EDUCAÇÃO (ESPECIAL), MÉTODOS DE ENSINO E INSTITUIÇÕES DESTINADAS À SURDEZ EM PORTUGAL: VISÃO SOCIOHISTÓRICA NO SÉC. XIX E INÍCIOS DO XX

EDUCATION (SPECIAL), TEACHING METHODS AND INSTITUTIONS AIMED AT DEAFNESS IN PORTUGAL: SOCIO-HISTORICAL VISION IN THE 19TH CENTURY AND EARLY 20TH)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2020v29n2.53480

Palavras-chave:

Surdez, Método oralista, Método gestual, Educação especial, Instituições especializadas

Resumo

O estudo de índole histórico-descritivo trata sobre a educação especial às crianças surdas-mudas no séc. XIX e começos do XX, em Portugal. O seu marco conceptual assenta em fontes documentais e arquivísticas e de outras fontes secundárias no âmbito da História da Educação (Especial) sobre surdos. A nossa argumentação historiográfica, de teor hermenêutico (analítica) incide na educação, ações de ensino (métodos) aos surdos e nas iniciativas institucionais para essas pessoas com deficiência sensorial, ditas ‘anormais’ na época. O debate entre as técnicas de ensino aos surdos (oralismo, gestualismo), no âmbito de uma pedagogia diferenciada, acompanhou as tendências europeias divulgadas (métodos: francês e alemão). Em oitocentos, criaram-se classes/aulas e instituições, com o apoio dos municípios e misericórdias (Lisboa, Porto) e de filantropos ou beneméritos, destacando-se o papel da Casa Pia de Lisboa, instituição pioneira na educação dos surdos-mudos. Os nossos objetivos são os seguintes: compreender a existência de uma pedagogia nacional para os surdos (séc. XIX e parte do XX) e respetivas iniciativas educativas; analisar os métodos ou técnicas de ensino (oralista, gestual) seguidos por alguns pedagogos em instituições; compreender a organização de estudos do Real Instituto para surdos-mudos da Casa Pia e as principais características de aprendizagem. Este retrospecto histórico sobre educação da surdez intenta configurar práticas, orientações metodológicas e propostas educacionais, algumas diferentes, que desenvolveram muitas capacidades nos surdos, apesar de limitações. Toda esta visão historiográfica feita em 4 pontos do texto permitiu conhecer os caminhos percorridos pela comunidade surda, as suas dificuldades e lutas e as formas de intervenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernesto Candeias Martins, INSTITUTO POLITÉCNICO DE CASTELO BRANCO

Possui o Título de Agregação à Universidade (área de Educação/H.ª da Educação Social), sendo doutor e mestre em Ciências da Educação, respectivamente pela Univ. Illes Balears (Palma de Mallorca –Espanha) e na Universidade Católica Portuguesa, licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Portuguesa e em Pedagogia/Ciencias da Educação pela Universidade Pontíficia de Salamanca / Universidade de Lisboa – FPCE, docente no Instituto Politécnico de Castelo Branco/Escola Superior de Educação do Dept.º UTC-CSH, (co) coordenador dos Mestrados em Educação do 1.º Ciclo, do 1.º / 2.º Ciclo, Intervenção Social Escolar e Educação Especial e do Curso de Licenciatura em Educação Básica na mesma instituição. É membro da SPCE (fundador), da Sociedad Española de Pedagogia, do Institut Estuds Catalans e coordenador da Secção de Filosofia da Educação da SPCE (2003---). Faz parte dos conselhos editoriais de várias revistas nacionais e estrangeiras. E consultor e avaliador de alguns Agrupamentos de Escola e de Centros de Formação de Professores. Faz parte, como membro efectivo, do centro de investigação - CeiEF da Universidade Lusófona de Lisboa. É autor e co-autor de vários livros e algumas centenas de artigos científicos de revistas nacionais e internacionais.

