AS CONVERSAS NAS PRODUÇÕES DE POLITICAS CURRICULARES COTIDIANAS

Allan Rodrigues, Alexandra Garcia

Resumo


O texto parte de pesquisa que entende a produção cotidiana dos currículos e práticas docentes como centrais para o estudo dos processos e contextos da formação de professores e para o debate sobre a produção de políticas curriculares a partir das professoras da rede municipal de São Gonçalo/RJ. Discute as produções dos currículos buscando compreendê-las no contexto do cotidiano da politica curricular expressa por narrativas de professores do mesmo município. Ao estudar tais produções, reflete sobre os aspectos metodológicos para a pesquisa e as ações com a formação docente e com as políticas cotidianas de produção dos currículos comprometidas com a justiça social. Compreende as práticas docentes que produzem os currículos no cotidiano, bem como as narrativas como produções potenciais para reabilitar os sentimentos e as paixões enquanto forças mobilizadoras da transformação social (SANTOS, 1995). Corrobora a compreensão sobre os diálogos entre os professores e entre as escolas e universidades como ferramenta que potencializa deslocamentos e produções de outros-novos saberes nas negociações de sentidos com os currículos e na tessitura das redes de fazeressaberes docentes. As narrativas de professoras formam o corpus da pesquisa foram registradas em vídeo e estudadas, evidenciando: processos de interlocução e produção de saberes docentes; práticas mais coletivas e solidárias na produção dos conhecimentos nos currículos e importantes questionamentos quanto à justiça social e cognitiva.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, N . Sobre os movimentos das pesquisas nos/dos/com os cotidianos. In: ALVES, N; OLIVEIRA, I. Pesquisas nos/dos/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Petrópolis: Depetrus editora, 2008.

ALVES, Nilda. Cultura e cotidiano escolar. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 23, p. 62-74, mai./ago. 2003.

ALVES, N. Imagens das escolas: sobre redes de conhecimentos e currículos escolares. Educar, Curitiba, n. 17, p. 53-62. 2001. Editora da UFPR.

CARVALHO, J. M. Potência das redes de conversações na formação continuada com os professores. In: SUSSEKIND, M. L e GARCIA, A. Universidade-Escola: diálogos e formação de professores. Petrópolis: DPetrus et Alli, 2011.

CERTEAU, M. A invenção do Cotidiano: Artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

COUTINHO, E. O olhar no documentário - Carta depoimento para Paulo Paranaguá. In: BRAGANÇA, F. Encontros: Eduardo Coutinho. Rio de Janeiro: Azogue ed., 2008.

FERRAÇO, Carlos Eduardo; CARVALHO, Janete Magalhães. Rumo a ilhas desconhecidas: a potência política da constituição do comum pelas conversações e narratividades. In: XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino. Campinas. ENDIPE/2012 V.1

GARCIA, A. O encontro nos processos formativos: questões para pensar a pesquisa e a formação docente com as escolas. In: 37ª Reunião Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 2015, Florianópolis. Anais da 37a Reunião Científica da ANPEd.. Florianópolis: ANPEd/UFSC, 2015. v. 1.

NEGRI, A. Cinco lições sobre Império. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

HARDT, M; NEGRI, A. Multidão. Rio de Janeiro, Record, 2005.

LARROSA, Jorge. A arte da conversa. In: SKLIAR, Carlos. Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Trad. de Giane Lessa. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p.211-216.

LEAL, Bernadinha Maria de Sousa. Chegar à infância. Niterói: EdUFF, 2011.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice: o social e o político na transição pós-moderna. São Paulo: Cortez, 1995.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A critica da Razão indolente: contra o desperdício da experiência. Cortez, 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: ______; MENESES, Maria Paula. (Org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 31-83.

SUÁREZ, D. Políticas públicas e reforma educacional: a reestruturação curricular na Argentina. In: SILVA, L. H., AZEVEDO, J. C. (orgs). Reestruturação curricular: teoria e prática no cotidiano da escola. Petrópolis:Vozes, 1995.

SPINOZA, B. Ética. Trad. de Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

WILLIAMS, R. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.




DOI: https://doi.org/10.15687/rec.v9i2.30179

Incluir comentário

Direitos autorais 2016 Revista Espaço do Currículo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.







Este periódico está indexado nas bases: