjetividade e contempla esteticamente a existência sem limitá-la a noções de belo, gosto e sublime. Conectando-se a irrazoabilidade do sensível, este ensaio apresenta os desafios que o filme dá a pensar sobre os pressupostos crononormativos da educação que tendem a abundar quando se trata de projetos políticos e de formação de sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Thiago Ranniery, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Victor Pereira de Sousa, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Brasil.

Mestre em Geografia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e Pesquisador da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

ABREU, Caio Fernando de. Contos completos. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

ABLINGER, Peter. Palastmusik Für Infraschall Und Ultraschall. 2010. Disponível em: www.ablinger.mur.at/txt_palastmusik.html. Acesso em: maio 2023.

AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e o testemunho (Homo Sacer III). São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

AHMED, Sarah. Queer Phenomenology: Orientations, Objects, Others. Durham: Duke University Press. 2006.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. Amores que não têm tempo: Michel Foucault e as reflexões acerca de uma estética da existência homossexual. Revista Aulas, n. 7, p. 41-38, 2010.

ALENCAR, Eunice. Indivíduos com Altas Habilidades/Superdotação: Clarificando Conceitos, Desfazendo Idéias Errôneas. In: Fleith, Denise de Souza (org). A construção de práticas educacionais para alunos com altas habilidades/superdotação: volume 1: orientação a professores. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2007. p. 13-25.

ALLEN, Leak Claire; GARRISON, John. Against Friendship. In: BRADWAY, Tyler; FREEMAN, Elizabeth (orgs). Queer Kinship: race, sex, belonging, form. Durham: Duke University Press, 2022, p. 227-248.

AMERICAN PSYCRIATRIC ASSOCIATION. Manual de diagnóstico e estatístico de transtorno mentais: DSM-5. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BACCHETTA, Paola. Recalibrando o “universo queer” transnacional: posicionalidades-identitárias lésbicas e “lésbicas” em Deli nos anos 80. Novos Olhares Sociais, v. 2, n. 2, p. 172-208, 2019

BARBOSA, Bruno César. Imaginando o trans: saberes e ativismos em torno das regulações das transformações corporais do sexo. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

BARTHES, Roland. Fragmentos de um discurso amoroso. São Paulo: Editora Unesp, 2006.

BATAILLE, Georges. O erotismo. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

BLACKMAN, Lisa. Speculative Science, Threshold Experiences and Transsubjectivities. In: ROUHIAINEN, Leena. (org). Proceedings of Carpa5. Helsinki: Theatre Academy of the University of the Arts Helsinki, 2018. Disponível em: https://nivel.teak.fi/carpa5/lisa-blackman-speculative-science-threshold-experiences-and-transsubjectivities/. Acesso em: fev. 2023.

BONNET, François. The Order of Sounds: A Sonorous Archipelago. Cambridge, Massachusetts: MIT Press.

BOURCIER, Sam. Homo Inc.orporated: o triângulo rosa e o unicórnio que peida. São Paulo: n-1 edições, 2020.

BRITZMAN, Deborah. Curiosidade, sexualidade e currículo. LOURO, Guacira Lopes. (Orgs). O corpo educado: pedagógicas da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 83-112.

BUTLER, Judith. Bodies that matter: on the discursive limits of “sex”. Nova York: Routledge, 1993.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. São Paulo: Civilização Brasileira, 2010.

BUTLER, Judith. Desfazendo o gênero. São Paulo: Editora Unesp, 2022.

BURMAN, Erica. Deconstructing Developmental Psychology. Nova York: Routledge: 2008.

CHEN, Mel Y. Brain Fog: The Race for Cripistemology. Journal of Literary & Cultural Disability Studies, v. 8, n. 2, p. 171-184, 2014.

DERRIDA, Jacques. Uma certa possibilidade impossível de dizer o acontecimento. Cerrados, v. 21, n. 33, p. 232-252, 2012.

DYER, Richard. Only entertainment. Nova York: Routledge, 2002.

EDELMAN, Lee. No Future: Queer Theory and the Death Drive. Durham: Duke University Press, 2004.

EDELMAN, Lee. Bad Education: Why Queer Theory Teaches Us Nothing. Durham: Duke University Press, 2022.

FABRIS, Eli. A pedagogia do herói sob as performances das políticas públicas contemporâneas. Roteiro, v. 43, n. 1, p. 205–224, 2018.

