EDUCAÇÃO PÚBLICA EM RISCO

descontinuidades, golpes e resistência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2018v1n11.38004

Palavras-chave:

Formação de Professores, Estágio, Docência, Residência Pedagógica

Resumo

O texto apresenta resultados de uma pesquisa documental no âmbito das políticas recentes de formação de professores, com destaque para as Diretrizes Curriculares Nacionais, bem como a proposta de residência pedagógica anunciada pelo MEC. Nosso objetivo, nesse sentido, é analisar as possibilidades e limites da formação de professores nos cursos de licenciatura no panorama de políticas atuais e analisar os embates criados com o anúncio da Base Nacional de Formação Docente. No momento em que o país passa por um complexo ajuste fiscal, onde escolas e universidades sofrem com os cortes no orçamento, entendemos que o anúncio do MEC é contraditório e ignora as especificidades culturais de cada região. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Valdeci Reis, Universidade do Estado de Santa Catarina, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina e Técnico em Eucação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina.

Ademilde Silveira Sartori, Universidade do Estado de Santa Catarina, Brasil.

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo. Professora Titular do Departamento de Pedagogia da UDESC. 

Referências

ABRAMO, Helena. Cenas juvenis: punks e darks no espetáculo urbano. São Paulo: Escrita, 2015.

ANDRÉ, Marli. “Inserção profissional de egressos de programas de iniciação à docência”. In: 38ª Reunião Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Democracia em risco: A pesquisa e a pós-graduação em contexto de resistência. São Luís/MA, 2017.

ANDRÉ, Marli. Práticas inovadoras na formação de professores. Campinas: Papirus, 2016a.

ANDRÉ, Marli “Políticas de iniciação à docência para uma formação profissional qualificada”. In: ANDRÉ, Marli (Org.). Práticas inovadoras na formação de professores. Campinas: Papirus, 2016b.

BANCO MUNDIAL. Um ajuste justo: Análise sobre a eficiência e equidade do gasto público no Brasil. Brasília, 2017.

BAYERISCHES STAATSMINISTERIUM FÜR BILDUNG UND KULTUS, WISSENSCHAFT UND KUNST. Prognose zum Lehrerbedarf in Bayern 2015. München, 2016.

BECHLER, Rosiane Ribeiro; SILVA, Cristiani Bereta da. “Formação do professor de História nos contextos alemão e brasileiro: algumas questões sobre a relação entre teoria e prática”. Revista História Hoje, Ponta Grossa, v. 4, n. 7, p. 75-104, 2015.

BORELLI, Silvia; ROCHA, Rose de Melo; OLIVEIRA, Rita de Cássia Alves. Jovens na cena metropolitana: percepções, narrativas e modos de comunicação. São Paulo: Paulinas, 2013.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei 193/2016. Inclui, entre as diretrizes e bases da educação nacional, o programa Escola sem Partido. Brasília: Mesa Diretora do Senado, 2016. Disponível em <https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/125666>. Acesso em: 22 dez. 2017.

BRASIL. Medida provisória nº 746, de 22 de setembro de 2016. Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, e a Lei nº 11.494 de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, e dá outras providências. Brasília: Casa Civil, 2016c. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/Mpv/mpv746.htm. Acesso em: 22 dez. 2017.

BRASIL. Senado Federal. Proposta de Emenda à Constituição 55. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal. Brasília: Mesa Diretora do Senado, 2016d. Disponível em: <https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/127337>. Acesso em: 22 dez. 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC). Anuário Estatístico 2016 da Rede Federal de Educação Científica e Tecnológica. Brasília, 2017.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/MEC). Censo da Educação Básica. Brasília, 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Resolução CNE/CP n. 02/2015, de 1º de julho de 2015. Brasília, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, seção 1, n. 124, p. 8-12, 02 de julho de 2015.

BRASIL. Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica/CAPES. Relatório de Gestão PIBID 2009–2013. Brasília, 2013. Disponível em:

http://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/18192014-relatorio-PIBID.pdf

CEBALLOS, Ingrid Müller de. “La Formación docente en Alemania: una ojeada histórica”. Revista Educación y Pedagogía, Facultad de Educación, Universidad de Antioquia, Colombia, n. 14 y 15, p. 170-177, 1995. Disponível em: http://aprendeenlinea.

udea.edu.co/revistas/index.php/revistaeyp/article/view/5586/5008. Acesso em: 20 dez. 2017.

CONSELHO Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif). Os Institutos Federais em números. Brasília, 2017.

FICHTNER, Bernd; BENITES, Maria. “O ofício do professor na Alemanha – uma entrevista” (por Marcos Villela Pereira). Educação, Porto Alegre, RS, ano XXVIII, v. 3, n. 57, p. 535-546, set./dez. 2005.

