A Reforma do Ensino Médio e suas Consequências: O que pensam os professores de sociologia?

  • Amurabi Oliveira Universidade Federal de Santa Catarina
  • Willian Binsfeld Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Tayná Trindade Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

A “Reforma do Ensino Médio” tem produzido um debate controverso junto a diversos setores da sociedade, ainda que sua implementação não tenha se efetivado plenamente. No que concerne à Sociologia, a perda de sua obrigatoriedade tem sido discutida em diversos fóruns e eventos científicos, ainda que as análises ainda sejam muito incipientes neste momento. Neste trabalho nós almejamos analisar como os professores de Sociologia avaliam a Reforma do Ensino Médio, o que foi realizado a partir de entrevistas semiestruturadas e interpretado a partir das teorias disposicionalistas. Observa-se a existência de uma ampla crítica à Reforma, e de uma preocupação mais ampla acerca da formação dos jovens no Ensino Médio, na qual o ensino de Sociologia seria um elemento fundamental para a garantia de uma formação crítica, de tal modo que a perda da obrigatoriedade desta disciplina é avaliada como um retrocesso por parte destes docentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amurabi Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina
Licenciado e Mestre em Ciências Sociais (UFCG), Doutor em Sociologia (UFPE), Professor da Universidade Federal de Ssanta Catarina (UFSC). Pesquisador do CNPq.
Willian Binsfeld, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Graduando em Ciências pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Bolsista de Iniciação Científica.
Tayná Trindade, Universidade Federal de Santa Catarina
Graduanda em Ciências pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Bolsista de Iniciação Científica.

Referências

APPLE, Michael. Ideologia e Currículo. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. São. Paulo: Edusp; Porto Alegre, RS: Zouk, 2007.

______. Compreender. In: ______ (Org.). A Miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 2001, p. 693-732.

______. O senso prático. Petrópolis: Vozes, 2009.

______. Questões de Sociologia. Lisboa: Margens 47, 2003.

______. Razões práticas. Campinas: Papirus, 1996.

______; CHAMBOREDON, Jean-Claude; PASSERON, Jean-Claude. O Ofício de sociólogo: metodologia da pesquisa na sociologia. Petrópolis: Vozes, 1999.

______; PASSERON, Jean-Claude. A Reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Petrópolis: Vozes, 2008.

CUNHA, Luiz Antônio. Ensino médio: atalho para o passado. Educ. Soc., v. 38, nº. 139, p.373-384, abr.-jun., 2017

FERREIRA, Eliza Bartolozzi; SILVA, Monica Ribeiro. Centralidade do ensino médio no contexto da nova “ordem e progresso”. Educ. Soc., v. 38, nº. 139, p.287-292, abr.-jun., 2017

KRAWCZYK, Nora. O ensino médio no Brasil. São Paulo: Ação Educativa, 2009.

LAHIRE, Bernard. A fabricação social dos indivíduos: quadros, modalidades, tempos e efeitos de socialização. Educ. Pesqui, vol.41, n. spe, p.1393-1404, 2015.

______. Homem plural: os determinantes da ação. Petrópolis: Vozes, 2002.

LIEDKE FILHO, Enno, A sociologia no Brasil: história, teorias e desafios. Sociologias, v. 7, n. 14, p. 376-436, 2005.

LIMA, Jacob Carlos; CORTES, Soraya Maria Vargas. A sociologia no Brasil e a interdisciplinaridade nas ciências sociais. Civitas, v. 13, n. 3, p. 416-435, 2013.

MEUCCI, Simone. Institucionalização da sociologia no Brasil: primeiros manuais e cursos. São Paulo: Hucietec: Fapesc, 2011.

______. Sociologia na Educação Básica no Brasil: um balanço da experiência remota e recente. Revista Ciências Sociais Unisinos, v. 51, p. 251-260, 2015.

MICELI, Sergio. Condicionantes do desenvolvimento das Ciências Sociais. In: MICELI, Sergio (org.). História das Ciências Sociais no Brasil. Vol. 1. São Paulo: Editora Vértice/Idesp/Finep, 1989. p. 72-110.

MORAES, Amaury Cesar. Ensino de Sociologia: periodização e campanha pela obrigatoriedade. Cadernos CEDES, v. 31, nº 85, 2011, p. 359-382.

OLIVEIRA, Amurabi. Cenários, tendências e desafios na formação de professores de Ciências Sociais no Brasil. Política & Sociedade, v. 14, n. 31, 2015.

______. Revisitando a história do ensino de Sociologia na Educação Básica. Acta Scientiarum. Education, v. 35, n. 2, 2013, p. 179-189.

______; OLIVEIRA, Evelina Antunes F.. Os processos de institucionalização da sociologia na Escola secundária (1890-1971). In: SILVA, Ileizi Fiorelli; GONÇALVES, Danyelle Nilin. (Org.). A Sociologia na Educação Básica. São Paulo: Annablume, 2017, p. 17-34.

OLIVEIRA, Dalila. As políticas para o ensino médio na realidade brasileira: uma agenda em disputa. Poiésis, v. 10, n.17, p.187 -198, Jan/Jun 2016.

SILVA, Ileizi L. F. O Ensino das Ciências Sociais/Sociologia no Brasil: histórico e perspectivas. In: MORAES, Amaury Cesar de (Org.). Coleção Explorando o Ensino de Sociologia. Brasilia: MEC, 2010, p. 23-31.

SPOSITO, Marília Pontes; SOUZA, Raquel. Desafios da reflexão sociológica para a análise do ensino médio no Brasil. In: KRAWCZYK, Nora (Org.). Sociologia do ensino médio: crítica ao economicismo na política educacional. São Paulo: Cortez, 2014. p. 33-62

YOUNG, Michael. Para que servem as escolas?. Educ. Soc., vol.28, no.101, p.1287-1302, 2007.

WEBER, Silke. O professorado e o papel da educação na sociedade. Campinas: Papirus, 1996.

Publicado
2018-08-31
Como Citar
OLIVEIRA, A.; BINSFELD, W.; TRINDADE, T. A Reforma do Ensino Médio e suas Consequências: O que pensam os professores de sociologia?. Revista Espaço do Currículo, v. 2, n. 11, 31 ago. 2018.