GLOBALIZAÇÃO E CURRÍCULO ESCOLAR

Tendências, Desafios e Oportunidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i3.65878

Palavras-chave:

Pesquisa bibliográfica e documental, Multiculturalidade, Currículo em movimento

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir como a globalização está influenciando o desenvolvimento e a implementação dos currículos escolares em diferentes partes do mundo. Para alcançar esse objetivo, foi realizada uma revisão da literatura sobre o tema, com o objetivo de identificar as principais tendências internacionais em educação que estão influenciando os currículos escolares, bem como as mudanças que estão ocorrendo na forma como os currículos são desenvolvidos e implementados. Os resultados indicam que a globalização está levando a uma maior diversidade e inclusão nos currículos escolares, com uma maior ênfase em temas como direitos humanos, sustentabilidade, diversidade cultural e linguística. Além disso, as tecnologias digitais estão desempenhando um papel cada vez mais importante na elaboração e implementação dos currículos escolares. No entanto, também existem desafios a serem enfrentados, como a necessidade de equilibrar as demandas do mercado de trabalho com os objetivos educacionais e a necessidade de promover a inclusão e a equidade nos currículos escolares. Concluímos que os educadores precisam estar atentos às tendências internacionais em educação e às mudanças na forma como os currículos são desenvolvidos e implementados, a fim de garantir que os alunos estejam preparados para enfrentar os desafios do mundo globalizado. Sugere-se que pesquisas futuras se concentrem em explorar as implicações da globalização no currículo escolar e nas práticas educacionais, bem como em desenvolver abordagens inovadoras para a elaboração e implementação de currículos mais inclusivos e relevantes para o contexto globalizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alexandre Junior de Souza Menezes, Universidade Federal do Vale do São Francisco, Brasil.

Doutor em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial pela Universidade Federal do Vale do São Francisco e professor da Universidade de Pernambuco.

Mário de Miranda Vilas Boas Ramos Leitão, Universidade Federal do Vale do São Francisco, Brasil.

Doutor em Meteorologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e professor Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Lucia Marisy Souza Ribeiro de Oliveira, Universidade Federal do Vale do São Francisco, Brasil.

Doutora em Desenvolvimento Sócioambiental pela Universidade Federal do Pará e professora da Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco. 

Referências

AHO, E.; PITKÄNEN, K; SAHLBERG, P. Policy development and reform principles of basic and secondary education in Finland since 1968. Washington: World Bank, 2006.

ALTBACH, Philip G.; KELLY, Gail P. Education and globalization. Springer, 2018.

ANTUNES, F. Governação e Espaço Europeu de Educação: Regulação da educação e visões para o projecto “Europa”. Revista Crítica de Ciências Sociais (75), 63-93.2006. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/ bitstream/1822/24468/1/RCCS%2075%20FAntunes.pdf Acessado em 20 de dez 2022. DOI: https://doi.org/10.4000/rccs.901

APPLE, Michael W. Educação e Poder. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

APPLE, Michael W. Official knowledge: Democratic education in a conservative age. Routledge, 2018.

APPLE, Michael W.; BEANE, James A. Educação e poder. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

AVILA, A. P. C.; HUI, C.; LAM, A., TAN, J. Pisa: Lessons for and from Singapore. Singapura: National Institute of Education, 2012. 33 p.

BALL, Stephen J. The education debate. Policy Press, 2018.

BASTOS, R. M. B. O surpreendente êxito do sistema educacional finlandês em um cenário global de educação mercantilizada. Revista Brasileira de Educação, v. 22, n. 70, p. 802-825, jul/set. 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-24782017227040

BONILLA, M. H.; GÓMEZ, R. A. La globalización, el currículo y la educación en valores. Revista Electrónica de Investigación Educativa, v. 15, n. 1, p. 1-15, 2013. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=155251870001. Acesso em: 20 dez. 2022.

BRANCO, Feliz. O Desafio Educacional Japonês: Compromisso com aInfância. São Paulo: Editora Brasiliense, 1988.

CALDAS, W. K.; NOBRE, I. A. M.; GAVA, T. B. S. Uso do computador na educação: desafios tecnológicos e pedagógicos. In: NOBRE, I. A. M.; NUNES, V. B.; GAVA, T. B. S.; FÁVERO, R. da P.; BAZET, L. M. B. Informática na educação: um caminho de possibilidades e desafios. Serra, ES: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo, 2011.

