O PROBLEMA DA AUSÊNCIA DA BIOÉTICA NO CURRÍCULO DOS CURSOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NO BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2018v3n11.41869

Palavras-chave:

Ética Animal, Ética Ambiental, Ciências Biológicas, Currículo, Ensino Superior

Resumo

O biólogo se depara com conflitos éticos desde seu ingresso na graduação. Nesse contexto, a adequada formação crítica para uma atuação plena desse profissional é necessária. Para suprir essa formação, a Bioética é preconizada como disciplina obrigatória no curso de Ciências Biológicas por contemplar o estudo das dimensões morais e condutas relacionadas às ciências da vida, ao “outro” e ao ambiente. Uma temática que discuta as relações éticas interespecíficas é imprescindível ao biólogo, isto é, a abordagem que ocorre no âmbito da bioética, ou mais especificamente, da ética animal e da ética ambiental.  Com isso, esta pesquisa teve o objetivo de analisar os projetos pedagógicos dos cursos de graduação em Ciências Biológicas das universidades públicas brasileiras visando a detectar a presença das disciplinas de Bioética, Ética Animal ou Ética Ambiental em sua matriz curricular. Destacou-se a verificação de presença da Ética Animal nas ementas das disciplinas de Bioética existentes, considerando a emergência e relevância do tema que aborda as interações humano-animal. Os resultados revelam que a maioria dos cursos não possui a disciplina de Bioética na matriz curricular, não há disciplinas específicas de ética animal e ética ambiental e quanto à análise das ementas das disciplinas de Bioética existentes, a maioria não contempla a Ética Animal. Deste modo, verifica-se a importância da revisão dos currículos, a inclusão da disciplina de Bioética e da temática ética animal, bem como de pesquisas que apontem o conteúdo da Bioética necessário para uma formação menos especista, propiciando debates mais qualificados sobre questões ambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gabriela Bertti da Rocha Pinto, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil.

Doutoranda em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, PPGBios/UFRJ e Professora no Núcleo de Bioética e Ética Aplicada, NUBEA/CCS/UFRJ.

Rita Leal Paixão, Universidade Federal Fluminense, Brasil.

Doutora em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz e Professora Titular do Instituto Biomédico da Universidade Federal Fluminense.

Referências

BRASIL. Diretrizes Curriculares para os cursos de Ciências Biológicas. CNE. Parecer CNE/CES 1.301/2001, Diário Oficial da União de 7 dez. 2001, Seção 1, p. 25, 2001.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação de temas transversais. Brasília, 1998. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ttransversais.pdf>. Acesso em: 11 mar 2016.

BRASIL. Resolução nº2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Diário Oficial da União. Brasília: DOU, 2012.

CFBio. Portaria Nº 177/2015. Estabelece o Regulamento para a concessão do Selo CFBio de Qualidade de Cursos de Ciências Biológicas. Brasília, 2015.

CFBio. Parecer Nº 01/2010. GT REVISÃO DAS ÁREAS DE ATUAÇÃO – Proposta de requisitos mínimos para o biólogo atuar em pesquisa, projetos, análises, perócias, fiscalização, emissão de laudos, pareceres e outros serviços nas áreas de meio ambiente, saúde e biotecnologia. Brasília, 2010.

CZELUSNIAK, Adriana. MEC quer aumentar o número de licenciados no Brasil. A gazeta do povo, 02 out 2011. Disponível em: < http://www.gazetadopovo.com.br/educacao/vida-na-universidade/carreira/mec-quer-aumentar-o-numero-de-licenciados-no-brasil-91nyh1sfsy12psp5eb5xgugjy> Acesso em: 29 mai 2016.

DINIZ, Débora. GUILHEM, Dirce. O que é bioética. São Paulo: Brasiliense, 2002. 69p. (Coleção Primeira Passos).

DÓRIA, Thaís Andrade Ferreira Dória. MOREIRA, Lílian Maria de Azevedo Moreira. A bioética na formação do biólogo: um desafio contemporâneo. Revista FACED, Salvador, n. 20, p. 99-122, jul./dez. 2011, p. 17-36.

FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque. A universidade no Brasil: das origens à Reforma Universitária de 1968. Educ. rev., Curitiba, n.28, p.17-36, Dez. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602006000200003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 30 mar. 2016.

