UNIVERSALISMO, PLURALISMO EPISTEMOLÓGICO E MULTICULTURALISMO CRÍTICO

problematizando a possibilidade de uma nova posição epistemológica

Palavras-chave: Universalismo, Pluralismo epistemológico, Multiculturalismo crítico, Pluralismo científico, Epistemologia

Resumo

Este ensaio teórico tem como objetivo problematizar a possibilidade de uma nova posição epistemológica sobre demarcação de conhecimentos, a partir das discussões frente às convergências e divergências entre o universalismo, o pluralismo epistemológico e o multiculturalismo crítico, a fim de compreender como essas perspectivas teóricas poderiam ser acionadas pelos/as professores/as para subsidiar diferentes práticas pedagógicas. Para tanto, apresentamos as três principais posições epistemológicas da ciência (universalismo, multiculturalismo e pluralismo epistemológico), discutimos também acerca das variações do multiculturalismo presentes na literatura nacional e internacional, e, por fim, argumentamos pelo diálogo teórico e prático entre os dois posicionamentos que se mantêm mais evidentemente em disputa – o pluralismo epistemológico e o multiculturalismo crítico, com uma nova via de discussão epistemológica. Propomos aqui a ideia de um pluralismo científico, de modo que as ciências sejam correspondentes às diversas culturas. Trata-se de questionar o termo “ciência” como metáfora do poder, confrontando a hegemonia do discurso e desestabilizando as hierarquias que foram (im)postas historicamente e são refletidas nos dias atuais. 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Isabela Santos Correia Rosa, Secretaria da Educação do Estado de Sergipe, Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe,, Brasil.

Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências (UFBA/UEFS, 2019), com período sanduíche na Universidade Pompeu Fabra, Barcelona, Espanha. Atualmente é professora efetiva do estado de Sergipe e contratada do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe.

Rosiléia Oliveira de Almeida , Universidade Federal da Bahia, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas e professora associada do Departamento de Educação II da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Catiana Santos Correia Santana, Secretaria de Estado da Educação de Sergipe, Brasil.

Mestrado em Letras pela Universidade Federal de Sergipe e professora efetiva do estado de Sergipe.

Referências

CANDAU, Vera Maria. (Org.). Educação intercultural e cotidiano escolar. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2006.

CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 37, p. 45- 56, 2008.

CANDAU, Vera Maria. Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Currículo sem Fronteiras, v. 11, n. 2, p. 240-255, 2011.

CANDAU, Vera Maria. Diferenças culturais, interculturalidade e educação em direitos humanos. Educ. Soc., v. 33, n. 118, p. 235-250, 2012.

CANEN, Ana. Educação multicultural, identidade nacional e pluralidade cultural: tensões e implicações curriculares. Cadernos de Pesquisa, v. 111, n. 10, p. 135-150, 2000.

CANEN, Ana; OLIVEIRA, R. J.; FRANCO, Monique. Ética, multiculturalismo e educação – articulação possível? Revista Brasileira de Educação, n. 13, p. 113-126, 2000.

CANEN, Ana. Universos culturais e representações docentes: subsídios para a formação de professores para a diversidade cultural. Educação e Sociedade, n. 77, p. 207-227, 2001.

CANEN, Ana; MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. Reflexões sobre o multiculturalismo na escola e na formação docente. In: CANEN, Ana; MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. (Org.). Ênfases e omissões no currículo. São Paulo: Papirus, 2001. p. 15-43.

CANEN, Ana; OLIVEIRA, Angela M. A. Multiculturalismo e currículo em ação: um estudo de caso. Revista Brasileira de Educação, n. 21, p. 61-74, 2002.

CANEN, Ana. A pesquisa multicultural como eixo na formação docente: potenciais para a discussão da diversidade e das diferenças. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, v. 16, n. 59, p. 297-308, 2008.

CANEN, Ana. Currículo para o desafio a xenofobia: algumas reflexões multiculturais na educação. Revista Conhecimento e Diversidade, n. 11, p. 89-98, 2014.

COBERN, Willian W.; LOVING, Cathleen C. Defining “science” in a multicultural world: Implications for science education. Science Education, v. 85, p. 50-67, 2000.