GATTI, Bernadete Angelina. “Questões: Professores, escolas e contemporaneidade”. In: ANDRÉ, Marli (Org.). Práticas inovadoras na formação de professores. Campinas: Papirus, 2016.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

GATTI, Bernadete Angelina; NUNES, Maria Muniz Rosa. Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em Pedagogia, Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Biológicas. São Paulo: FCC/DPE, 2009.

GIGLIO, Celia Maria Benedicto; LUGLI, Rosário Silvana Genta. “Diálogos pertinentes na formação inicial e continuada de professores e gestores escolares. A concepção do Programa de Residência Pedagógica na UNIFESP”. Cadernos de Educação, Pelotas, FaE/PPGE/UFPel, n. 46, p. 62-82, set.-dez, 2013.

GIMENES, Camila Itikawa. O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) e a formação de professores de ciências naturais: possibilidade para a práxis na formação inicial? 2016. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo.

FLACH, Simone Fátima; SCHLESENER, Anita Helena. “Análise de conjuntura sobre a ocupação de escolas no Paraná a partir do pensamento de Antonio Gramsci”. ETD- Educação Temática Digital, Campinas, v. 19, n. 1, p. 165-186, jan./mar. 2017.

HAYASHI, Marcelo Innocentini; FERREIRA-JÚNIOR, Amarilio; INNOCENTINI-HAYASHI, Maria Cristina Piumbato. “Atuação e resistência dos estudantes secundaristas nas ocupações das escolas públicas paulistas”. Argumentos Pró-Educação, Pouso Alegre, v. 2, n. 4, p. 68-88, jan.-abr. 2017.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria do Socorro Lucema. “Os (des)caminhos das políticas de formação de professores – o caso dos estágios supervisionados e o programa de iniciação à docência: duas faces da mesma moeda?”. In: 38ª Reunião Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Democracia em risco: A pesquisa e a pós-graduação em contexto de resistência. São Luís/MA, 2017.

PIMENTA, Selma Garrido. O Estágio na Formação de professores: unidade teoria e prática? 11. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

POLADIAN, Mariana Lopes Pedrosa. Estudo sobre o Programa de Residência Pedagógica da UNIFESP: uma aproximação entre Universidade e Escola na Formação de Professores. 2014, 128f. Dissertação (Mestrado em Educação), Psicologia da Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2014.

POPKEWITZ, Thomas. “História do Currículo, regulação social e poder”. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). O sujeito da educação. Estudos foucaultianos. Petrópolis: Vozes, 1994.

REIS, Valdeci. “‘#Ocupar e resistir’: estudantes catarinenses em defesa da escola pública”. Argumentos Pró-Educação, Pouso Alegre, v. 2, n. 5, p. 235-258, mai.-ago. 2017.

SAVIANI, Dermeval. “Formação de professores: Aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro”. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 143-155. 2009

SEVERO, Ricardo Gonçalves; SEGUNDO, Mario Augusto Correia San. “OCUPATUDORS: socialização política entre jovens estudantes nas ocupações de escolas no Rio Grande do Sul”. ETD-Educação Temática Digital, Campinas, v. 19, n. 1, p. 73-98, jan./mar. 2017.

SGUISSARDI, Valdemar. “Educação Superior no Brasil. Democratização ou massificação mercantil?”. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v. 36, n. 133, p. 867-889, 2015.

SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, M. C. M; EVANGELISTA, Olinda. Política Educacional. São Paulo: DP&A, 2000.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

SILVA, Tomaz Tadeu da. “Dr. Nietzsche curriculista: com uma pequena ajuda do professor Deleuze”. In: MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; MACEDO, Elizabeth Fernandes de. (Orgs.). Currículo, práticas pedagógicas e identidades. Portugal: Porto, 2002. p. 35-52.

SILVESTRE, Magali Aparecida. “Práticas de estágios no programa de residência pedagógica da UNIFESP/Guarulhos”. In: ANDRÉ, Marli (Org.). Práticas inovadoras na formação de professores. Campinas: Papirus, 2016.

SILVESTRE, Magali Aparecida; VALENTE, Wagner Rodrigues. Professores em residência pedagógica: estágio para ensinar matemática. Petrópolis: Vozes, 2014.

SOUZA, Jessé. A radiografia do golpe: entenda como e por que você foi enganado. Rio de Janeiro: LeYa, 2016.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO – UNIFESP. Projeto pedagógico do curso de Pedagogia. Faculdade de Letras e Ciências Humanas: Guarulhos/SP, 2010.

MUSICOGRAFIA

MARX, Elias Oliveira. Raiz da Corrupção. Florianópolis, 2017. (Produção Estúdio Bahls). Música Independente, Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=N4krcSbCnfY. Acesso em: 01 jan. 2018

Downloads

Publicado

26-04-2018

Como Citar

REIS, V.; SARTORI, A. S. EDUCAÇÃO PÚBLICA EM RISCO: descontinuidades, golpes e resistência. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 1, n. 11, p. 59–70, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2018v1n11.38004. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rec/article/view/ufpb.1983-1579.2018v1n11.38004. Acesso em: 16 abr. 2024.