COMPREENSÕES DE CURRÍCULO POR LICENCIANDOS DE QUÍMICA

contribuições da formação inicial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.41944

Palavras-chave:

Currículo, Formação Inicial de Professores, Ensino de Química

Resumo

A busca por processos de ensino e aprendizagem de qualidade demanda um olhar atento para as compreensões curriculares de professores de química e aquelas discutidas ao longo de sua formação. Desse modo, o objetivo desta pesquisa foi analisar como formandos de um curso de Licenciatura em Química compreendem o currículo. Para isso, realizamos uma entrevista com os formandos do curso em questão, cujas transcrições foram analisadas por meio da Análise Textual Discursiva. Os resultados apontam que os formandos apresentam compreensões de currículo ora polarizadas para uma prescrição ora para uma construção. Essas compreensões nos permitem refletir a respeito da construção curricular desses futuros professores. Além disso, a pesquisa contribuiu para que sejam (re)pensadas formas de intervenção na formação inicial de professores, que cooperem para processos de construção curricular autônomos e críticos na futura profissão.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Indman Ruana Lima Queiroz, Universidade Estadual de Santa Cruz, Brasil

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação e Ensino Filosofia e História das Ciências da Universidade Federal da Bahia/Universidade Estadual de Feira de Santana. Professora Assistente do Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas da Universidade Estadual de Santa Cruz.

Elisa Prestes Massena, Universidade Estadual de Santa Cruz, Brasil.

Doutora em educação pela Universidade Federal do rio de Janeiro. Professora Adjunta do Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas da Universidade Estadual de Santa Cruz.

Referências

BEJARANO, Nelson Rui Ribas; CARVALHO, Ana Maria Pessoa de. (2003). Tornando-se professor de Ciências: crenças e desafios. Ciência & Educação, 9(1), 1-15. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v9n1/01.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

BOGDAN, Robert C; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação Qualitativa em Educação. Tradução: ALVAREZ, M. J.; Santos, S. B.; Baptista, T. M. Rev. VASCO, A. B. (336p.) Portugal: Porto, 1994.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais/Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio) – Brasília : MEC/SEF, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CP nº 01/02, de 18 de fevereiro de 2002a. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, 2002a.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CP nº 02/02, de 19 de fevereiro de 2002b. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior, 2002b.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica/ Ministério da Educação. Secretária de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. –Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer cne/cp nº 02/2015, de 26 de junho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP nº 15/2018, de 4 de dezembro de 2018. Instituição da Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio (BNCC-EM) e orientação aos sistemas de ensino e às instituições e redes escolares para sua implementação, em regime de colaboração entre os sistemas de ensino, nos termos do Art. 211 da Constituição Federal e Art. 8 º da Lei nº 9.394/1996 (LDB), 2018.

CHACON, Eluzir Pedrazzi; RIBEIRO, Carlos Magno Rocha; BORGES, Márcia Narcizo. Percurso da modificação curricular da licenciatura em Química da Universidade Federal Fluminense e seu reflexo no perfil dos trabalhos de conclusão do curso. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias. 11(3), 487-500, 2012. Disponível em: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen11/REEC_11_3_1_ex624.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

DELIZOICOV, Demétrio; ANGOTTI, José André; PERNAMBUCO, Marta Maria. Ensino de ciências: Fundamentos e métodos. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2002.

FELÍCIO, Helena Maria dos Santos; SILVA, Carlos Manuel Ribeiro. Currículo e Formação de Professores: uma visão integradada construção do conheimento profissional. Rev. Diálogo Educ. Curitiba, 17 (51), 147-166, 2017. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/2818. Acesso em: 27 ago. 2020.

FERNANDES, Sandra Faria; PONTES, Rosana Aparecida Ferreira. O ato didático e o currículo em ação: aproximações necessárias na formação de professores. Revista Internacional de Formação de Professores, 2 (1), 110-130, 2017. Disponível em: https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/RIFP/article/view/402. Acesso em: 27 ago. 2020.

FREIRE, Leila Inês Follmann; JACUMASSO, Sheila Cristina; CAMPOS, Sandro Xavier de. A Perspectiva de Futuro Profissional de Licenciados em Química e o Perfil de Egresso Desejado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa – Paraná. Química Nova na Escola, 34(3), 147-154, 2012. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc34_3/07-PE-101-11.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

FONSECA, C. V; SANTOS, F. M. T. Educação em Química, Formação e Trabalho Docente: revisão de pesquisas brasileiras (2002-2015). Investigações em Ensino de Ciências, 21(2), 179-199, 2016. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/29. Acesso em: 27 ago. 2020.

GARCIA, Irene Terezinha Santos; KRUGER, Verno. Implantação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores de Química em uma instituição federal de ensino superior: desafios e perspectivas. Química Nova, 32(8), 2218-2224, 2009. Disponível em: http://quimicanova.sbq.org.br/imagebank/pdf/Vol32No8_2218_38-ED08558.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

GOODSON, Ivor F. A construção social do currículo. Tradução de Maria João Carvalho. Lisboa: Educa, 1997.

GOODSON, Ivor. F. (2005). Currículo: teoria e história. Tradução Attílio Brunetta. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss Conciso. Instituto Antônio Houaiss. São Paulo: Moderna, 2011.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: Nóvoa, Antônio (org.) Vida de professores. Porto Editora, 2000.

