LITERATURA MARGINAL-PERIFÉRICA E FORMAÇÃO

o entrelaçamento da literatura das ruas com outros espaços de saberes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v16i2.67274

Palavras-chave:

Literatura marginal-periférica, Narrativas, Formação

Resumo

Esta pesquisa tem o objetivo de investigar a potência formativa da produção literária marginal-periférica a partir das narrativas de escritores periféricos. Assumindo que esta pesquisa não poderia estar dissociada da minha trajetória de vida, a narrativa (auto)biográfica perpassa toda a pesquisa como instrumento importante no processo de investigação e (auto)formação (SOUZA, 2007). A partir do entendimento de que a literatura marginal-periférica é sempre singular e local, mas ao mesmo tempo global e social, a abordagem metodológica partirá também da pesquisa narrativa (CLANDININ e CONNELLY, 2011) e da metodologia de conversas (SAMPAIO; RIBEIRO; SOUZA, 2018). Com a produção de Soares (2009) e de Ferréz (2005), das minhas vivências como escritora periférica e das narrativas de outros escritores periféricos, busco compreender como a literatura marginal-periférica se inscreve em diferentes espaços de formação, dentre eles, as ruas e as escolas. Deste modo, a pesquisa visa contribuir para a ampliação das discussões sobre os aspectos formativos da literatura marginal-periférica no campo da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Nayara Matos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Pedagoga pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Mestranda em Educação na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Patricia Raquel Baroni, Universidade do Federal do Rio de Janeiro, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo e professora adjunta na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Gustavo Coelho, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Doutor pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Professor Adjunto da Univesidade Estado do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho: os cotidianos das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa de; ALVES, Nilda (orgs.) Pesquisas dos/dos/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Coleção: Vida Cotidiana e Pesquisa em Educação. Petrópolis, DP et Alii, p. 15-38, 2008.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. artes de fazer. Tradução: Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Editora Vozes, 3ª ed. 1998.

CLANDININ, D. Jean; CONNELLY, F. Michael. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. Tradução: Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores ILEEI/UFU. Uberlândia: EDUFU, 2011

CUTI [Luiz Silva]. Literatura Negro-Brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2010.

EMICIDA. AmarElo. São Paulo: Laboratório Fantasma; Sony Music: 2019

EVARISTO, Conceição. Da grafia-desenho de minha mãe, um dos lugares de nascimento de minha escrita. In: ALEXANDRE, Marcos Antônio. (Org.). Representações performáticas brasileiras: teorias, práticas e suas interfaces. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007. p. 16-21.

EVARISTO, Conceição . Literatura negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. Scripta, v. 13, n. 25, p. 17-31, 17 dez. 2009

EVARISTO, Conceição. Becos da memória. Rio de Janeiro: Pallas, 2017

EVARISTO, Conceição. CONCEIÇÃO EVARISTO – “A escrevivência serve também para as pessoas pensarem”. Itau Social, 2020. Disponível em <https://www.itausocial.org.br/noticias/conceicao-evaristo-a-escrevivencia-serve-tambem-para-as-pessoas-pensarem/> . Acesso em: 19 de outubro de 2021

FERRACO, Carlos Eduardo; SOARES, Maria da Conceição Silva; ALVES, Nilda. Michel de Certeau e as pesquisas nos/dos/com os cotidianos em Educação. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2018.

FERRÉZ (org.). Literatura marginal: talentos da escrita periférica. São Paulo: Agir, 2005.

GOMES, Nilma Lino. O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por 65 emancipação. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2ª ed., 2018

GOMES, Nilma Lino. RAÇA E EDUCAÇÃO INFANTIL: À PROCURA DE JUSTIÇA. e-Curriculum, São Paulo , v. 17, n. 3, p. 1015-1044, jul. 2019 . Disponível em <http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-38762019000301015&lng=es&nrm=iso>. acesso em 22 de maio de 2022. Epub 28-Oct-2019. https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i3p1015-1044.

LEITURAS BRASILEIRAS. CONCEIÇÃO EVARISTO | Escrevivência. YouTube, 6 de fevereiro de 2020. Disponível em < https://www.youtube.com/watch?v=Xn2gj1hGsoo> Acesso em 15 nov 2021

MARQUES, Luciana Pacheco. A conversa como caminho metodológico na pesquisa com os cotidianos. In: RIBEIRO, Thiago; SOUZA, Rafael de; SAMPAIO, Carmen Sanches. Conversa como metodologia de pesquisa: por que não? Rio de Janeiro: Ayvu, 2018

MATOS, Nayara Teixeira de Souza. A potência formativa da literatura marginal-periférica: diálogo da literatura das ruas com outros espaços de saberes. Monografia (Graduação em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.2022.

NASCIMENTO, Luciene. Tudo nela é de se amar: A pele que habito e outros poemas sobre a jornada da mulher negra. Rio de Janeiro: Estação Brasil,2021.

NEVES, Gabriela Silva; HECKERT, Ana Lucia Coelho. Escrevivência: uma ferramenta metodológica de análise. Mnemosine Vol.17, nº1, p. 139-162, 2021.

RIBEIRO, Thiago; SOUZA, Rafael de; SAMPAIO, Carmen Sanches. Conversa como metodologia de pesquisa: por que não?.Rio de Janeiro: Ayvu, 2018.

RODA VIVA. Conceição Evaristo explica o conceito de “escrevivência” e relação com mitos afrobrasileiros. YouTube, 6 de setembro de 2021. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=J-wfZGMV79A > Acesso em 15 nov 2021

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (Org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS. Boaventura de Sousa. Fim do Império Cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul. 1 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editoria, 2019.

SOARES, Mei Hua. A literatura marginal-periférica na escola. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. doi:10.11606/D.48.2009.tde-30042009-143257. Acesso em: 2021-01-21.

SOUZA, Elizeu Clementino de. (Auto)biografia, histórias de vida e práticas de formação. In: NASCIMENTO, A. D.; HETKOWSKI, T. M. (Org.). Memória e formação de professores. (online). Salvador: EDUFBA, 2007. 310p. ISBN 978-85-232-0484-6. Disponível em: <http://books.scielo.org>. Acesso em: 23 out. 2021

VAZ, Sérgio. O que é literatura periférica?. 30 de julho de 2018. Facebook: Sérgio Vaz . Disponível em: <https://www.facebook.com/354571867955570/posts/pfbid0a4cDjDiY29T8M54ha6JZjh5Px4Vr4vqN3ERK8AZxKtP5Z9NQA5TFVAeq3UYAuuhml/?d=n >. Acesso em em 4 de janeiro de 2022

VAZ, Sérgio. Literatura, pão e poesia. 2.ed. São Paulo: Global Editora, 2020

VAZ, Sérgio. Sérgio Vaz: "Poesia para mim é quando ela desce do pedestal e beija os pés da comunidade”. Brasil de Fato. 2021. Disponível em < https://www.brasildefato.com.br/2021/11/10/sergio-vaz-poesia-para-mim-e-quando-ela-desce-do-pedestal-e-beija-os-pes-da-comunidade> Acesso em 3 de fevereiro de 2022

VAZ, Sérgio. Sérgio Vaz: 'não sou de esquerda, sou do porão'. OperaMundi. 2022. Disponível em

<https://operamundi.uol.com.br/20-minutos/74934/sergio-vaz-nao-sou-de-esquerda-sou-do-pora> Acesso em 10 de junho de 2022

Downloads

Publicado

31-08-2023

Como Citar

MATOS, N.; BARONI, P. R.; COELHO, G. . LITERATURA MARGINAL-PERIFÉRICA E FORMAÇÃO: o entrelaçamento da literatura das ruas com outros espaços de saberes. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 1–20, 2023. DOI: 10.15687/rec.v16i2.67274. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/67274. Acesso em: 19 maio. 2024.