PRENDENDO PELO ESTÔMAGO: COMIDA, EROTISMO, PRISÃO, PODER E SABER

HOLDING BY ESTÔMAGO: FOOD, EROTICISM, PRISON, POWER AND KNOWLEDGE

Palavras-chave: Cinema brasileiro, saber, poder, prisão, comida

Resumo

O texto resulta da análise de uma obra cinematográfica que aborda dentre outros aspectos áridos da nossa sociedade, a pobreza, a exploração do trabalho, o desperdício do potencial humano e as suas relações com a condição dos encarcerados no Brasil. Por meio da metodologia de Análise de Filmes (PENAFRIA, 2020; VAYONE, 2006) o trabalho descreve, contextualiza e interpreta o filme Estômago (2007). Essa comédia conta as guinadas da trajetória de Raimundo Nonato, migrante pobre nordestino que muda sua forma de ser e viver ao aprender os segredos da gastronomia em São Paulo. Além de refletir sobre a relação saber/poder e os processos de construção de identidade de pessoas encarceradas na sociedade atual, nas perspectivas teóricas de Michel Foucault (1989; 2009) e Erving Goffman (1974), o artigo ainda ressalta o uso inteligente e criativo dos recursos fílmicos e destaca a instigante negação do maniqueísmo na abordagem dos complexos temas presentes na obra.

Palavras-chave: Cinema brasileiro; saber; poder; prisão; comida

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josaniel Vieira da Silva, UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professor adjunto da Universidade de Pernambuco UPE/Multicampi Garanhuns.

Ana Lúcia de Faria e Azevedo, REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORAIZONTE

Profa. da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte. Dra. em Educação/UFMG.

Referências

AZEVEDO, Elayne; PELED, Shay. Comida e visualidade. Visualidades, 14(2), (2017). Disponível em: https://doi.org/10.5216/vis.v14i2.40053. Acesso em 10/01/2020. Acesso em:08/02/2020

BRITO, et al. Cinema e Alimentação: a cozinha no filme Chocolate, de Lasse Hallström. Demetra; 2015; 10(1); 27-42. Disponível em: www.e-publicacoes.uerj.br › index.php › demetra › article › download. Acesso em 08/02/2020.

CAMMAROSANO, Elenice Maria Onofre; JULIÃO, Elionaldo Fernandes. A Educação na Prisão como Política Pública: entre desafios e tarefas. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 38, n. 1, p. 51-69, jan./mar. 2013. Disponível em: http://www.ufrgs.br/edurealidade. Acesso em 06/01/2020.

DAMATTA, Roberto. Sobre comida e mulheres. In: O que faz o brasil, Brasil? Rio de Janeiro: Rocco, 1986. p. 41-55.

EWALD FILHO, Rubens; LEBERT, Nilu. Cinema vai à mesa: histórias e receitas. São Paulo: Melhoramentos, 2007, p. 191.

FIGUEIREDO, Eurídice. Prazeres da mesa, prazeres do corpo: Jorge Amado, culinária e erotismo », Amerika [En ligne], 10 | 2014, mis en ligne le 22 juin 2014, consulté le 30 janvier 2020. URL: http://journals.openedition.org/amerika/4881; DOI: 10.4000/amerika.4881. Acesso em 13/12/2019.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 8 ed. Rio de Janeiro: Graal, 1989, p. 270.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: Nascimento da Prisão. Lisboa: Edições 70, 2013, p. 224

GOLDENBERG, M. Cultura e gastro-anomia: psicopatologia da alimentação cotidiana. Entrevista com Claude Fisch - ler. Horiz. antropol . , v. 17, n. 36, 2011. In: AZEVEDO, E., & Peled, S. (2017). Comida e visualidade. Visualidades, 14(2). Disponível em: https://doi.org/10.5216/vis.v14i2.40053. Acesso em 10/01/2020.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 1974. p. 159.

