PROJETO COMUNITÁRIO COM JOVENS CAMPONESES

a construção de uma proposta de ensino a partir da realidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n2.58095

Palavras-chave:

Investigação temática, Paulo Freire, Três momentos pedagógicos, Falas significativas, Educação do Campo

Resumo

Este artigo analisa o processo de planejamento de um projeto comunitário realizado no âmbito dos estágios do curso de licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal de Santa Catarina. Se trata do projeto comunitário com o título ‘Não quero continuar aqui, porque na Volta Grande não tem nada’. Tal projeto parte de um longo e sucessivo processo de investigação da realidade, propiciada pelo regime de alternância do referido curso.  Ele foi planejado com a participação dos jovens e a partir de inspirações na perspectiva freireana, principalmente das ideias de investigação temática (FREIRE, 2019), falas significativas (SILVA, 2004) e três momentos pedagógicos (DELIZOICOV, ANGOTTI, PERNAMBUCO, 2002), que também estruturam a análise realizada neste trabalho. Dentre os resultados destacamos alguns desafios em colocar em prática processos dialógicos. Desafios como: ouvir os jovens, propiciando a ruptura do silêncio e a participação desses jovens como protagonistas do projeto e da sua realidade; realizar planejamento de interações  dialógicas;  até a consciência de que esse processo é permanente e não se esgota quando o programa está momentaneamente pronto.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fernanda Stoeberl, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduada em Educação do Campo e mestranda pela Universidade Federal de Santa Catarina. 

Elizandro Maurício Brick, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor no Curso de Licenciatura em Educação do Campo e no Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

ABRAMOVAY, R. Agricultura familiar e desenvolvimento territorial. Reforma agrária, v. 28, n. 1, p. 2, 1998.

BRASIL. Decreto nº 7.352, de 4 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de Educação do Campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária - Pronera. Brasília, DF: MEC, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2012-pdf/10199-8-decreto-7352-de4-de-novembro-de-2010/file. Acesso em: 11 fev. 2021.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm Acesso em: 11 fev. 2021.

BRICK, E. M. Realidade e ensino de ciências. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica). Programa de Pós-graduação em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2017. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/182727. Acesso em: 11 fev. 2021.

CERNY, R. Z. Gestão Pedagógica na educação a Distância: análise de uma experiência na perspectiva da gestora. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2009.

DA SILVA THIESEN, J.; DE OLIVEIRA, M. A. O lugar do currículo na/da educação do campo no Brasil: aproximações e teorias curriculares. Revista de Educação Pública, v. 21, n. 45, p. 13-28, 2012. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/33. Acesso em: 12 fev. 2021.

DELIZOICOV, D. La educación en ciencias y la perspectiva de Paulo Freire. Alexandria: revista de educação em ciência e tecnologia, v. 1, n. 2, p. 37-62, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37486. Acesso em: 11 fev. 2021.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. C. A. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

DELIZOICOV, Demétrio. Conhecimento, tensões e transições. 1991. Tese (Doutorado) - Curso de Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1991. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/75757/82794.pdf. Acesso em: 11 fev. 2021.

DELIZOICOV, D. A Educação em ciências e a perspectiva de Paulo Freire. In; PERNAMBUCO, Marta Maria. e PAIVA, Irene Alves de. Práticas Coletivas na Escola. Campinas, SP: Mercado de Letras; Natal, RN : UFRN, 2013.

DIZ Aí Juventude Rural - Identidade. [S. l.: s. n.], 26 maio 2011. 1 vídeo (9 min.). Canal Futura. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=AlhqskKjriw. Acesso em: 5 mar. 2021.

FERRARI, D. L. et al. Dilemas e estratégias dos jovens rurais: ficar ou partir? Estudos Sociedade e Agricultura, [s. l.], 2004. Disponível em: https://revistaesa.com/ojs/index.php/esa/article/view/251. Acesso em: 15 fev. 2021.

FREIRE, P. Criando métodos de pesquisa alternativa: aprendendo a fazê-la melhor através da ação. In: BRANDÃO, C. R. Pesquisa Participante. São Paulo: Brasiliense, 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 71. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2019.

FURLAN, P. G.; CAMPOS, G. W. de S. Pesquisa-apoio: pesquisa participante e o método paideia de apoio institucional. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, [s. l.], v. 18, n. 1, p. 885-894, dez. 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/icse/v18s1/1807-5762-icse-18-1-0885.pdf. Acesso em: 10 fev. 2021.

