VER E REGULAR CONDUCTAS: PROVOCAÇÕES EM TORNO DA EXPERIÊNCIA DOS SUJEITOS INFAMES NA ESCOLA

Resumo

O presente texto objetiva provocar reflexões acerca das subjetividades infames no interior da instituição escolar, pondo em tela uma interface entre as cenas do longa-metragem cubano Conducta e o arcabouço teórico foucaultiano. Para tanto, inicialmente, esclarecerá a possibilidade de ver a experiência do tornar-se sujeito desviante. Em seguida, desvelará as maneiras de regulação das condutas indisciplinadas no interior da escola. Por fim, revelará algumas implicações da infâmia para o cuidado de si e dos outros na educação formal. Será exibida, assim, a experiência-limite constituída pela existência desses sujeitos indesejáveis e pela sua presença na escola, os quais apontam o fracasso de uma pedagogia caduca mas, ao mesmo tempo, fornecem pistas para outras artes da existência na educação.

Referências

ARTIÈRES, P. et al. Introducation. In : PALTRINIERI, L. (org.). L’Usage des plaisirs et Le Souci de soi de Michel Foucault : Regards critiques 1984-1987. Caen : Presses Universitaires de Caen, 2014.

DEPRAZ, N. Comprendre la phénoménologie : une pratique concrète. Paris : Armand Collin, 2012.

DIDI-HUBERMAN, G. Diante da imagem: questão colocada aos fins de uma história da arte. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 2013.

DUPEYRON, J-F. Foucault et la forme scolaire. In : PRAIRAT, É. (org.). À l’école de Foucault. Nancy : Presses Universitaires de Nancy, Éditions Universitaires de Lorraine, 2014.

ELSAESSER, T. Cinema como arqueologia das mídias. Trad. Carlos Szlak. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2018.

FOUCAULT, M. A escrita de si. In: ______. Ditos e escritos V: Ética, sexualidade e política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

______. A hermenêutica do sujeito: curso dado no Collège de France (1981-1982). Trad. Márcio Alves da Fonseca e Salma Tannus Muchail. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

______. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Trad. Laura Fraga de Almeida. São Paulo: Loyola, 1996.

______. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Trad. Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

______. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. Trad. Maria Thereza da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

______. La vie des hommes infâmes. In: ______. Dits et Écrits II. Paris : Gallimard, 2001a.

______. Le Corps utopique. In : ______. Le Corps Utopique suivi de Les Hétérotopies. Paris : Éditions Nouvelles Lignes, 2009.

______. Polémique, politique, problématisations. In: ______. Dits et Écrits II. Paris : Gallimard, 2001b.

______. Préface à l’« Histoire de la sexualité ». In: ______. Dits et Écrits II. Paris : Gallimard, 2001c.

______. Qu’est-ce que la critique ? In: ______. Qu’est-ce que la critique? suivi de La culture de soi. Paris: Vrin, 2015.

______. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Trad. Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 2010.

GADELHA, S. Empresariamento da sociedade e governo da infância pobre. In: RESENDE, H. (org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica, 2015. (Coleção Estudos Foucaultianos)

GLEYSE, J. A instrumentalização do corpo: uma arqueologia da racionalização instrumental do corpo, da Idade Clássica à Época Hipermoderna. Trad. Avelino A. de Lima Neto, Cláudia E. A. Moraes e Fábio L. S. Teixeira. São Paulo: LiberArs, 2018.

______. Entrepreneurs de morale et d’hygiène et propagandistes sportifs : les films fixes ayant trait au corps ou à l’activité physique, dans le fonds du Cedrhe au XXe siècle. Tréma, Montpellier : IUFM de Montpellier, 2014, pp.44-59.

GROS, F. Problématisations. In: BERT, J-F.; LAMY, J. Michel Foucault : Un héritage critique. Paris: CNRS Éditions, 2014.

GUTIÉRREZ, P. J. Trilogia suja de Havana. Trad. Ari Roitman e Paulina Wacht. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2017.

HAN, B. L’ontologie manquée de Michel Foucault : entre l’historique et le transcendantal. Grenoble : Éditions Jérôme Million, 1998.

LAROSSA, J. Apresentação. In: ______. Pedagogia profana: danças, piruetas e outras mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

______. Do espírito da criança à criança de espírito. A ideia de formação em Peter Handke. In: ______. Pedagogia profana: danças, piruetas e outras mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

______. O enigma da infância ou o que vai do impossível ao verdadeiro. In: ______. Pedagogia profana: danças, piruetas e outras mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

LIMA NETO, A. A. Ver com Foucault. In: ______. O cinema como educação do olhar. São Paulo: LiberArs, 2018.

______; ARAÚJO, H. F. Para além do corpo belo: notas sobre a leitura foucaultiana do Alcibíades. Educação e Filosofia (Online), v. 32, p. 1-15, 2018.

NUMA escola de Havana. Direção: Ernesto Daranas. Esfera Produções Culturais LTDA, 2014. DVD (90 min), color. Título original: Conducta.

PAGNI, P. A. Experiência estética, formação humana e arte de viver: desafios filosóficos à educação escolar. São Paulo: Loyola, 2014.

PLATÃO. Defesa de Sócrates. In: ______. Sócrates. Traduções de Jaime Bruna, Libero Rangel de Andrade, Gilda Maria Reale Strazynski. São Paulo: Nova Cultural, 1987. (Coleção Os Pensadores)

RIONDET, X. Vers une contre-histoire du gouvernement des enfants. In : PRAIRAT, É. (org.). À l’école de Foucault. Nancy : Presses Universitaires de Nancy, Éditions Universitaires de Lorraine, 2014.

REVEL, J. Expériences de la pensée : Michel Foucault. Bordas : Paris, 2005.

TEIXEIRA, F. L. S. et al. Duas funções do olhar em Foucault: panoptismo e transoptismo. Aurora (PUC-SP. On line), v. 10, p. 108-126, 2017.

TOUBIANA, S. Michel Foucault et le cinéma. In: ARTIÈRES, P. (org.). Michel Foucault, la littérature et les arts. Paris : Kimé, 2004.

VEIGA-NETO, A. Por que governar a infância? In: RESENDE, H. (org.). Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica, 2015. (Coleção Estudos Foucaultianos)

Publicado
2019-12-11
Como Citar
de Lima Neto, A. A., & Gleyse, J. (2019). VER E REGULAR CONDUCTAS: PROVOCAÇÕES EM TORNO DA EXPERIÊNCIA DOS SUJEITOS INFAMES NA ESCOLA. Revista Temas Em Educação, 28(3). Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/48541
Seção
DOSSIÊ TEMÁTICO - CORPO, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS DIGITAIS