Entre sentidos e significados da tradução das Diretrizes Curriculares Nacionais de Pedagogia (DCNS) em MT

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v10i2.35460

Palavras-chave:

Pedagogia. Diretrizes Curriculares. Tradução.

Resumo

Nesse artigo problematizamos a tradução das Diretrizes Curriculares Nacionais de Pedagogia de 2006 (DCNs), realizada em três cursos de Licenciatura em Pedagogia, em Instituições de Ensino Superior (IES) do Estado de Mato Grosso. O objetivo é compreender o processo de tradução produzido nestes cursos, os sentidos e significados dados ao elaborarem seus próprios projetos de currículo considerando as DCNs. Em termos teórico-metodológicos, desenvolvemos uma análise que recorre à noção de tradução da Teoria do Discurso, das contribuições de Hall (2003), de apropriações desta noção para o campo do currículo e do entendimento de currículo como política cultural. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, articulada à consideração do Ciclo de Políticas (BOWE; BALL, 1992), que toma como fonte de dados os Projetos Pedagógicos de Curso (PPC). Dessa pesquisa conclui-se que a tradução das DCNs nos cursos de Licenciatura em Pedagogia em MT se caracterizou como um processo de negociação, marcado por dissensos e acordos provisórios, pois os cursos estabelecem diálogo entre sua identidade originária e a identidade proposta para a pedagogia nas DCNs. Esse processo de tradução indica que os dissensos e a instabilidade de sentidos que o configuram dão corpo ao caráter híbrido dos PPCs. A tradução constrói a identidade profissional num movimento agonístico à medida que nunca se completa, pois sua característica é a indecidibilidade, a impossibilidade constante de acessar o “real” significado das DCNs.  

 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Silvana Alencar Silva, Universidade Federal do Mato Grosso, Brasil.

Mestre em Educação pela UFMT. Técnica Administrativa em Educação. 

Ozerina Victor Oliveira, Universidade Federal de Mato Grosso, Brasil.

Professora associada da UFMT, editora da Revista de Educação Pública e atua como docente no curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFMT. 

Referências

AGUIAR, M. A. S; BRZEZINSKI I.; FREITAS, L. H.; SILVA, P. S. M. PINO, R. I. Diretrizes Curriculares do Curso de Pedagogia no Brasil: Disputas de projetos no campo de formação do profissional da educação. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 96 – Especial. p. 819-842, p. 818-842, out. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v27n96/a10v2796.pdf.> Acessado em: 10 out. 2015.

APPLE, M. W. Educação e poder. Trad. de Maria Cristina Monteiro. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

ANFOPE. Boletim da ANFOPE. Campinas, SP, abril, 1998.

______. Documento Final do IX Encontro Nacional da ANFOPE. Campinas-SP, 1998.

______. VII Seminário Nacional sobre a Formação dos Profissionais da Educação. Documento conjunto das entidades. Brasília: UnB, 2005. Anais.

BACKES, J. L.; PAVAN, R. A desconstrução das representações coloniais sobre a diferença cultural e a construção de representações interculturais: um desafio para formação de educadores. Currículo sem Fronteiras, v. 11, p. 108-119, 2011. Disponível em: <http://www.curriculosemfronteiras.org/vol11iss2articles/backes-pavan.pdf.> Acessado em: 25 jun. 2015.

BALL, S. J; BOWE, Richard. Subject departments and the “implementation” of National Curriculum policy: an overview of the issues. Journal of Curriculum Studies, v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992.

BALL, S. J. The policy processes and the processes of policy. In: BOWE, R.; BALL, S.; GOLD, A. (Org.). Reforming education e changing school: case studies in policy sociology.Londres / Nova York: Routledge.1992. p. 6-23.

BERALDO, T.; OLIVEIRA, V. O. Comunidades epistêmicas e desafios da representação nas políticas curriculares do curso de Pedagogia. Revista Teias. Rio de Janeiro RJ. v. 11 n. 22, p. 113-132, maio/ago. 2010.

BOWE, R.; BALL, S.; GOLD, A. Reforming education &changing schools: case studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

_____. Parecer CNE/CP nº. 133/2001. Trata de esclarecimentos quanto à formação de professores para atuar na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 2001.

______.Resolução CNE/CP nº 01, de 18 de fevereiro de 2002: Institui as diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 2002.

______. Lei nº. 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 2003. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.639.htm>. Acessado em: 11ago. 2015.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 5, de 13 de dezembro de 2005. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia. Diário Oficial da União. Brasília, 2005.

______. Resolução CNE/CP 1/2006. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de maio de 2006.

_____. Lei nº 11.645 de 10 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm.> Acessado em: 10 ago. 2015.

BRZEZINSKI I. et al.Diretrizes curriculares do curso de Pedagogia no Brasil: disputas de projetos no campo da formação do profissional da educação. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96, p.819-842, out. 2006a (Especial).

DOURADO, F. L. A formação de professores e a base comum nacional: questões e proposições para o debate. RBPAE, v. 29, n. 2, p. 367-388, mai/ago. 2013.

FRANCO, M. A. S. et al.. Elementos para formulação de diretrizes curriculares para cursos de Pedagogia. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 130, p. 63-97, jan./abr. 2007.

GOODSON, I. F. Currículo: teoria e história. 7º ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 1995.

HALL, S. Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

LACLAU, E. Misticismo, retórica y política. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2002. 128 p.

LACLAU, E. Emancipação e diferença. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

LIBANEO, J. C. Diretrizes curriculares da Pedagogia: imprecisões teóricas e concepção estreita da formação profissional de educadores. Educ. Soc., Campinas, v. 27, n. 96, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101.> Acessado em: 07 mar. 2015.

