A JUSTIÇA CURRICULAR NO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (2014-2024)

algumas aproximações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n2.57628

Palavras-chave:

Justiça Curricular, Currículo, Plano Nacional de Educação, Direito à Educação

Resumo

Este artigo busca estabelecer um diálogo entre o conceito de justiça curricular (JC), (TORRES SANTOMÉ, 2013; PONCE, 2018) e as estratégias previstas para a Educação Básica no Plano Nacional de Educação – (PNE) (2014-2024). A justiça curricular, um conceito e uma prática em construção, tem como fim lançar mão do currículo escolar como um meio para superação das desigualdades.  O texto defende o PNE (2014-2024) como o resultado da luta de educadoras e de educadores organizadas/os no campo progressista. O Plano estabelece, por meio de metas e de estratégias, um modelo de ação para o Estado brasileiro no cumprimento do direito à educação. Ao estabelecer os preceitos legais para uma educação de qualidade de referência social, o PNE fortalece os elementos que compõem um currículo escolar comprometido com a busca da justiça social aproximando-o do conhecimento, do cuidado e da convivência democrática, estabelecidas por Ponce (2018) como as dimensões da justiça curricular. Finda-se afirmando que as possibilidades convergentes estabelecidas entre as estratégias do PNE e as dimensões da JC apontam sinais contra-hegemônicos na proposição de políticas educacionais e currículos escolares.  

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Michele Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil.

Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, doutoranda em educação pela Universidade Federal de São Paulo e professora da Educação Básica.

Wesley Batista Araújo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil.

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Professor da Prefeitura municipal de Varzea Paulista.

Referências

APPLE, Michael W. Repensando Ideologia e Currículo. In: MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu da. (Org.). Currículo, cultura e sociedade. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 49-69.

APPLE, Michael W.; BEANE, James. O argumento por escolas democráticas. In: APPLE, Michael W.; BEANE, James. (Org.). Escolas Democráticas. São Paulo: Cortez, 1997, p. 9-43.

ARAÚJO, Wesley Batista. Possibilidades democráticas em educação: a experiência de gestão educacional em Várzea Paulista - SP (2005-2012). 2020. 313 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2020.

ARROYO, Miguel González. Currículo, territórios em disputa. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

ARROYO, Miguel González. Os Movimentos Sociais e a construção de outros currículos. Educar em Revista, Curitiba, n. 55, jan./mar. 2015, p. 47-68.

AZEVEDO, Fernando de et al. Manifesto dos Educadores: mais uma vez convocados (1959). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. especial, ago. 2006b. p.205-220. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/22e/doc2_22e.pdf. Acesso em: 15 mar. 2020.

AZEVEDO, Fernando de et al. O Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (1932). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. especial, ago. 2006a. p. 188-204. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/22e/doc1_22e.pdf. Acesso em: 15 jul. 2020.

BARZOTTO, Luis Fernando. Justiça Social - Gênese, estrutura e aplicação de um conceito. Revista Jurídica da Presidência, Brasília, v. 5, n. 48, 2003.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 120-A, edição extra, p. 1-7, 26 jun. 2014.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 11.429, 27 dez. 1961.

BRASIL. Lei Nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 135, p. 13563, 16 jul. 1990.

BRASIL. Portaria Nº 1.410 de 3 dezembro de 2012. Dispõe sobre a II Conferência Nacional de Educação - CONAE 2014. Brasília: Ministério da Educação, Gabinete do Ministro, 2012. Disponível em: http://www.lex.com.br/legis_24023723_PORTARIA_N_1410_DE_3_DE_DEZEMBRO_DE_2012.aspx. Acesso em: 24 ago. 2020.

CASALI, Alípio. Direitos humanos e diversidade cultural: implicações curriculares. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 27, n. 65, maio/ago. 2018, p. 549-572. DOI: https://doi.org/10.29286/rep.v27i65/2.6883. Acesso em: 18 jan. 2021.

CONAE. Conferência Nacional de Educação. Documento final. 2014. Disponível em: https://www.deolhonosplanos.org.br/wp-content/uploads/2015/01/Conae-2014-documento-final.pdf. Acesso em: 18 jan. 21.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Direito à educação: direito à igualdade, direito à diferença. Cadernos de Pesquisa, n.º 116, jul./2002, p. 245-262. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010015742002000200010. Acesso em: 18 jan. 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 47. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREITAS, Luiz Carlos. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 33, n. 119, abr./jun. 2012, p. 379-404. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302012000200004. Acesso em: 18 jan. 2021.

FREITAS, Luiz Carlos de. Escolas aprisionadas em uma democracia aprisionada: anotações para uma resistência propositiva. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, v.18, n.4 [78], out./dez. 2018, p.906-926. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8654333. Acesso em: 5 fev. 2021.

GIROUX, Henry; SIMON, Roger. Cultura popular e pedagogia crítica: a vida cotidiana como base para o conhecimento curricular. In: MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu da. (org.). Currículo, cultura e sociedade. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 107-140.

OLIVEIRA, Michele Rodrigues de. A defesa do direito à educação e o currículo: quando seus caminhos se cruzam. 2019. 126p. Dissertação (mestrado em Educação: Currículo) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2019.

PAIXÃO, Mayara. A cada dia, mais de 100 professores são afastados por transtornos mentais em SP. Brasil de fato, São Paulo, 15 out. 2019. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/especiais/a-cada-dia-mais-de-100-professores-sao-afastados-por-transtornos-mentais-em-sp. Acesso em: 18 jan. 21.

PONCE, Branca Jurema. A justiça curricular no século XXI, as políticas e os sujeitos do currículo. Projeto de Bolsa Produtividade em Pesquisa Aprovado na Chamada CNPq n. 12/2016.

PONCE, Branca Jurema. O Currículo e seus desafios na escola pública brasileira: em busca da justiça curricular. Currículo sem Fronteiras, v. 18, n. 3, set./dez. 2018, p. 785-800. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol18iss3articles/ponce.html. Acesso em: 18 jan. 21.

PONCE, Branca Jurema; ARAÚJO, Wesley. A Justiça Curricular em tempos de implementação da BNCC e de desprezo pelo PNE (2014-2024). Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 17, n. 3, jul./set. 2019, p. 1045-1074. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/curriculum/article/view/44998. Acesso em: 18 jan. 21.

RAVITCH, Diane. Vida e morte do grande sistema escolar americano: como os testes padronizados e modelo de mercado ameaçam a educação. Tradução Marcelo Duarte. Porto Alegre: Sulina, 2011.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-crítica. 8. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

SAVIANI, Dermerval. Da Nova LDB ao Novo Plano Nacional de Educação: por outra política educacional. Campinas: Autores Associados, 1998.

TODOROV, Tzvetan. A vida em comum: ensaio de antropologia geral. Campinas: Papirus, 1996.

TORRES SANTOMÉ, Jurjo. Currículo escolar e justiça social: o cavalo de Troia da educação. Porto Alegre: Penso, 2013.

Downloads

Publicado

2021-06-19

Como Citar

RODRIGUES, M.; ARAÚJO, W. B. . A JUSTIÇA CURRICULAR NO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (2014-2024): algumas aproximações. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 1–14, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n2.57628. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/57628. Acesso em: 18 set. 2021.