FEDERECI, Silvia. Reencantando o mundo: feminismos e a política dos comuns. São Paulo: Elefante, 2022.

FERREIRA DA SILVA, Denise. Homo modernus: por uma ideia global de raça. Rio de Janeiro: Cobogó, 2022.

FEYERTAG, Karoline. Queering Dizziness. 2017. Disponível em: https://www.on-dizziness.com/resources-overview/queering-dizziness. Acesso em: maio 2023.

FLAUBERT, Gustave. A educação sentimental. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

FREEMAN, Elizabeth. Time Binds: Queer Temporalities, Queer Histories. Durham: Duke University Press, 2006.

FOLSOM, Ed. What We’re Still Learning about the 1855 Leaves of Grass 150 Years Later. In: BELASCO, Susan; FOLSON, Ed; PRICE, Kenneth. Leaves of grass: the sesquicentennial essays. Lincoln: University of Nebraska Press, 2007. p. 1-35.

FOURNIER, Lauren. Autotheory as Feminist Practice in Art, Writing, and Criticism. Cambridge, Massachusetts: MIT Press, 2021.

FRANÇA, Isadora Lins. Consumindo lugares, consumindo nos lugares: homossexualidade, consumo e subjetividades na cidade de São Paulo. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

FREITAS, Marcos Cezar de; FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Em busca de um tema esquecido: o lugar da educação nas recentes interpretações do Brasil. Araucaria: Revista Iberoamericana de Filosofía, Política y Humanidades, v. 19, n. 38, p. 345-364, 2017.

FREUD, Sigmund. Obras completas, volume 4. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

GADOTTI, Moacir. História das ideias pedagógicas. São Paulo: Editora Ática, 2003.

GIORDANO, Alberto. A senha dos solitários: diários de escritores. Rio de Janeiro: Papéis. Selvagens, 2016.

GAGO, Veronica. A razão neoliberal: economias barrocas e pragmática popular. São Paul: Elefante, 2018.

GOMBRIWCZ, Witold. Contra os poetas. Chão de Feira, Belo Horizonte, n. 17, 2015.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Atmosfera, ambiência, Stimung: sobre o potencial oculto da literatura. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014.

HALBERSTAM, Jack. In a queer a time and place: Transgender Bodies, Subcultural Lives. Nova York: New York University Press, 2005.

JANISSE, Kier La. House of Psychotic Women: An Autobiographical Topography of Female Neurosis in Horror and Exploitation Films. Los Angeles: SCB Distributors, 2015.

KAMENSZAIN, Tamara. Livros pequenos: fragmentos. In: CHARBEL, Felipe; MAGRI, Ieda; GUTÉRREZ, Rafael. Experimento aberto: invenções no ensaio e na crítica. Belo Horizonte: Relicário, 2021. p. 11-20.

KVELLER, Daniel. Dissidências sexuais, temporalidades queer: uma crítica ao imperativo do progresso e do orgulho. Salvador: Devires, 2022.

LAURETIS, Teresa De. Teoria queer, 20 anos de depois: identidade, sexualidade e política. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org). Pensamento feminista: conceitos fundamentais. São Paulo: Bazar do Tempo, 2019. p. 397-410.

LAURETIS, Teresa De. Queer theory: Lesbian and Gay Sexualities: An Introduction. differences, v. 3, n. 2, p. iii-xviii, 1991.

LEAL, abgail Campos. Ex/obirtâncias: os caminhos da deserção de gênero. São Paulo: Glac Edições, 2021.

LEMINSKI, Paulo. Anseios crípticos: peripécias de um investigador do sentido no torvelinho das formas e das idéias. Curitiba: Edições Criar, 1986.

LOPES, Denilson. Por uma história queer das sensações: No caminho com os filmes de Marcelo Caetano. In: MOREIRA, Luciana; WIESER, Doris. (Org.). A Flor de cuerpo: Representaciones del género y de las disidencias sexo-genéricas en Latinoamérica. Madrid/Frankfurt: Iberoamericana; Vervuert, 2021. p. 127-148.