KASSEBOEHMER, Ana Cláudia; FERREIRA, Luiz Henrique. O espaço da prática de ensino e do estágio curricular nos cursos de formação de professores de Química das IES públicas paulistas. Química Nova, 31(3), 694-699, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/qn/v31n3/a38v31n3.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro. Conhecimento escolar em química - processo de mediação didática da ciência. Química Nova, 20(5), 563-568, 1997. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/qn/v20n5/4901.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

MAIA, Juliana de Oliveira et al. O Livro Didático de Química nas Concepções de Professores do Ensino Médio da Região Sul da Bahia. Química Nova na Escola. 33(2), 115-124, 2011. Disponível em:: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc33_2/07-PE7110.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

MALDANER, Otávio Aloisio. Versão experimental de parte do livro “Química I – Construção de conceitos fundamentais em Química”, UNIJUÍ, RS, 2003.

MALDANER, Otávio Aloisio. Formação Inicial e Continuada de professores de Química. 4 ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2013.

MARCELO GARCIA, Carlos. Formação de Professores – Para uma mudança educativa. Portugal: Porto Editora, 1999.

MARCELO GARCÍA, Carlos. El ABC y D de la formación docente. Madri: Narcea, 2015.

MASSENA, Elisa Prestes. A história do currículo da licenciatura em química da UFRJ: tensões, contradições e desafios dos formadores de professores (1993-2005). 30 abr. 2010. 367 p. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em:: http://www.educacao.ufrj.br/ppge/teses/tese_de_doutorado_elisa_prestes_massena.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

MASSI, Luciana; VILLANI, Alberto. O currículo da formação de professores em um instituto de Química: encontros e desencontros entre a prescrição e a prática. Investigação em Ensino de Ciências, 20 (3), 187-204, 2015. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/35/15. Acesso em: 27 ago. 2020.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; ASSIS, Simone Gonçalves de; SOUZA, Edinilsa Ramos de. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2005.

MININEL, Silvana M. X. et al. Considerações de professores em relação à implementação da Proposta Curricular de Química do Estado de São Paulo. Química Nova na Escola, 39 (4), 368-372, 2017. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc39_4/09-EQF-73-16.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. 2 ed. Rio Grande do Sul: Unijuí, 2013.

MOURÃO, Ireuda da Costa; GHEDIN, Evandro. Formação do professor de Química no Brasil: a lógica curricular. Educação em Perspectiva, v. 10, 1-16, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/7155. Acesso em: 27 ago. 2020.

NÓVOA, Antônio. OS PROFESSORES E A SUA FORMAÇÃO. 3. ed. Lisboa: Dom Quixote, Instituto de Inovação Educacional, 1997.

PASSOS, Camila Gref; DEL PINO, José Claudio. Reformulações curriculares do Curso de Licenciatura em Química da: influências, contextos e práticas. Alexandria, 7(1), 209-234, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/38209/29113. Acesso em: 27 ago. 2020.

QUEIROZ, Indman Ruana Lima. FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE QUÍMICA: compreensões de currículo por licenciandos da Universidade Estadual de Santa Cruz. 19 fev. 2016. 108p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Santa Cruz. Ilhéus, 2016. Disponível em:: http://www.biblioteca.uesc.br/biblioteca/bdtd/201460130D.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

QUEIROZ, Indman Ruana Lima; MASSENA, Elisa Prestes. Reflexões acerca de compreensões de Currículode Professores em Exercício. Contexto & Educação. 98, 178-202, 2016. Disponível em:: https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/5699. Acesso em: 27 ago. 2020.

SÁ, Carmen Silvia da Silva. Currículo ativo e a constituição das identidades profissionais em um curso de Licenciatura em Química. 11 jun. 2012. 302 p. Tese (Doutorado) – Universidade de Brasília. Brasília. Disponível em: http://www.repositorio.unb.br/handle/10482/11838. Acesso em: 27 ago. 2020.

SANGIOGO, Fábio André et al. A pesquisa educacional como atividade curricular na formação de licenciandos de Química. Ciência & Educação, 17 (3), 523-540, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132011000300002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 27 ago. 2020.

SILVA, Edileuza Fernandes da. As práticas pedagógicas de professores da Educação Básica: entre a imitação e a criação. (61-82). In: Veiga, Ilma Passos Alencastro& Silva, Edileuza Fernandes da (Orgs.) A escola mudou. Que mude a formação de professores! 3 ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

SILVA, Osmair Benedito da; QUEIROZ, Salete Linhares. Mapeamento da pesquisa no campo da formação de professores de química no Brasil. Investigações em Ensino de Ciências, 21 (1), 62-93, 2016. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/viewFile/28/10. Acesso em: 27 ago. 2020.

SHULMAN, Lee S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, 15(2), 4-14, 1986. Disponível em: http://www.fisica.uniud.it/URDF/masterDidSciUD/materiali/pdf/Shulman_1986.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

VIANNA, Nycollas Stefanello; RITTER, Jaqueline. O currículo de Química na Educação Básica: concepções e Práticas de Professores. Contexto & Educação, 35 (10), 202-225, 2020. Disponível em: https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/8954. Acesso em: 27 ago. 2020.

ZUIN, Vânia Gomes; PACCA, Jesuína Lopes de Almeida. Formación docente en química y ambientación curricular: estudio de caso en una institución de enseñanza superior brasileña. Enseñanza De Las Ciencias, 31(1), 79-93, 2012. Disponível em: https://ddd.uab.cat/pub/edlc/edlc_a2013v31n1/edlc_a2013v31n1p79.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

Downloads

Publicado

2020-11-14

Como Citar

QUEIROZ, I. R. L.; MASSENA, E. P. COMPREENSÕES DE CURRÍCULO POR LICENCIANDOS DE QUÍMICA: contribuições da formação inicial. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 635–648, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.41944. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/41944. Acesso em: 7 dez. 2021.