CREPALDE, Rodrigo dos Santos; KLEPKA, Verônica; PINTO, Tânia Halley Oliveira; SOUSA, Mikaella de. A integração de saberes e as marcas dos conhecimentos tradicionais: reconhecer para afirmar trocas interculturais no ensino de Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, p. 275-297, 2019.

DEMO, Pedro. Aprendizagens e novas tecnologias. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Educação Física, v. 1, n. 1, p.53-75, 2009.

EL-HANI, Charbel Niño; MORTIMER, Eduardo Fleury. Multicultural education, pragmatism, and the goals of science teaching. Cultural Studies of Science Education, v. 2, n. 3, p. 657-687, 2007.

EL-HANI, Charbel Niño; BANDEIRA, Fábio Pedro Souza de Ferreira. Valuing Indigenous knowledge: To call it “science” will not help. Cultural Studies of Science Education, v. 3, n. 3, p. 751-779, 2008.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala. 48. ed. Pernambuco: Global, 2003.

FONTE, Sandra Soares Della; LOUREIRO, Robson. Educação escolar e o multiculturalismo intercultural: crítica a partir de Simone de Beauvoir. Pro-Posições, v. 22, n. 3 (66), p. 177-193, 2011.

GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. O jogo das diferenças, o multiculturalismo e seus conceitos e seus contextos. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

HODSON, Derek. In search of a rationale for multicultural science education. Science Education, v. 77, p. 685-711, 1993.

IVENICKI, Ana. Multiculturalismo e formação de professores: dimensões, possibilidades e desafios na contemporaneidade. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 26, n. 100, p. 1151- 1167, 2018.

LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Formação e dinâmica do campo da educação ambiental no Brasil: emergências, identidades e desafios. 2005. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas Universidade de Campinas.

MACEDO, Roberto Sidnei. A etnopesquisa crítica e multirreferencial nas ciências humanas e na educação. 2. ed. Salvador: EDUFBA, 2004.

MACHADO, Carlos Eduardo Dias. Ciência, tecnologia e inovação africana e afrodescendente. Bookess: Social DRM, 2014.

MARTINS, João Batista. Contribuições epistemológicas da abordagem multirreferencial para a compreensão dos fenômenos educacionais. Revista Brasileira de Educação, n. 26, p. 85-94, 2004.

MATTHEWS, Michael R. Science teaching: The role of history and philosophy of science. New York: Routledge, 1994.

MCLAREN, Peter. Multiculturalismo crítico. São Paulo: Cortez, 1997.

MCLAREN, Peter. Multiculturalismo revolucionário: pedagogia do dissenso para o novo milênio. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. A recente produção científica sobre currículo e multiculturalismo no Brasil (1995-2000): avanços, desafios e tensões. Revista Brasileira de Educação, n. 18, p. 65-81, 2001.

OGAWA, Masakata. Science education in a multiscience perspective. Science Education, v. 79, p. 583-593, 1995.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In.: Edgardo Lander (Org.). A colonialidade do saber: Eurocentrismo e ciências sociais - Perspectivas latinoamericanas. Colección Sur Sur, CLACSO: Ciudad Autónoma de Buenos Aires, 2005. p. 107-126.

RAMALHO, Viviane; RESENDE, Viviane de Melo. Análise de discurso (para a) crítica: O texto como material de pesquisa. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011. 195 p. (Coleção Linguagem e Sociedade, v. 1).

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice - O social e o político na pós-modernidade. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

SIEGEL, Harvey. Science education: multicultural and universal. Interchange, v. 28, p. 97-108, 1997.

SNIVELY, Gloria; CORSIGLIA, John. Rediscovering indigenous science: Implications for science education. Science Education, v. 85, p. 6-34, 2001.

SKIDMORE, Thomas. Preto no Branco: raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

SOUTHERLAND, Sherry A. Epistemic universalism and the shortcomings of curricular multicultural science education. Science & Education, v. 9, p. 289-307, 2000.

WILLIAMS, Harvey. A critique of Hodson’s “In search of a rationale for multicultural science education”. Science Education, v. 78, p. 515-520, 1994.

Publicado
2020-12-11
Como Citar
ROSA, I. S. C.; ALMEIDA , R. O. DE; SANTANA, C. S. C. UNIVERSALISMO, PLURALISMO EPISTEMOLÓGICO E MULTICULTURALISMO CRÍTICO. Revista Espaço do Currículo, v. 13, n. Especial, p. 726-742, 11 dez. 2020.