CAMAREIRO, Basil Hall. Coisas Japonesas: Notas sobre Vários AssuntosConectado com o Japão. Cambridge: Cambridge University Press, 2014.

CANEN, Ana; OLIVEIRA, Ângela Maria A. de. Multiculturalismo e currículo em ação: um estudo de caso. 2002 Disponível em: Acesso em 7 dez. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000300006

CARNOY, Martin. Education as Cultural Imperialism. New York: David McKay Company, Inc., 1974.

CHAVES, V. N.; REIS, V. D.; COSTA, L. C. A. O currículo e as políticas educacionais no Brasil: um estudo sobre a BNCC. Educação e Cultura Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 15, n. 41, p. 164-179, 2018. Disponível em: https://periodicos.unisuam.edu.br/index.php/edcontemporanea/article/view/587/421. Acesso em: 20 dez. 2022.(FREIRE, 2015) - FREIRE, Paulo. A educação na cidade. Cortez, 2015.

CORAZZA, Sandra Mara. Diferença pura de um pós-currículo. In: LOPES, Alice Casimiro. MACEDO, Elizabeth (Org). Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez, 2005.

FERNANDES, Florestan. O papel do sistema escolar na sociedade moderna. Cadernos de Pesquisa, n. 33, p. 5-9, 1980.

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e Cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FREITAS, Luís Carlos de. Globalização e Educação: Entre o Universalismo e o Particularismo. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 53, p. 9-24, jan./mar. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v18n53/02.pdf. Acesso em: 10 fev. 2023.

GIMENO SACRISTÁN, J. Educar y convivir en la cultura global. Madrid: Morata, 2003.

HALL, Stuart. A questão multicultural. In. SOVIK, Liv (Org.). Da diáspora: Identidade e mediações culturais: Belo Horizonte: UFMG, 2006.

HANNERZ, Ulf. Exploring the City: Inquiries Toward an Urban Anthropology. New York: Columbia University Press, 1980. DOI: https://doi.org/10.7312/hann91086

HELDER, R. R. Como fazer análise documental. Porto, Universidade de Algarve, 2006.

-IMBERNÓN, F. A educação no século XXI: os desafios do futuro imediato. Porto Alegre: Artmed, 2010.

KANAME, Saruya. Palestra sobre a cultura japonesa: contato entre a cultura japonesa e estrangeira. Japão: Kaigai Nikkeijin Kyokai, 1999.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. A Educação Infantil no Japão. Campinas: Cadernos Cedes 37,1995.

KOCH, Ingedore Villaça; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3. ed., 12 reimpressão. São Paulo: Contexto, 2017.

KOUKI, R.; LÓPEZ-SINTAS, J. A Review of Globalization and Educational Change in a Developing Country: The Case of Tunisia. International Journal of Educational Development, v. 50, p. 16-27, 2016.

MAINARDES, Jefferson. O currículo como espaço de disputa entre tendências educacionais na contemporaneidade. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 33, e246136, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/edur/v33/1982-6621-edur-33-e246136.pdf. Acesso em: 10 fev. 2023.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

MCLAREN, P.; FARAHMANDPUR, R. (Eds.). Teaching against Global Capitalism and the New Imperialism: A Critical Pedagogy. Lanham: Rowman & Littlefield, 2015.

Ministério da Educação. Currículo na Educação Básica. 2022. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 27 dez. 2021.

MONTEIRO, Agostinho dos Reis. FINLÂNDIA: UM SISTEMA DE EDUCAÇÃO ADMIRÁVEL. Poiésis - Revista Do Programa De Pós-Graduaçãoem Educação – Mestrado – Universidade Do Sul De Santa Catarina. Unisul, Tubarão , v. 7, n. 11, pág. 26 a 39, janeiro/junho de 2013. DOI: https://doi.org/10.19177/prppge.v7e11201326-39

MOREIRA, A. F. B. e SILVA, T. T. da. (orgs.). Currículo, Cultura e Sociedade. São Paulo: Cortez. Oliveira, O. V. de & Miranda, C. Multiculturalismo crítico, relações raciais e política curricular: a questão do hibridismo na Escola Sara. Revista Brasileira de Educação. n. 25, Jan./Abr, 67p. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782004000100007

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2013.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Bertrand Brasil, 2017.

MOROSINI, Marília Costa. Políticas de currículo na América Latina: concepções e processos. Educação & Sociedade, Campinas, v. 24, n. 82, p. 683-704, set. 2003.

