CURRÍCULO E EDUCAÇÃO INFANTIL

concepções, legislação e invisibilidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i1.66133

Palavras-chave:

Crianças, Educação Infantil, Direito, Currículo, Invibilidade

Resumo

O artigo problematiza o currículo na Educação Infantil à luz do debate sobre concepções, legislações e (in) visibilidades. A discussão acerca de questões curriculares nesta etapa da Educação Básica tem ganhado espaço no movimento histórico da própria constituição da educação institucionalizada de crianças de zero a cinco anos, envolvendo sua função, finalidade, objetivos e organização, ou seja, sua identidade. Apesar desse espaço, não se trata de tema objeto de consenso entre intelectuais, docentes e pesquisadores da área. E isso se dá desde a própria concepção de currículo à sua relação com a Educação Infantil. Também, no âmbito das problematizações, ressaltam-se contextos e sujeitos ainda ausentes desse debate, o que também aponta para a garantia de direitos: as crianças de zero a cinco anos residentes em áreas rurais do país. Em meio às múltiplas teorizações que definem a(s) criança(s), a(s) infância(s) e sua educação, bem como seus desdobramentos em legislações, políticas e orientações para as práticas pedagógicas – que, por sua vez, impulsionam novas teorizações – emergem lacunas, desconhecimentos, invisibilidades – de processos, de contextos, de sujeitos, de práticas.     

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Denise Maria de Carvalho Lopes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Brasil.

Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e professora da mesma instituição.

Fernanda de Lourdes Almeida Leal, Universidade Federal de Campina Grande, Brasil.

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Campina Grande e Professora da mesma instituição.

Ana Luisa Nogueira de Amorim , Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba e professora da mesma instituição.

Referências

AMORIM, Ana Luisa Nogueira de. Sobre educar na creche: é possível pensar em currículo para crianças de zero a três anos? Tese de doutorado. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, 2011.

BALL, Stephen J. Diretrizes políticas e globais e relações políticas locais em educação. Currículo sem fronteiras, [s.l.], v. 1, n. 2, p 27-43- 2001.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira; OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Currículo e Educação Infantil. In. Currículo e Linguagem na educação infantil/Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 1 ed. – Brasília: MEC/SEB, 2016. (Coleção Leitura e escrita na educação infantil; vol 7).

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE∕CEB Nº 1/1999. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 13 abr. 1999.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB Nº1/2002. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas escolas do campo. Brasília, DF: MEC, 2002.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE∕CEB Nº 5/2009. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 18 dez. 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Propostas pedagógicas e currículo em educação infantil: um diagnóstico e a construção de uma metodologia de análise. Brasília, DF: MEC/SEF, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial curricular nacional para a educação infantil: introdução. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 9.394/1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: Diário Oficial 23 dez. 1996.

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988.

DANTAS, Elaine Luciana Sobral; LOPES, Denise Maria de. Educação infantil e currículo: um olhar sobre os olhares da produção acadêmica. Revista Educação, Porto Alegre, v. 43, n. 3, p. 1-13, set. – dez. 2020. E-ISSN: 1981-2582 ISSN-L 0101-465X.

KRAMER, Sônia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2003. (Coleção Biblioteca da Educação)

LEAL, Fernanda de Lourdes Almeida.; OLIVEIRA, Maria das Graças. A experiência da Educação Infantil do Campo no contexto da Paraíba: a universidade pública como espaço de articulação. Perspectiva (UFSC), v. 37, p. 703-1059, 2019.

LEAL, Fernanda de Lourdes Almeida. Educação Infantil do Campo e Pedagogia: um diálogo a se fazer. Revista Trama interdisciplinar, v. 7, p. 164-181, 2016.

LEAL, Fernanda de Lourdes Almeida. Na mão e na contramão da política: a realização da política nacional de educação do campo em municípios do cariri paraibano. 2012. 209f. (Tese de Doutorado em Ciências Sociais) - Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, Centro de Humanidades, Universidade Federal de Campina Grande - Paraíba - Brasil, 2012. Disponível em: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/2039. Acesso em: 10 mar. 2023

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa. Currículos e programas no Brasil. 3. ed. Campinas: Papirus, 1997. (Coleção magistério: Formação e trabalho pedagógico).

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Indagações sobre currículo: currículo, conhecimento e cultura. Brasília: MEC/SEB, 2007.

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu da. Sociologia e teoria crítica do currículo: uma introdução. In: MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu da. (Org.). Currículo, cultura e sociedade. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 7-37.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005. (Coleção Docência em Formação)

ROSEMBERG, Fúlvia; ARTES, Amélia. O rural e o urbano na oferta de educação para criaças de até 6 anos. In: BARBOSA, Maria Carmen Silveira et al (Coord.) Oferta e Demanda de Educação Infantil no campo. Porto Alegre: Evangraf, 2012, p. 13-22.

SILVA, Ana Paula Soares et al. Produção acadêmica nacional sobre a Educação Infantil das Crianças residentes em área rural (1996-2011). In: BARBOSA, Maria Carmen Silveira et al (Coord.) Oferta e Demanda de Educação Infantil no campo. Porto Alegre: Evangraf, 2012, p. 291-331.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. O (im)próprio e o (im)pertinente na apropriação das práticas sociais. Cadernos CEDES, 20(50)/abril, 2000. https://doi.org/10.1590/S0101-32622000000100003

SOUZA, MARIA ANTÔNIA DE. PESQUISA EDUCACIONAL SOBRE MST E EDUCAÇÃO DO CAMPO NO BRASIL. Educ. rev., Belo Horizonte , v. 36, e208881, 2020. Disponível em http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982020000100205&lng=pt&nrm=iso. Acessos em: 10 mar. 2023. Epub 12-Mar-2020. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698208881.

VIEIRA, Emília Peixoto et al. Educação Infantil do/no Campo: da gestão à organização do trabalho pedagógico para as crianças de 0 a 6 anos residentes em áreas rurais. Projeto de Pesquisa. Universidade Estadual de Santa Cruz: Bahia, 2022.

Downloads

Publicado

04-04-2023

Como Citar

LOPES, D. M. de C.; LEAL, F. de L. A.; AMORIM , A. L. N. de . CURRÍCULO E EDUCAÇÃO INFANTIL: concepções, legislação e invisibilidades. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 1–12, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i1.66133. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/66133. Acesso em: 18 jul. 2024.