LOPES, Denilson. Afetos, relações e encontros com filmes brasileiros contemporâneos. São Paulo: Hucitec, 2016.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

LUHMANN, S Queering/Querying Pedagogy? Or, Pedagogy Is a Pretty Queer Thing. In: PINAR, William (org). Queer Theory in Education. Nova York: Routledge, 1998. p. 120-132

MACEDO, Elizabeth. A teoria do currículo e o futuro monstro. In: LOPES, Alice Casimiro; SISCAR, Marcos. (Org.). Pensando a política com Derrida: responsabilidade, tradução, porvir. 1ed.São Paulo: Cortez Editora, 2018. p. 153-178.

MARX, Karl. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011.

MILLER, Janet. Autobiography as a Queer Curriculum Practice. In: PINAR, William (org). Queer Theory in Education. Nova York: Routledge, 2009. p. 301-308.

MUÑOZ, José Esteban. Cruising Utopia: The Then and There of Queer Futurity. Nova York: New York University Press, 2009.

MURARI, Lucas; NAGIME, Mateus. Um novo caminho. In: MURARI, Lucas; NAGIME, Mateus (Org.). New Queer Cinema - Cinema, Sexualidade e Política. Rio de Janeiro: Caixa Econômica Federal, 2015. p. 8-12.

NANCY, Jean Luc. Ser singular plural. Madrid: Arena Libros, 2006.

NEIMANIS, Astrid. Bodies of Water: Posthuman Feminist Phenomenology. Nova York: Bloomsbury, 2016.

NODARI, Alexandre. Alterocupar-se: obliquação e transicionalidade na experiência literária. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, n. 57, p. 1–17, 2019.

OLIVEIRA, Acaum Silvério. O fim da canção?: Racionais MC’s como efeito colateral do sistema cancional brasileiro. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

PRECIADO, Paul. Cartografias queer: o flâneur perverso, a lésbica topofóbica e a puta multicartográfica, ou como fazer uma cartografia “zorra” com Annie Sprinkle. Performatus, v. 5, n. 17, p.1-17, 2017.

PERLONGHER, Nestor. Territórios marginais. In: GREEN, James; TRINDADE, Ronaldo (org.). Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo, Editora Unesp, 2005. p. 263-290.

PERLONGHER, Nestor. Poemas Completos. Campinas: Editora da Unicamp, 1994.

PERLONGHER, Nestor. O negócio do michê: a prostituição viril. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.

RANNIERY, Thiago. Dos lugares de enunciação ao trabalho de transfiguração. In: MIZOGIUCHI, Danichi Hausen; BARROS DE BARROS, Maria Elizabeth. (orgs). Políticas de escrita em pesquisa nas ciências humanas. Niterói: Eduff, 2021. p. 173-198

ROCHA-LIBRANDI, Marilia. Machado de Assis e o eco fonográfico. Revista de Estudos Literários, n. 6, p. 263-285, 2016.

RODRIGUEZ, Juana Maria. Sexual Futures, Queer Gestures, and Other Latina Longings. Nova York: New York University Press, 2014.

RUBIN, Gayle. Políticas do sexo. São Paulo: Ubu Editora, 2017.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2011.

SEDGWICK, Eve. Touching feeling: affect, pedagogy, performativity. Durham: Duke University Press, 2003.

SHELDON, Rebekah. The Child to Come: Life after the Human Catastrophe. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2016.

SOLANA, Mariela. Historia y temporalidad en estudios queer: implicaciones ontológicas, y políticas. Tese (Doutorado em Filosofia) – Universidade de Buenos Aires, Buenos Aires, 2015.

SONTAG, Susan. Notes on Camp. New York: Penguin Classics, 2018.

STEWART, Kathleen. Ordinary Affects. Durham: Duke University Press. 2007.

VOUNG, Ocean. Sobre a terra somos belos por um instante. São Paulo: Rocco, 2020.

WALKER, Nick. Neuroqueer Heresies: Notes on the Neurodiversity Paradigm, Autistic Empowerment, and Postnormal Possibilities. Fort Worth: Autonomous Press, 2021.

WHITMAN, Walt. Folhas de relva. São Paulo: Iluminuras, 2015.

WITTIG, Monique. O pensamento hétero e outros ensaios. Belo Horizonte: Autêntica, 2022.

Downloads

Publicado

28-10-2023

Como Citar

RANNIERY, T.; SOUSA, V. P. de . NOTAS SOBRE PEDAGOGIA QUEER. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 3, p. 1–15, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i3.67292. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/67292. Acesso em: 22 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)