NOBRE, I. A. M.; NUNES, V. B.; GAVA, T. B. S.; FÁVERO, R. da P.; BAZET, L. M. B. Informática na educação: um caminho de possibilidades e desafios. Serra, ES: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo, 2011.

NÓVOA, A., & LAWN, M. (Coords). L’Europe Réinventée. Regards Critiques sur l’espace européen de l’éducation. Paris: L’Harmattan. 2005.

NÓVOA, António. As tendências atuais da educação na Europa. Educação & Sociedade, Campinas, v. 33, n. 120, p. 525-537, jul./set. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v33n120/11.pdf. Acesso em: 10 fev. 2023.

NÓVOA, António; LAWN, Martin (ed.). Fabricating Europe: the formation of the education space. Dordrecht: Kluwer, 2002. DOI: https://doi.org/10.1007/0-306-47561-8

OLIVEIRA, M. B. C. Globalização e políticas educacionais: uma análise das reformas curriculares do ensino médio no Brasil e em Portugal. 2014. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Educação para todos.2021 Disponível em: https://pt.unesco.org/themes/educacao-para-todos. Acesso em: 27 dez. 2021.

PEREIRA, Isabel Menezes; FLORES, Maria Assunção. Currículo, globalização e interculturalidade. Porto: Edições Afrontamento, 2003.

PUNIA, P. Globalization and Curriculum: An Overview. Journal of Education and Practice, v. 7, n. 9, p. 90-95, 2016.

RITTER, D.; VILLA REAL, L. P., BULEGON, A. M. Recursos das tecnologias de informação e comunicação que professores de matemática utilizam em suas atividades docentes. REDIN - Revista Educacional Interdisciplinar. Taquara, vol. 7, nº 1, 2018, p. 1-10.

RITTER, D.; VILLA REAL, L. P., BULEGON, A. M. Recursos das tecnologias de informação e comunicação que professores de matemática utilizam em suas atividades docentes. REDIN - Revista Educacional Interdisciplinar. Taquara, vol. 7, nº 1, 2018, p. 1-10.

ROBERTSON, Roland. Globalization: Social theory and global culture. Sage, 1992.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2013.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Globalização: Fatalidade ou Utopia?. São Paulo: Boitempo, 2000.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, J. L. Educação, globalização e identidade: reflexões sobre o currículo de história na escola pública brasileira. 2008. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

SAVELLE, Max (Coordenador). História da civilização mundial. Belo Horizonte: Villa Rica, 1990. v. 3: Os tempos modernos.

SCHRIEWER, J. & NÓVOA, A. A difusão mundial da escola: Alunos - professores - currículo – pedagogia. Lisboa: Educa. 2000.

SILVA, E. B.; SILVA, S. S. Tendências da educação e o impacto no currículo escolar. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 21, n. 65, p. 353-373, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782016000200353&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 20 dez. 2022.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A produção social da identidade e da diferença. Teoria e Educação, n. 2, 1990.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

SILVA. Maria José Albuquerque. BRANDIM, Maria Rejane Lima. Multiculturalismo e educação: em defesa da diversidade cultural. versão: ano I – nº I: pp. 56-61, jan./jun, 2008. Disponível em: http://www.ufpi.br/subsiteFiles/parnaiba/arquivos/files/rd-ed1ano1-artigo4_mariasilva.pdf. Acessado em 13 de nov. de 2022.

SLEETER, C. E. Un-standardizing Curriculum: Multicultural Teaching in the Standards-based Classroom. New York: Teachers College Press, 2005.

STEPHANOU, Maria. Avaliação curricular: concepções e práticas. Porto: Porto Editora, 2013.

TEODORO, A. Globalização e Educação. Políticas Educacionais e novos modos de governação. Porto: Edições Afrontamento. 2003.

TRIPP, David. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Trad. Lólio Lourenço de Oliveira. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000300009

UNESCO. Educação para todos 2000-2015: realizações e desafios. Paris: UNESCO. 2015.

UNICEF. Educação. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/educacao. Acesso em: 27 dez. 2021.

WEIS, Lois; FINE, Michelle. Beyond silenced voices: class, race, and gender in United States schools. Albany: SUNY Press, 1993.

Downloads

Publicado

24-07-2023

Como Citar

MENEZES, A. J. de S.; LEITÃO, M. de M. V. B. R.; OLIVEIRA, L. M. S. R. de . GLOBALIZAÇÃO E CURRÍCULO ESCOLAR: Tendências, Desafios e Oportunidades. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 3, p. 1–18, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i3.65878. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/65878. Acesso em: 22 maio. 2024.