A (IM)POSSIBILIDADE DA EDUCAÇÃO INTEGRAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.52844

Palavras-chave:

Educação Integral, Teoria do Discurso, Pós-Estruturalismo, Pós-Fundacionalismo, Lógicas fantasmáticas

Resumo

Neste artigo, as contribuições de aportes pós-estruturais e pós-fundacionais são mobilizadas para sustentar a (im)possibilidade de uma Educação Integral (EI). De uma perspectiva discursiva de interpretação dos fenômenos sociais, a EI é entendida como um nome que se hegemoniza, passando a representar uma promessa de plenitude-por-vir humana e social. O nome Educação Integral é assumido, a partir da Teoria do Discurso de Ernesto Laclau, como um significante saturado de significados em disputas incessantes para fixar uma identidade plena e idealizada. Um processo em que lógicas ou narrativas fantasmáticas prometem a ‘salvação’ humana e uma plenitude-por-vir. Como material empírico, foram selecionadas quatro experiências de EI: Centro Educacional Carneiro Ribeiro (CECR), Centro Integrado de Educação Pública (CIEP), Centro de Atenção Integral à Criança (CAIC) e o Programa Mais Educação (PME), assumidas como políticas curriculares, a partir das quais são interpretados sentidos dessas lógicas articulados e negociados nos textos políticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Talita Vidal Pereira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil

Doutorado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Professora Adjunta da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense da UERJ e Procientista, nesta mesma instituição. Atua como docente do corpo permanente do PPGECC-UERJ e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação (ProPEd-UERJ). 

Marcio Bernardino Sirino, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil

Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (ProPEd/UERJ); Professor da Universidade Castelo Branco (UCB); Integrante do Grupo de Pesquisa Currículo: conhecimento & cultura (UERJ). 

Referências

BIESTA, Gert. Para além da aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. 1ª reimp. Belo Horizonte: Autêntica 2017.
BURITY, Joanildo A. Da emancipação à liberdade. In: MOURA, Alexandrina S. (Org.) Utopia e formações Sociais. Recife: Massangana, 1994. p. 29-45.
BURITY, Joanildo Albuquerque. Discurso, política e sujeito na Teoria da Hegemonia de Ernesto Laclau. In: MENDONÇA, Daniel de; RODRIGUES, Léo Peixoto (Org.). Pós-Estruturalismo e Teoria do Discurso: em torno de Ernesto Laclau. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. p. 35-51.
CAVALIERE, Ana Maria. Conceito de educação integral é um conceito em construção. Portal do Professor, Brasília, n. 20, 2009. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/conteudoJornal.html?idConteudo=526. Acesso em: 10 maio 2020.
COELHO, Lígia Martha Coimbra da Costa. História(s) da educação integral. Em Aberto, Brasília, v. 22, n. 80, p. 83-96, abr. 2009.
COSTA, Hugo Heleno C.; PEREIRA, Talita Vidal. Interdisciplinaridade: um significante flutuante nos currículos de Ciências e Geografia. Poíesis Pedagógica, v. 10, n. 2, p. 155-175, ago./dez. 2012.
CUNHA, Érika Virgílio Rodrigues da. Política curricular de ciclos como o nome da democracia: o caso de Rondonópolis (MT). 2015. 254 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.
DERRIDA, Jacques. Gramatologia. São Paulo: Perspectiva, 2008.
GLYNOS, Jason Ernesto. The tension dweller: on paradox, political discourse and affect. Pléyade, n. 16, p. 49-55, jul./dez. 2015.
GLYNOS, Jason; HOWARTH, David. Explicação crítica em Ciências Sociais: a abordagem das lógicas. In: LOPES, Alice Casimiro; OLIVEIRA, Anna Luiza A. R. Martins; OLIVEIRA, Gustavo Gilson Souza de (Orgs.). A teoria do discurso na pesquisa em educação. Recife: Ed. UFPE, 2018. p. 53-103.
GLYNOS, Jason; OLIVEIRA, Gustavo Gilson Souza de; BURITY, Joanildo. Critical fantasy studies: neoloberalism, education and identification. An interview with Jason Glynos. Série-Estudos, Campo Grande, v. 24, n. 52, p. 145-170, set./dez. 2019.
LACAN, Jacques. Écrits: a selection. London: Tavistock, 1997.
LACLAU, Ernesto. Emancipação e diferença. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.
LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonía y estrategia socialista. Hacia una radicalización de la democracia. 3ª ed. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2010.
LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Pós-marxismo sem pedido de desculpas. In: LOPES, Alice C.; MENDONÇA, Daniel de (Orgs.). A teoria do discurso de Ernesto Laclau. Ensaios críticos e entrevistas. São Paulo: Annablume, 2015. p. 35- 72.
LECLERC, Gesuína de Fátima Elias; MOLL, Jaqueline. Programa Mais Educação: avanços e desafios para uma estratégia indutora da Educação Integral e em tempo integral. Educar em Revista, Curitiba, n. 45, p. 91-110, jul./set. 2012.
LOPES, Alice Casimiro. Teorias pós-críticas, política e currículo. Educação, Sociedade & Culturas, n. 39, p. 7-23, 2013.
LOPES, Alice Casimiro. Por um currículo sem fundamentos. Linhas Críticas, v. 21, p. 445-466, 2015.
MOUFFE, Chantal. Identidade democrática e política pluralista. In: MENDES, Candido (Coord.). Pluralismo cultural, identidade e globalização. Rio de Janeiro: Record, 2001. p. 410-430.
PARO, Vítor. Escola de tempo integral: desafio para o ensino público. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1988.
PEREIRA, Talita Vidal. As contribuições do paradigma pós-estruturalista para analisar as políticas curriculares. Espaço do Currículo, v. 3, n. 1, p. 419-430, mar./set. 2010.
POWER, Sally. O detalhe e o macrocontexto: o uso da teoria centrada no Estado para explicar práticas e políticas educacionais. Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 9, n. 1, p. 11-30, jan./jun. 2006.
RUSSEL, Bertrand. Educação e ordem social. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2018.
SOBRINHO, José Amaral; PARENTE, Marta Maria de Alencar. CAIC: solução ou problema? Rio de Janeiro: IPEA, 1995. (Resultado da pesquisa do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).
STAVRAKAKIS, Yannis. Populismo para atravessar a fantasia? Entrevista concedida a Thomás Zicman de Barros. Revista Lacuna, v. 1, n. 4, p. 1-16, nov. 2017. Disponível em: https://revistalacuna.com/2017/11/20/n4-11/. Acesso em: 30 abr. 2020.
TEIXEIRA, Anísio. Centro Educacional Carneiro Ribeiro. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v. 31, n. 73, p. 78-84, jan./mar. 1959.

Downloads

Publicado

2020-11-10

Como Citar

VIDAL PEREIRA, T.; BERNARDINO SIRINO, M. A (IM)POSSIBILIDADE DA EDUCAÇÃO INTEGRAL. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 603–612, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n3.52844. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/52844. Acesso em: 7 dez. 2021.