UMA BREVE DISCUSSÃO SOBRE A PRESENÇA DA ESTATÍSTICA NO CURRÍCULO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n2.57471

Palavras-chave:

Estatística, Ensino de Estatística, PCN, BNCC

Resumo

O conhecimento estatístico é imprescindível para realizar diferentes atividades cotidianas, contudo, para que o indivíduo seja capaz de utilizar a Estatística, deve desenvolver habilidades de leitura e de interpretação de dados, além da capacidade de estabelecer relações, fazer suposições e compreender informações relacionadas com a incerteza, a imprevisibilidade ou a variabilidade. Nesse contexto, esta pesquisa propõe discutir sobre os principais desafios e perspectivas sobre o ensino de estatística advindos com a implementação dos PCN e da BNCC. A abordagem metodológica utilizada neste estudo é de caráter bibliográfico documental e possui como quadro teórico a Análise Exploratória de Dados (AED). É válido apontar que houveram avanços no decorrer dos anos com a incorporação da Estatística no currículo no Ensino Fundamental. A partir desta inclusão, outros avanços podem ser constatados, como: a exploração das diferentes representações (tabela, gráficos, fluxogramas); a realização e o planejamento de pesquisas práticas envolvendo diferentes variáveis categóricas que possibilitam a abertura de reflexões e o desenvolvimento de competências como o pensamento estatístico e a compreensão das relações interdisciplinares. Aponta-se como um dos desafios para expandir o trabalho com a Estatística na Educação Básica o investimento na formação de professores na perspectiva de capacitá-los em prol de favorecer o processo de ensino e aprendizagem

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Márcio Matoso de Pontes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Brasil.

Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará e professor da Prefeitura Municipal de Fortaleza.

Juscileide Braga de Castro, Universidade Federal do Ceará, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará e professora adjunta da Universidade Federal do Ceará.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN): matemática. Brasília, DF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN): matemática. Brasília, DF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Educação é a Base. Brasília, DF, 2017

BRASIL. Relatório SAEB 2017. Brasília, DF: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2019.

BORBA R.; MONTEIRO C.; GUIMARÃES G.; COUTINHO C.; KATAOOKA V.Y. Educação Estatística no ensino básico: currículo, pesquisa e prática em sala de aula. EM TEIA - Revista de Educação Matemática e Tecnológica Ibero-americana -, v.2, n.2, 2011.

CASTRO, J. B.; CASTRO-FILHO, J. A. Desenvolvimento do pensamento estatístico com suporte computacional. Educação Matemática Pesquisa. São Paulo, v.17, n.5, p. 870-896, 2015.

CAZORLA, I. M.; UTSUMI, M. C. Reflexões sobre o ensino de Estatística na Educação Básica. In: CAZORLA, I. M.; SANTANA, E. R. dos S. (Orgs.). Do Tratamento da Informação ao Letramento Estatístico. Itabuna-BA: Via Litterarum v.1, p. 9-18, 2010.

CAMPOS, C. R.; WODEWOTZKI, M. L. L.; JACOBINI, O. R. Educação Estatística: Teoria e prática em ambientes de modelagem matemática. Belo Horizonte: Autêntica Editora, v.1, n.1, p.1-143, 2011 (Coleção Tendências em Educação Matemática).

GAL, I. Adults Statistical Literacy: meanings, components, responsibilities. International Statistical Review, v.70, n.1, p 1-25, 2002

INAF Brasil. Relatório anual do índice de Alfabetismo Funcional da População Brasileira entre 15 e 64 anos. ONG Ação Educativa e Instituto Paulo Montenegro (Org.). n.18. p.2-22, 2019.

LOPES, C. A. E. O ensino da estatística e da probabilidade na educação básica e a formação dos professores. Revista Cad. Cedes, Campinas.v.28 n.74, p. 57-73, 2008.

LOPES, C. A. E. Os desafios para educação estatística no currículo de matemática. In: Lopes, C. E.; Coutinho, C. Q. S.; Almouloud, S. A. (Org.) Estudos e reflexões em educação estatística. Campinas (SP): Mercado de letras, p.47-64, 2010.

MORGENTHALER, S. Exploratory data analysis. Wiley Interdisciplinary Reviews: Computational Statistics. v. n.1, p. 33- 44, 2009.

MENDONZA, L. P.; SWIFT, J. Why teach statistics and probability: a rationale. In: Shulte, A.P.; Smart, J.R. (Orgs). Teaching statistics and probability. Reston: Yearbook National Council of Teachers of Mathematics, v.1,n.3, p. 90-100, 1981.

PONTE, J. P.; FONSECA, H. Orientações curriculares para o ensino da estatística: Análise comparativa de três países. In: Encontro sobre o Ensino e Aprendizagem da Estatística. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. (PT), p.93-115, 2001.

PONTES, M.M; CASTRO, J.B. A construção do conhecimento Matemático do pedagogo: uma investigação sobre os saberes para a prática pedagógica com Estatística. JIEEM. v.13, n.3, dez.2020.

SOUZA, L. O. O desenvolvimento profissional de professores em estatística: um projeto multidimensional de formação colaborativa. 245f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, São Paulo, 2013.

Downloads

Publicado

2021-06-18

Como Citar

PONTES, M. M. de; CASTRO, J. B. de . UMA BREVE DISCUSSÃO SOBRE A PRESENÇA DA ESTATÍSTICA NO CURRÍCULO DO ENSINO FUNDAMENTAL. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 1–14, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n2.57471. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/57471. Acesso em: 18 set. 2021.