GUTIÉRREZ, J.; DELGADO, J. M. Teoría de la observación. In: DELGADO, J. M.; GUTIÉRREZ, J. (Orgs.) Método y técnicas cualitativas de investigación em ciências sociales. Espanha: Sintesis, 1998. pp. 141-173.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Cidades e Estados: Rio Negrinho. Brasília, DF, 2021. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/sc/rio-negrinho.html. Acesso em: 12 fev. 2021.

KORMANN, J. Volta Grande. Rio Negrinho: Gráfitec Impressos, 2002.

MARTINS, M. R.; FUTEMMA, C. O PROTAGONISMO DOS JOVENS E O TURISMO EM ÁREAS RURAIS. Revista Juventude e Políticas Públicas, [s. l.], v. 1, n. 1, 2014. Disponível em: https://revistasnj.mdh.gov.br/index.php/snj/article/view/10/Mayara%20Martins. Acesso em: 12 fev. 2021.

MENEZES, Luis Carlos. Crise, Cosmos, Vida Humana. Física para uma Educação Humanista. 1988. Tese de Doutorado. Tese de Livre Docência, IFUSP.

CARLOS DE. Paulo Freire e os físico. In: GADOTTI, Moacir. Paulo Freire uma biobibliografia. 1996: Cortez / Instituto Paulo Freire, 1996. p. 639 - 642. Disponível em: http://acervo.paulofreire.org:8080/jspui/bitstream/7891/3078/1/FPF_PTPF_12_069.pdf. Acesso em: 21 fev. 2021.

MUENCHEN, C.; DELIZOICOV, D. A construção de um processo didático-pedagógico dialógico: aspectos epistemológicos. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p. 199-215, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/epec/v14n3/1983-2117-epec-14-03-00199.pdf. Acesso em: 12 fev. 2021.

PERNAMBUCO, M. M. C. Educação e escola como movimento. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

PIERSON, Alice Helena Campos; HOSOUME, Yassuko. O cotidiano e a busca de sentido para o ensino de Física. 1997.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

RIO NEGRINHO. Decreto nº 5.873, de 5 de junho de 1998. Rio Negrinho: Leis Municipais, 1998. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/sc/r/rio-negrinho/decreto/1998/587/5873/decreto-n-5873-1998-dispoe-sobre-a-criacao-do-projeto-de-nucleacao-das-escolas-rurais-do-municipio-e-da-outras-providencias. Acesso em: 10 fev. 2021.

ROSO, C. C.; AULER, D. A participação na construção do currículo: práticas educativas vinculadas ao movimento CTS. Ciênc. educ., Bauru, v. 22, n. 2, p. 371-389, June 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132016000200371&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 fev. 2021.

SANTUR. Caminho dos Príncipes. [S. l.], [20--]. Disponível em: http://turismo.sc.gov.br/?destinos=caminhos-dos-principes. Acesso em: 14 fev. 2021.

SAUL, A. M. A construção do currículo na teoria e prática de Paulo Freire. In: APPLE, M. W.; NÓVOA, A. (Org.). Paulo Freire: política e pedagogia. Porto Alegre: Porto Editora, 1998.

SAUL, A. M. Políticas e práticas educativas inspiradas no pensamento de Paulo Freire: pesquisando diferentes contextos. Currículo sem Fronteiras, [s. l.], v. 14, n. 3, p. 129-142, 2014. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol14iss3articles/saul.pdf. Acesso em: 11 fev. 2021.

SILVA, A. F. G. da. Das falas significativas às práticas contextualizadas: a construção do currículo na perspectiva crítica e popular. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2004.

STOEBERL, F. Contribuições da perspectiva freireana para uma prática de ensino de ciências da natureza na Educação do Campo. TCC (Licenciatura em Educação do Campo) – Curso de Licenciatura em Educação do Campo, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2020. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/204124. Acesso em: 11 fev. 2021.

WEGNER, P. Z.; POMPÊO, C. A.; RODRIGUES, R. M. Caracterização dos recursos naturais e uso do solo da Área de Proteção Ambiental da Represa do Alto Rio Preto, Rio Negrinho/SC. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental) – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2000. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/78517. Acesso em: 9 fev. 2021.

Downloads

Publicado

2021-06-09

Como Citar

STOEBERL, F. .; MAURÍCIO BRICK, E. PROJETO COMUNITÁRIO COM JOVENS CAMPONESES: a construção de uma proposta de ensino a partir da realidade. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 1–19, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2021v14n2.58095. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/58095. Acesso em: 18 set. 2021.