______. Diretrizes curriculares da Pedagogia: um adeus à Pedagogia e aos pedagogos? 2006. Disponível em: <http://www.ced.ufsc.br/nova/Textos/JoseCarlosLibaneo.htm.> Acesso em: 03 fev. 2015.

LOPES, R. C. A. Discurso e representação na política de um currículo: o caso do ensino médio (2003-2010). Projeto de pesquisa de 2010. Disponível em: <http://www.curriculo-uerj.pro.br/imagens/pdfProj/discurso_e_13.pdf.> Acessado em 15jan. 2015.

LOPES, R. C. A.; CUNHA, R. V. E.; COSTA, C; H. HUGO. Da recontextualização à tradução: investigando políticas de currículo. Currículo sem fronteiras, v.13, n. 3, p. 392-410, set/dez.2013. Disponível em: <http://www.curriculosemfronteiras.org/vol13iss3articles/lopes-cunha-costa.pdf>. Acessado em: 10 ago.2014.

MACEDO, E. Formação de Professores e Diretrizes Curriculares Nacionais: para onde caminha a educação? Revista Teias, Rio de Janeiro, ano I, n. 2, pp.7-29, jul./dez. 2000. Disponível em: http://www.periodicos.proped.pro.br/index.php/revistateias/article/view/29/31. Acessado em: 10/10/2015.

MACEDO, E. (Orgs.). Disciplinas e integração curricular: histórias e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 145-17.

MCLAREN, P. A Vida nas Escolas. Uma introdução à pedagogia crítica nos fundamentos da educação. Porto Alegre: Artes médicas, 1997.

MENDONÇA, D. A teoria da hegemonia de Ernesto Laclau e a análise política brasileira. Ciências Sociais Unisinos, v. 43, n. 3, 249-258, set./dez., 2007.

_____. Currículo: questões atuais. Campinas, SP: Papirus, 1997.

MOREIRA, A. F. B; SILVA, T. T.. (Org.). Currículo, cultura e sociedade. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

MOREIRA, A. F. B; CANDAU, V. M.. Indagações sobre o currículo: currículo, conhecimento e cultura. Brasília: Ministério da Educação, 2007.

MAZZOTTI, T. Estatuto de cientificidade da Pedagogia. In: PIMENTA, S. G. (Org.). Pedagogia, ciência da educação? São Paulo: Cortez. 1996.

OLIVEIRA, O. V.de. Movimento comutativo da política de currículo: o caso da Escola Sarã. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 17, n. 33, p. 13-24, jan.-abr. 2008.

RONUNCIAMENTO CONJUNTO DAS ENTIDADES DA ÁREA DA EDUCAÇÃO EM RELAÇÃO ÀS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA O CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA. Educ. Soc., n. 97, v. 27, p.1361-1363, set./dez. 2006.

PAVAN, R. Currículo a construção das identidades de gênero e a formação de professores. Revista Contrapontos, v. 13, n. 2 (2013). Disponível em: Acessado em: 10 out. 2015.

PIMENTA, S. G.. (Org.) Pedagogia, ciência da Educação? São Paulo: Cortez, 1996.

SANTIAGO, A.R. F. Projeto Político Pedagógico e organização curricular: desafios de um novo paradigma. In: VEIGA, I. P. A.; FONSECA, M. (Orgs.). As dimensões do projeto político‐pedagógico: novos desafios para a escola. 6. ed. Campinas, SP: Papirus, 2008. p. 141-173.

SAUL, A. M. Considerações a respeito do conceito de currículo. Anais 1984: Seminário Tendências e prioridades de currículo na realidade brasileira. São Paulo: EDUC, 1985.

SAVIANI, D. Pedagogia: o espaço da educação na universidade. Cadernos de Pesquisa, v. 37, nº. 130, jan./abr., p. 99-134, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v37n130/06.pdf. Acessado em 20/08/2014.

SCHEIBE, L. Diretrizes Curriculares para o curso de Pedagogia: trajetória longa e inconclusa. Cadernos de pesquisa, v. 37, n. 130, p. 43-62, jan/abr., 2007. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/cp/v37n130/04.pdf.> Acessado em: 10 jan. 2015.

______. Valorização e formação dos professores para a educação básica: questões desafiadoras para um novo Plano Nacional de Educação. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 112, p. 981-1000, jul.-set. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v31n112/17.pdf.> Acessado em: 10 nov. 2015.

SCHEIBE, L; AGUIAR, M. Â. Formação de profissionais da educação no Brasil: o curso de Pedagogia em questão. Educação e Sociedade, Campinas, Cedes, n. 69, p.80-108, dez. 1999.

SCHEIBE, L; DURLI, Z. Curso De Pedagogia No Brasil: Olhando o compreendendo o presente. Revista Espaço em Foco, ano 14, n. 17, p. 79-109, julho 2011. Disponível em: <http://www.uemg.br/openjournal/index.php/educacaoemfoco/article/viewFile/104/139.> Acessado em: 3 mar. 2015.

SILVA, T. T. da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3º ed. Belo Horizonte - MG: Editora Autêntica, 2011.

Downloads

Publicado

2017-08-31

Como Citar

SILVA, S. A.; OLIVEIRA, O. V. Entre sentidos e significados da tradução das Diretrizes Curriculares Nacionais de Pedagogia (DCNS) em MT. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 310–326, 2017. DOI: 10.15687/rec.v10i2.35460. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rec/article/view/rec.v10i2.35460. Acesso em: 1 dez. 2021.