ATENÇÃO, CONCENTRAÇÃO! SOBRE A REGULAÇÃO DE PRESCRIÇÕES NACIONAIS E A AMPLIAÇÃO DE SENTIDOS DE CURRÍCULOS COM CRIANÇAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15687/rec.v10i3.37616

Palavras-chave:

Crianças., Currículos., Produção de Sentidos.

Resumo

Objetiva dar visibilidade às conversas com as crianças e ampliar sentidos de currículo na Educação Infantil, motivados pela intenção de conferir a elas protagonismo contra o risco de nos afastar de suas demandas em favor do que é considerado desejável por uma prescrição curricular comum. Parte de uma experiência inquietante vivida na pesquisa com o cotidiano (Ferraço, 2007) realizada em um Centro Municipal de Educação Infantil em Cariacica/ES.  Realiza composição com crianças, prescrições curriculares, Certeau (1994), Deleuze (2009), Deleuze e Guattarri (1995) e com o conceito de redes de sentidosproduções. Vale-se de três movimentos metodológicos: as conversas, as brincadeiras de entrevista e o mergulho nas práticas cotidianas. Essas experiências fortalecem nossa aposta em uma concepção de currículo que não busca fixar representações e não se determina a partir de uma Base Nacional Comum Curricular, mas os potencializa como produção em redes de conhecimentos, experiências, linguagens, afecções, saberes e fazeres da escola e da vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Kezia Rodrigues Nunes, Universidade Federal do Espírito Santo, Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo e Professora Adjunto IV da Universidade Federal do Espírito Santo.

Carlos Eduardo Ferraço, Universidade Federal do Espírito Santo, Brasil.

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo e Professor Associado IV da Universidade Federal do Espírito Santo.

Referências

ALVES, N. Decifrando o pergaminho: os cotidianos das escolas nas lógicas das redes cotidianas. ALVES, N.; OLIVEIRA, I.B. (Org.). Pesquisa nos/dos/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Petrópolis: DP et Alii, 2008.

BARROS, M. Uma didática da invenção. O livro das ignorãnças. Rio de Janeiro: Editora Record, 1993.

______. Poema 6. Livro sobre nada. Rio de Janeiro: Record, 1996.

______. Sobre importâncias. Memórias inventadas II. Rio de Janeiro, Salamandra, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394/96. Brasília: MEC, SEF,1997.

______. Ministério da Educação e do Desporto. Estatuto da Criança e do Adolescente. LEI nº 8.069/1990. Brasília: MEC, SEF,1990.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC, SEB, 2010.

______. Ministério da Educação. Lei N. 12.796 de 4 de abril de 2013. (Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências)

______. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Fundamentos pedagógicos e estrutura geral da BNCC. Brasília: DF, 2017.

______. Ministério da Educação. PORTARIA N. 826, DE 7 DE JULHO DE 2017. Brasília: Diário oficial da União, 2017. (Dispõe sobre o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC, suas ações, diretrizes gerais e a ação de formação no âmbito do Programa Novo Mais Educação – PNME)

______. Ministério da Educação. Lei nº 13.415 de 2017. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e o Decreto-Lei no 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei no11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral.

CARVALHO, J. M. A razão e os afetos na potencialização dos “bons encontros” no currículo escolar: experiências cotidianas. In: FERRAÇO, C. E. (Org.). Currículo e educação básica: por entre redes de conhecimento, imagens, narrativas, experiências e devires. Rio de Janeiro: Rovelle, 2011. p. 103-122.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

DELEUZE, G. Conversações. São Paulo: Ed. 34, 1992.

______. Lógica do sentido. São Paulo: Perspectiva, 2009.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995. V.1.

_______. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996. V.3.

DELEUZE, G.; PARNET, C. Diálogos. Tradução de Eloísa Araújo Ribeiro. São Paulo: Escuta, 1998.

FERRAÇO, C. E. Pesquisa com o cotidiano. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 98, p. 73-95, jan./abr. 2007.

______. Currículos em realização com os cotidianos escolares: fragmentos de narrativasimagens tecidas em redes pelos sujeitos praticantes. In: ______. (Org.). Currículo e educação básica: por entre redes de conhecimento, imagens, narrativas, experiências e devires. Rio de Janeiro: Rovelle, 2011. p. 17-50.

FERRAÇO, C. E.; PEREZ, C. L. V.; OLIVEIRA, I. B. Diferentes abordagens, temas e modos de ser da pesquisa nos/dos/com os cotidianos. In: FERRAÇO, C. E.; PEREZ, C. L. V.; OLIVEIRA, I. B. (Org.). Aprendizagens cotidianas com a pesquisa: novas reflexões em pesquisa nos/dos/com os cotidianos. Petrópolis: DP et Alii, 2008. p. 15-22.

GUIMARÃES, C. O ordinário e o extraordinário das narrativas. In: GUIMARÃES, C.; FRANÇA, V. (Org.). Na mídia, na rua: narrativas do cotidiano. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 8-17.

JOGRILBERG, Fábio B. Cotidiano e invenção: os espaços de Michel de Certeau. Escrituras: São Paulo, 2005.

KOHAN, W. Lugares da infância: filosofia. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

______. Infância, estrangeiridade e ignorância: ensaios de filosofia e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, jan./fev./mar./abr. 2002.

______. Desejo de realidade. Experiência e alteridade na investigação educativa. In: BORBA, Siomara; KOHAN, W. (Org.). Filosofia, aprendizagem, experiência. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008. p. 185-194.

______. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

KUHLMANN JÚNIOR, M. Educando a infância brasileira. In: LOPES, E. M. T. et al. (Orgs.). 500 anos de educação no Brasil. BH: Autêntica, 2000. p. 468-496.

MACEDO, E. E. de; Santiago, F.; Santos, S. E. dos; Faria, A. L. G de. Infâncias e descolonização: desafios para uma educação emancipatória. Revista Crítica Educativa (Sorocaba/SP), v. 2, n. 2, p. 38-50, jul./dez.2016.

NUNES, K. R. Infâncias e educação infantil: redes de sentidosproduções compartilhadas nos currículos e potencializadas na pesquisa com as crianças. 2012. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.

NUNES, K. R.; GOMES, M. R. ... E escolas. In: FERRAÇO, C. E. (Org.) ... Currículos em redes. Curitiba: CRV, 2016.

PULINO, L. H. C. Z. . A Educação, o espaço e o tempo - Hoje é amanhã?. In: Borba, Siomara e Kohan, Walter (orgs).. Filosofia, aprendizagem, experiência. 1a.ed.Belo Horizonte: Autêntica, 2008, v. , p. 233-243.

ROCHA, E. A. C. Prefácio. In: FARIA, A. L. G.; FINCO, D. (Org.). Sociologia da infância no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2011. p. vii-viii.

SANTOS, B. S. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. In: ______ (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004. p. 777-821

SOARES, M. C. S. A comunicação praticada com o cotidiano da escola: currículos, conhecimentos e sentidos. Vitória: Espaço Livros Editora, 2009.

Downloads

Publicado

31-12-2017

Como Citar

NUNES, K. R.; FERRAÇO, C. E. ATENÇÃO, CONCENTRAÇÃO! SOBRE A REGULAÇÃO DE PRESCRIÇÕES NACIONAIS E A AMPLIAÇÃO DE SENTIDOS DE CURRÍCULOS COM CRIANÇAS. Revista Espaço do Currículo, [S. l.], v. 10, n. 3, p. 410–428, 2017. DOI: 10.15687/rec.v10i3.37616. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/rec.v10i3.37616. Acesso em: 20 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>