Referências

ALVES, Mª do Céu G. R. L. Educação especial e modernização escolar: Estudo histórico-pedagógico da educação de surdos-mudos e de cegos. Tese (Doutoramento em Educação/H.ª da Educação) - Instituto de Educação, Univ. de Lisboa. Lisboa: ULisboa, 2012
AMARAL, A. G. Educação das crianças surdas. In: Reforma do Ensino no Instituto Jacob Rodrigues Pereira – Ensino das crianças surdas. Lisboa: Tip. da Casa Pia de Lisboa, 1954.
AMARAL, A. G. Problemas pedagógicos dos surdos. Lisboa: Gráfica Escolar Casa Pia, 1955.
BARTHES, R. A Câmara clara. Lisboa: Edições 70, 1998 [1980, ed. francesa].
CABRAL, Eduardo. Para uma Cronologia da Educação dos Surdos. Communicare –Rev. de Comunicação (APECDA-Porto), 3, p.35-53, 2005.
CARVALHO, João de Sousa. Relatório apresentado à Direção da Casa Pia de Lisboa pelo professor contratado da Seção de Surdos-mudos do mesmo estabelecimento. Anuário da Casa Pia de Lisboa do ano económico 1917-18. Lisboa: Papelaria e Tip. Casa Portuguesa, 1918.
CARVALHO, P. Vaz de. História dos Surdos I: No Mundo e em Portugal. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2007.
CARVALHO, P. Vaz de. História dos Surdos II. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2011
CLODE, J.J. P. E. O Ensino de Surdos-Mudos em Portugal. A otorrinolaringologia em Portugal. Lisboa: Círculo Médico – Comunicação e Design Ld.ª, 2010.
COSTA, D. António da. Aguilar. Occidente Revista Ilustrada de Portugal e Estrangeiro, 2.º ano, Vol. 33, 1 de maio, p. 66-67, 1879.
CUNHA, D. Brito. A Associação Portuguesa de Surdos, uma das mais antigas associações de deficientes existentes em Portugal. Reabilitação (Lisboa),9, jul./ago, p. 2-10,1982.
CUNHA, J. Crispim da. História do Instituto dos Surdos-Mudos e Cegos de Lisboa desde a sua fundação até à sua incorporação na Casa Pia. Lisboa: Tipografia Filipe Nery, 1835
DIAS, Joana F. S. C. Nós, os/as Surdos/as. Construção da Liderança Surda no Seio do Movimento Associativo. Tese (Mestrado em Ciências da Educação), Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Univ. do Porto. Porto: UPorto, 2014.
DINIZ, Aires A. O ensino dos anormaes – preocupações em Coimbra e em Portugal no início do século XX. Educar (Curitiba, Editora UFPR), nº 23, p. 245-263, 2004.
FERNANDES, R. As origens do Ensino Especial: o primeiro Instituto de Surdos-Mudos e Cegos. Rev. Educação Especial e Reabilitação, V. 1, n° 2, dez., 1989, 67-82
FERREIRA, A. Aurélio da Costa. Ensino dos surdos-mudos. Rev. Educação, 9, 1913, 80-85
FERREIRA, A. V. Subsídio para o estudo da história da educação de surdos em Portugal. In: BISPO, M., COUTO, A., CLARA, M., & CLARA, L. (Coord.), O gesto e a palavra I - Antologia de textos sobre a surdez. Lisboa: Caminho, p. 57-81, 2006.
FILIPE, J. Cruz. O ensino dos surdos-mudos. Anuário da Casa Pia de Lisboa do ano económico 1915-16. Lisboa: Casa Pia de Lisboa, p. 404-407, 1916.
FILIPE, J. Cruz. Breves notas sobre o ensino dos surdos-mudos em Portugal. Barcelona: Imprenta de la Casa de Caritat, 1920.
FOUCAULT, M. Os anormais. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
FUSSILIER, A. Esboço histórico do ensino dos surdos-mudos em Portugal. Rev. Educação e Ensino, vol. VIII, p. 459-465 e 544-550, 1893.
FUSSILIER, A. Esboço histórico do ensino dos surdos-mudos em Portugal – Padre Pedro Mª de Aguilar. Rev. Educação e Ensino, Ano IX, Vol. 9, p. 21-30,1894.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. (4ª ed.). São Paulo: Editora Atlas, 2002.
MARTINS, C. S.S. A Casa Pia de Lisboa como instituição total e o governo do aluno surdo. Educação, Sociedade & Culturas, 33, p. 95-111, 2010.
MARTINS, Catarina S. S. Prótese – Ouvinte. Tese (Dissertação de Mestrado) em Educação Artística, na Faculdade de Belas Artes da Univ. de Lisboa. Lisboa: ULisboa, 2007.
RIBEIRO, M. Mª G. da Cunha. Iniciativas (antigas) surgidas no Norte e no Porto para a criação de ensino para surdos. Tripeiro (Associação Comercial do Porto), 7.ª Série, Ano XXII, nº 10, p. 202-217, outubro, 2003.
RIBEIRO, M. Mª G. da Cunha. Perspetiva histórica do ensino da pessoa surda: O Instituto Araújo Porto. Rev. Saber & Educar (Porto), nº 14, p. 1-10, 2009.
SANTOS, Ary dos. O ensino dos Surdos-Mudos em Portugal. Lisboa: Tip. Casa Portuguesa, 1913.
SANTOS, Joana S. A terapia da fala na educação bilingue de alunos surdos. Tese (dissertação) de Mestrado em Ciências da Educação – Educação e Surdez na Faculdade de Psicologia e Ciências da educação da Univ. do Porto. Porto: UPorto, 2011.
SIMÕES, Mª Fernanda P. Sugestões para o ensino das crianças surdas. Lisboa: Edição Autor, 1961.
TAVARES, Pedro de Campos. Algumas considerações sobre educação das crianças surdas em Portugal. Lisboa: Edição autor, 1955.
TRINDADE, J. José da. Ensino da Língua Portuguesa ao surdo-mudo: Imitado do Curso de Língua Francesa de M.M. André & Raymond. 1º Ano. Porto: Oficina Tip. Instituto de Surdos-Mudos Araújo Porto, 1896.
TRINDADE, J. José da. Exercícios de observação e de linguagem conforme as 600 gravuras do álbum ‘O Portuguez pela imagem’. Porto: Oficina Typ. Instituto de Surdos-Mudos Araújo do Porto, 1906.
VASCONCELOS, J. Leite de. Instituto de Surdos-mudos de Lisboa. Lisboa: Imprensa Lucas Evangelista Torres, 1889.