JORGE, Marcos; NATIVIDADE, Cláudia da. “Estômago" no país do cinema. Entrevista concedida a Fabíula Nascimento, pelo Canal Brasil, 2017. Disponivel em: https://www.youtube.com/watch?v=RrUAKSv0xfk). Acesso em 06/01/2020.

PENAFRIA. Manuela. Análise de filmes – conceitos e metodologias. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/bocc-penafria-analise.pdf. Acesso: fevereiro de 2020

REVEL, Judith. Michel Foucault: conceitos essenciais. Tradução: Maria do Rosário Gregolin, Nilton Milanez, Carlo Piovesani. São Carlos: Claraluz, 2005, p.93.

SILVESTRE. Lusa. Pólvora, gorgonzola e alecrim: contos gastronômicos. São Paulo: Editora Jaboticaba, 2005.

VAYONE, Francis. Ensaio sobre a análise fílmica. Papirus, 2006.

Referências fílmicas

A Comilança (La Grande Bouffe). 1973. Itália/França. Dir. Marco Ferreri. Comédia dramática. Dur.: 2h05min.

A festa de Babete. 1987. Dinamarca. Dir. Gabriel Axel. Drama. Dur.: 1h42min.

A marvarda carne. 1985. Brasil. Dir. André Klotzel. Comédia. Dur.: 1h17min.

Carandiru. 2006. Brasil. Dir. Hector Babenco. Drama. Dur.: 2h26min.

Chocolate. 2000. Inglaterra/EUA. Dir. Lasse Hallström. Comédia/romance. Dur.: 2h1min.

Como água para chocolate. 1992. México. Alfonso Arau. Drama/Rom. Dur.: 2h3min.

Delicatessen. 1991. França. Dir. Jean-Pierre Jeunet, Marc Caro. Com/ter/ fantasia. Dur.:1h37min.

Dona flor e seus dois maridos, 2017. Brasil. Dir. Pedro Vasconcelos. Dur.: 1h 35min.

Dona flor e seus dois maridos. 1976. Brasil. Dir. Bruno Barreto. Dur.: 106 min.

Entrevista a Fabíola Nascimento: Marcos Jorge e Cláudia da Natividade l "Estômago" no País Do Cinema. Entrevista à Fabíola Nascimento , Canal Brasil. https://www.youtube.com/watch?v=RrUAKSv0xfk 06/02/2018.

Estômago. 2007. Brasil. Drama. Dir. Marcos Jorge. Dur.: 1h52min.

M ‒ O Vampiro de Dusseldorf. 1931. Alemanha. Dir. Fritz Lang. Policial/suspense. Dur.: 117 min.

O Beijo Da Mulher Aranha. 1985. Drama. Dir. Hector Babenco. Dur.: 2h.

O Cozinheiro, O Ladrão, Sua Mulher e O Amante. 1989. Dir.: Peter Greenaway. Nasc.: Holanda/Inglaterra/França. Comédia dramática. Duração: 2h.

O sabor da magia. 2005. Nasc.: Inglaterra. Dir. Paul Mayeda Berges. Romance/Drama. Dur.: 1h32min.

O tempero da vida. 2003. Grécia/Turquia. Dir. Tassos Boulmetis. Dur. 1h48min.

Quase Dois Irmãos. 2004. Drama. Brasil. Dir. Lúcia Murat. Dur.: 1h42min.

Toast: a história de uma criança com fome. 2010. Dir. S.J. Clarkson. Comédia dramática. Dur.: 1h36min.

Publicado
2020-07-30
Como Citar
VIEIRA DA SILVA, J.; DE FARIA E AZEVEDO, A. L. PRENDENDO PELO ESTÔMAGO: COMIDA, EROTISMO, PRISÃO, PODER E SABER. Revista Temas em Educação, v. 29, n. 2, 30 jul. 2020.
Seção
DOSSIÊ – EXPRESSÕES EDUCATIVAS E CULTURAIS NO ESPAÇO DE PRIVAÇÃO DE LIBERDADE