PRÁTICA COTIDIANA DE ENSINO DE CULTURA AFRO-BRASILEIRA: experiência de professora

Nilma Margarida de Castro Crusoé, Cecilia Conceição Moreira Soares

Resumo


Essa pesquisa tem por escopo analisar a prática cotidiana de ensino da cultura afro brasileira de uma professora de História do ensino fundamental no Colégio Anísio Teixeira em Salvador-Bahia. Esta investigação está no âmbito das discussões nacionais sobre as diretrizes para implementação da Lei de nº 10.639/03 que altera a Lei Nacional de Diretrizes e Bases para Educação Nacional de nº 9334/96. Trata-se de uma pesquisa qualitativa apoiada nos conceitos de experiência e motivos em Schutz (2012), para pensar a prática cotidiana de ensino, na sua dimensão subjetiva. Seguindo está perspectiva, buscamos identificar sentidos atribuídos pela professora no que tange às práticas de ensino de cultura afro-brasileira, nos anos iniciais do ensino fundamental, com base em suas experiências. Os resultados apontam que as trajetórias pessoais, como a participação em grupos de militância negra e religiosa afro brasileira, são, também, elementos influenciadores da prática de ensino da professora.

 

 


Texto completo:

PDF

Referências


APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História da África e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2003 a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br

________. Lei nº 11.645/08. Diário Oficial da União. Poder Executivo, Brasília, DF,11 mar.2008.Seção 1,p.1.

BAUMAM, Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi/Zygmunt Bauman; tradução, Carlos Alberto Medeiros. – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005

GOMES, Nilma Lino. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In Educação anti-racista: caminhos abertos pela lei federal nº10639/03. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 10ª ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

MADHUBUTI, H.;MADHUBUTI, S. Educação Afrocentrada : Seu valor, importância e necessidade no desenvolvimento de crianças negras. Roberta Maria Federico (trad.). Jounal of Education, Boston University,v.172, n.2,1990.

PINSKY, Jaime; PINSKY, Carla. O que e como ensinar: por uma História prazerosa e consequente. In KARNAL, Leandro(org.). História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. 5ªed. São PauloContexto,2009.

SILVA, Ana Célia. A discriminação do negro no livro didático. Salvador:EDUFBA,2004.

SCHUTZ, Alfred. Sobre fenomenologia e relações sociais. Rio de Janeiro: Vozes editora, 2012.

SOUSA, A. Cultura Escolar: a reprodução social da condição étnico-racial. In XVIII Encontro de Pesquisa em Educação do Norte/Nordeste,2007, Maceió - Alagoas. Anais do EPENN.Maceió:UFAL,2007.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença : uma introdução teórica e conceitual. In SILVA, Tomaz Tadeu da(Org.) Identidade e Diferença: A perspectiva dos Estudos Culturais.7 ed. Petrópolis, Rio de Jneiro:Vozes,2007.




DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2019v12n2.42061

Direitos autorais 2019 Revista Espaço do Currículo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.





Este periódico está indexado nas bases:



Licença Creative Commons
A Revista Espaço do Currículo, está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.