ARQUIVOS DOCUMENTAIS E PERIÓDICOS:
ANUÁRIOS DA CASA PIA DE LISBOA – Anuários da Casa Pia de Lisboa dos anos económicos de 1912-13 até 1919-1920. Lisboa: Papelaria e Tipografia Casa Portuguesa.
ARQUIVO HISTÓRIA SOCIAL. Espólio – Ref.ª PT-AHS-ICS-PQ-B-0989. Lisboa: AHS
A ILLUSTRAÇÃO PORTUGUESA – Revista Literária e Artística, números de 1906 a 1917. Lisboa: Tipografia do Diário Ilustrado. Lisboa – BN-Biblioteca Nacional, 1906-1917.
O ENSINO LIVRE. Surdos-Mudos. O Ensino Livre, nº 35, fevereiro, 1872, p. 3,
PRIMEIRO DE JANEIRO, O surdo-mudo pode ser surdo falante. Primeiro de Janeiro, nº 215, 11/setembro, p. 1, 3 e 11,1909.

Downloads

Publicado

2020-07-30

Como Citar

MARTINS, E. C. EDUCAÇÃO (ESPECIAL), MÉTODOS DE ENSINO E INSTITUIÇÕES DESTINADAS À SURDEZ EM PORTUGAL: VISÃO SOCIOHISTÓRICA NO SÉC. XIX E INÍCIOS DO XX: EDUCATION (SPECIAL), TEACHING METHODS AND INSTITUTIONS AIMED AT DEAFNESS IN PORTUGAL: SOCIO-HISTORICAL VISION IN THE 19TH CENTURY AND EARLY 20TH). Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 29, n. 2, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2020v29n2.53480. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/53480. Acesso em: 27 jan. 2022.

Edição

Seção

ARTIGO DE REVISÃO