ENCONTROS COM PROFESSORAS (ES): ENSINO DA ARTE PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n1.54031

Palavras-chave:

ERER, Formação de Professores, Arte/educação, Infância, Educação Infantil

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir a formação de professoras(es) que trabalham com a Educação Infantil, a partir da articulação entre o ensino da Arte e a Educação para as Relações Étnico-Raciais, como estratégia de apresentação de subsídios para uma prática de ensino da arte para as relações étnico-raciais e promoção de conteúdos da afirmação e da representatividade das identidades negras. Dialoga com autores como Munanga (2012), Cavalleiro (2003), Gonçalves e Silva (2000), Freire (2017), hooks (2013), Bazílio e Kramer (2011) ao refletir sobre a história e a atualidade das crianças negras. Finaliza propugnando que essas articulações são fundamentais na formação de professores que trabalham com/na Educação Infantil, pois a escola deve ser lócus de reflexão para a promoção de ações pedagógicas que possibilitem (re)pensar os caminhos para a equidade.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Margarete Sacht Góes, Universidade Federal do Espírito Santo, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo e Professora de Magistério Superior da Universidade Federal do Espírito Santo.

Referências

ALMEIDA, G. Bruna e a Galinha D’Angola. XXX: Ed. Pallas, 2016.
ANDRADE, I. P. Construindo a autoestima da criança negra. In: MUNANGA, K. (Org.). Superando o racismo na escola. Brasília: MEC, 2005. Disponível em: <portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/racismo_escola.pdf>. Acesso em: junho de 2020.
BAZÍLIO, L. C.; KRAMER, S. Infância, Educação e Direitos Humanos. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2011.
BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 23 mar. 2017.
BRASIL. História e cultura africana e afro-brasileira na educação infantil. Brasília: MEC/SECADI, UFSCar, 2014.
BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI, 2009). Disponível em: <http://ndi.ufsc.br/files/2012/02/Diretrizes-Curriculares-para-a-E-I.pdf> Acesso em: 25 jun. 2020, às 9h.
BRASIL. Lei 10.639/2003, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9. 394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília.
BRASIL. Lei 11.645/08 de 10 de março de 2008. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília.
BORBA, C. ROSA, T. Projeto MaReS: Movimentos da Arte e da Educação Manguinhos – ES. Vitória: Editora PROEX – UFES, 2016.
CASTRO, Y. P. Falares Africanos na Bahia: Um vocabulário afro-brasileiro. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2001.
CAVALLEIRO, E. S. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2003.
FERREIRA, A. & BITTAR, M. Educação jesuítica e crianças negras no Brasil colonial. São Carlos, 2000. In: GONÇALVES, L. A.; SILVA, P. B. G. Movimento negro e educação. Revista Brasileira de Educação. São Paulo: Autores Associados, ANPED, 2000. n. 15, p. 134-158.
FONSECA, M. V. Concepções e práticas em relação à educação dos negros no processo de abolição do trabalho escravo no Brasil (1867-1889). Dissertação de Mestrado. Belo Horizonte: UFMG, 2000.
FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2017.
GONÇALVES, L. A.; SILVA, P. B. G. Movimento negro e educação. Revista Brasileira de Educação. São Paulo: Autores Associados, ANPED, 2000. n. 15, p. 134-158.
HOOKS, b. Ensinando a transgredir: A educação como prática de liberdade. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.
LIMA, H. P. Personagens negros: Um breve perfil na literatura infanto-juvenil. In: MUNANGA, K. (Org.). Superando o racismo na escola. Brasília: MEC, 2005, p.97-119. Brasília: Ministério da Educação (SECADI), 2008.
MUNANGA, K. Negritude: Usos e sentidos. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.
OLIVEIRA, K. Omó-Obá: Histórias de princesas. Belo Horizonte: Mazza, 2009.
PREVOT, F. Wangari Maathai: a mulher que plantou milhões de árvores. XXX. Ed. Galerinha Record (2014).
ROSA, T. G. Ku sanga de contas contadas: Práticas de ensino da Arte para as Relações Étnico-Raciais. Dissertação (Dissertação em Relações Étnico-Raciais) - CEFET-RJ. Rio de Janeiro, 2017.
TRINDADE, A. L. Em busca da cidadania plena. In: BRANDÃO, A. P. (Coord.). Saberes e fazeres: modos de ver. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006. Disponível em: http://www.acordacultura.org.br/sites/default/files/kit/Caderno1_ModosDeVer.pdf. Acesso em: 06 de julho de 2020.
VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. 11 ed. São Paulo: Ícone, 2010.

Publicado

2021-03-24

Como Citar

GÓES, M. S. ENCONTROS COM PROFESSORAS (ES): ENSINO DA ARTE PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. 1, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n1.54031. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/54031. Acesso em: 13 maio. 2021.