FLORIOS, Daia. Os 10 alimentos que mais consomem água para serem produzidos. Green me, 22 jul 2014. Disponível em: <https://www.greenme.com.br/consumir/eco-shopping/552-os-10-alimentos-que-mais-consomem-agua> Acesso em: 25 mai 2016.

FRAGA DA SILVA, Paulo; KRASILCHIK, Myriam. BIOÉTICA E ENSINO DE CIÊNCIAS: O TRATAMENTO DE TEMAS CONTROVERSOS – DIFICULDADES APRESENTADAS POR FUTUROS PROFESSORES DE CIÊNCIAS E DE BIOLOGIA. Ciência & Educação. Bauru, Universidade Estadual Paulista, vol. 19, núm. 2, 2013, p. 379-392.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 36. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2009. 148p.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Abate de animais no país é recorde. Agência Brasil, 12 nov 2013. Disponível em: <http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2013-12-11/abate-de-animais-no-pais-e-recorde>. Acesso em 25 mai 2016.

LENOIR, Noelle. Promover o ensino de bioética no mundo. Rev Bioética, Brasília, DF, v.4 n. 1, 1996, p. 65-70.

MAAS, Peter. Globally Extinct Birds. 2017. In: TSEW, The Sixth Extinction. Disponível em: <http://www.petermaas.nl/extinct>. Acesso em: 02 set 2018.

MASETTO, Marcos Tarciso. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003. 194p.

PAIXÃO, Rita Leal. Bioética e Animais: considerações acerca do sencientismo. In: SGANZERLA, A. (Org.). Fundamentos da Bioética. Curitiba - PR: Editora CRV, 1ª edição, v. 3, 2016. p. 255-270

PINTO, Gabriela Bertti da Rocha. A ausência da ética animal nas disciplinas de bioética nos currículos do curso de ciências biológicas no Brasil. 2016. 94 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Saúde Coletiva, Faculdade de Medicina, Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, 2016.

POPIM, Regina Célia et al . Câncer de pele: uso de medidas preventivas e perfil demográfico de um grupo de risco na cidade de Botucatu. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.13, n. 4, p. 1331-1336, ago. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232008000400030&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 02 set. 2018.

POTTER, Van Rensselaer. Bioética: ponte para o futuro. São Paulo: Edições Loyola, 1ª edição, 2016. 280 p.

RIVERO, Sérgio et al. Pecuária e desmatamento: uma análise das principais causas diretas do desmatamento na Amazônia. Nova econ., Belo Horizonte, v.19, n.1, p. 41-66, Abr. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-63512009000100003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 02 set. 2018.

SCHARAMM, Fermin Roland. Bioética para quê? Revista Camiliana da Saúde, ano 1, vol. 1, n. 2 –jul/dez de 2002, p. 14-21.

SILVA, Paulo Fraga da. Bioética e valores: um estudo sobre a formação de professores de ciências e biologia. 2008. 188 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

_________. Percepções dos alunos de ensino médio sobre questões bioéticas. 2002. 131 f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

SILVA, Tomas Tadeu da. Currículo, conhecimento e democracia: as lições e as dúvidas de duas décadas. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 73, mai 1990, p. 59-66.

SIMPSON, Ian. Gorila é morto após menino cair em área isolada de zoológico nos EUA. Agência Reuters, 29 mai 2016. Disponível em: <http://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKCN0YK0MA>. Acesso em: 20 jun 2016.

SINGER, Peter. Ética Prática. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2002. 402p.

TRÉZ, Thales A.; LOPES NAKADA, Juliana Isabel. Percepções acerca da experimentação animal como um indicador do paradigma antropocêntrico-especista entre professores e estudantes de Ciências Biológicas da UNIFAL-MG. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 1, n. 3, p. 3-28, nov. 2008. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37824>. Acesso em: 22 mar. 2016.

TYLER, Ralph. W. Princípios Básicos de Currículo e Ensino. Porto Alegre: Ed. Globo, 5ª edição, 1978. 119p.

Downloads

Publicado

31-12-2018

Como Citar

PINTO, G. B. da R.; PAIXÃO, R. L. O PROBLEMA DA AUSÊNCIA DA BIOÉTICA NO CURRÍCULO DOS CURSOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NO BRASIL. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 3, n. 11, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2018v3n11.41869. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/ufpb.1983-1579.2018v3n11.41869. Acesso em: 18 jul. 2024.