O PROGRAMA INTERNACIONAL DE AVALIAÇÃO DE ESTUDANTES (PISA)

contexto de influência nas políticas globais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v17i1.69603

Palavras-chave:

Avaliações externas, PISA, Contexto de influência

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir o modo como o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA) se insere em um contexto de influência (Ball, 2011) que pretende produzir políticas educacionais e curriculares unificadas para diferentes países do mundo, particularmente para o Brasil. Com base na discussão teórica desenvolvida por Stephen Ball e na análise de documentos curriculares, como a base Nacional Comum Curricular e o Common Core, o texto discute como diferentes elementos se articulam para produzir uma ideia de qualidade de educação articulada a ranqueamentos e performances. Nesse processo, essas políticas inserem-se em uma lógica neoliberal que pretende produzir subjetividades capazes de se autogovernar para atender às demandas de mercado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Luiza Dique de Souza , Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Graduanda em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Luane Coutinho de Freitas , Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Graduanda em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Maria Carolina Caldeira, Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais e Professora pela mesma instituição

Referências

BALL, Stephen J. Educação Global S. A.: novas redes de políticas e o imaginário neoliberal. Tradução de Janete Bridon. Ponta Grossa, Brasil: UEPG, 2014. 270 p.

BALL, Stephen. J; MAINARDES, Jefferson. (Orgs.). Políticas Educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez Editora, 2011. 288 p.

BALL, Stephen. J. Fabricações na economia educacional: rumo a uma sociedade performativa. Educação & Realidade, n.35, v. 2, mai./ago. 2010.

BALL, Stephen. J. Profissionalismo, gerencialismo e performatividade. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 126, set./dez. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742005000300002

BOWE, Richard; BALL, Stephen J.; GOLD, Anne. Reforming Education and Changing Schools: Case Studies in Policy Sociology. London: Routledge, 1992.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC. 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=79601-anexo-texto-bncc-reexportado-pdf-2&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 28 abr. 2023.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Plano Nacional de Educação (PNE). Disponível em: https://pne.mec.gov.br. Acesso em: 10 jul. 2023.

CANGIANO, Antônio Sérgio Borba. A construção da subjetividade no neoliberalismo: Deleuze e Guattari. 2022. 143 f. Dissertação (Mestrado em Metafísica) ‒ Universidade de Brasília, Brasília, 2022. DOI: https://doi.org/10.46550/978-65-5397-053-3

DÍAZ BARRIGA, Ángel. A prova PISA: idealização, cidadania global, imposição cultural e ausência de impacto pedagógico didático. In: ORTIGÃO, Maria Isabel Ramalho (org.). Políticas de avaliação, currículo e qualidade: diálogos sobre o PISA. Rio de Janeiro: Editora CRV, 2018. v. 3.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

FLOREZ, Phelipe Rodrigues. Ep. 05 - O currículo nacional dos Estados Unidos. Educação Global Podcast, set. 2021. Podcast. Disponível em: https://open.spotify.com/episode/3R6lt7EMoQHaXfVKiw7yY0?si=FwpygbAgRX6jp50LG1pMwg. Acesso em: 13 maio 2022.

IDEB ‒ Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. 2007. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/pesquisas-estatisticas-e-indicadores/ideb. Acesso em: 30 maio 2023.

INEP. Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB). 1991. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/avaliacao-e-exames-educacionais/saeb. Acesso em: 30 maio 2023.

LEMOS, Valter Victorino. A influência da OCDE nas políticas públicas de educação em Portugal. 2014. 143 f. Tese (Doutorado em Políticas Públicas) ‒ Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa, 2014.

MAINARDES, Jefferson. Abordagem do Ciclo de Políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302006000100003

MAÚES, Olgaíses Cabral. A política da OCDE para a educação e a formação docente. A nova regulação? Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 1, p. 75-85, jan./abr. 2011.

OCDE. Improving schools in Sweden: an OECD perspective. Paris: OECD, 2015. Disponível OCDE. Improving schools in Sweden: an OECD perspective. Paris: OECD, 2015. Disponível em: https://www.oecd.org/education/school/Improving-Schools-in-Sweden.pdf. Acesso em: 15 abr. 2024.

OCDE. O que é, estrutura organizacional, objetivo e membros. FIA Business School, 2021. Disponível em: https://fia.com.br/blog/ocde-o-que-e-estrutura-organizacional-objetivo-e-membros/amp/. Acesso em: 2 jul. 2023.

OCDE. PISA 2012 Results: excellence through equity – giving every student the change to succeed. Paris: OECD Publishing, 2013. v. 2. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1787/9789264201132-en. Acesso em: 15 abr. 2024. DOI: https://doi.org/10.1787/9789264201132-en

OCDE. Trabalhando com o Brasil. Paris: Secretaria de Relações Globais OCDE, 2018. Disponível em: https://www.oecd.org/latin-america/Active-with-Brazil-Port.pdf. Acesso em: 15 abr. 2024.

ORTIGÃO, Maria Isabel; SILVA, Antonia. O PISA como estratégia política neoliberal produtora de performatividade na educação. Revista Lusófona de Educação, n. 58, p. 105-118, 2022.

PISA: como o desempenho do Brasil no exame se compara ao de outros países da América Latina. BBC News Brasil. 3. dez. 2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-50646695 Acesso em: 15. abril. 2024.

POPKEWITZ, Thomas; LINDBLAD, Sverker. A fundamentação estatística, o governo da educação e a inclusão e exclusão sociais. Educação e Sociedade, Campinas, v. 37, n. 136, p. 727-754, jul./set. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/es0101-73302016165508

VEIGA-NETO, Alfredo. Governamentalidade e educação. Revista Colombiana de Educación, n. 65, p. 19-41, jul/dic. 2013. DOI: https://doi.org/10.17227/01203916.65rce19.41

Downloads

Publicado

30-04-2024

Como Citar

SOUZA , M. L. D. de; FREITAS , L. C. de; CALDEIRA, M. C. O PROGRAMA INTERNACIONAL DE AVALIAÇÃO DE ESTUDANTES (PISA): contexto de influência nas políticas globais. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 17, n. 1, p. e69603, 2024. DOI: 10.15687/rec.v17i1.69603. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/69603. Acesso em: 18 jul. 2024.